Selena Gomez

Há 7 anos, “Stars Dance” foi uma virada na carreira de Selena Gomez

Há sete anos, Selena Gomez começou a escrever uma nova e promissora história na música. Em […]

Por em 19 de julho de 2020

Há sete anos, Selena Gomez começou a escrever uma nova e promissora história na música. Em outras palavras, no dia 19 de julho de 2013, a cantora divulgou “Stars Dance”, seu primeiro álbum solo! 

Composto por 11 faixas, a produção, que traz o selo da Hollywood Records, alcançou a primeira posição na Billboard 200, um dos mais famosos charts do mundo. Na época, a dona do hit “Come & Get It” destronou o disco “Magna Carta… Santo Graal”, de Jay Z, vendendo 97 mil cópias na primeira semana. 

Entretanto, a trajetória de Selena Gomez como uma estrela pop não iniciou com “Stars Dance”. Desse modo, antes de entender a importância do disco na carreira da cantora, é fundamental voltar no tempo e entender como tudo começou. Preparados?

Selena Gomez & The Scene: Antes da carreira solo

Selena Gomez tinha apenas sete anos quando participou do seriado “Barney e Seus Amigos”, interpretando a pequena Gianna. Após alguns papéis de menor notoriedade, a atriz foi contratada como protagonista da famosa série “Os Feiticeiros de Waverly Place”, da Disney Channel

Com uma carreira bem sucedida na televisão, Selena Gomez decidiu expandir seus horizontes ao embarcar no universo musical. Porém, diferente do que todos esperavam, ela não queria fazer isso sozinha:

“Eu queria uma banda porque queria ser um pouco diferente. Todo mundo pensa ‘oh, você será uma artista solo, típica, isso é comum’. Mas eu amo bandas e sempre foi um sonho meu estar em uma banda”, comentou a estrela há alguns anos. 

Devido a gama de fãs apaixonados que já acompanhavam cada passo da jovem, a Hollywood Records não ficou nada feliz ao descobrir os planos de um grupo. Foi então que surgiu a ideia do Selena Gomez & The Scene, um meio termo entre os desejos da artista e da gravadora. 

Durante o tempo de duração, mais precisamente de 2008 a 2012,  a banda lançou três discos: “Kiss & Tell” (2009), “A Year Without Rain” (2010) e “When The Sun Goes Down” (2011). Além disso, os artistas colecionaram diversos prêmios, incluindo o de “Melhor Grupo” por dois anos consecutivos no Teen Choice Awards. 

“Star Dance”: O início de uma nova era 

Apesar do grande sucesso da banda, Selena Gomez decidiu explorar novos rumos. A partir daí, a separação do The Scene foi anunciada e a era “Star Dance” começou a surgir. 

Nesse contexto, é válido destacar que o disco foi considerado pela própria artista um divisor de águas, já que pela primeira vez ela teve controle criativo do que iria apresentar para os fãs: 

“Todos os outros [álbuns] foram mais corridos, pois na época estava gravando o seriado ao mesmo tempo. Eles me colocavam para fazer um aqui e ali, e eu só ia gravar uma música que gostasse muito e que pudesse estar no CD. Desta vez, eu pude trabalhar com produtores com os quais eu gostaria de trabalhar”, compartilhou Selena Gomez sobre o processo criativo do álbum. 

Mesmo considerado uma produção “impessoal” pela crítica especializada, “Stars Dance” marcou a vontade que Selena Gomez tinha de descobrir onde queria ir. Sendo assim, a estrela usou e abusou dos ritmos e estilos, ou seja, investiu todas suas fichas em uma produção de auto-conhecimento:

“Desde o início das gravações eu passei por muita coisa. Esse é o CD com o qual eu mais me dediquei, por isso estou empolgada. Vai ser bem dançante, mas também terá um pouco do ritmo mais suave, com um jeito meio espanhol. Já algumas serão no estilo da Ellie Goulding. Estou colocando um pouco de tudo. Foi muito divertido, eu espero que faça sentido”, revelou pouco antes do lançamento. 

Ellie Goulding, dona do hit “Love Me Like You Do”, não foi a única inspiração de Selena Gomez durante a criação do primeiro álbum solo. O estilo único de Rihanna, as batidas eletrônicas de Dev e os ritmos envolventes de Skrillex também tiveram presença garantida na produção. 

A aclamação de “Come & Get It”

Todo álbum tem um single de estreia, e o de “Stars Dance” foi “Come & Get It”. Composta por Ester Dean, Mikkel S. Eriksen e Tor Erik Hermansen, a música foi originalmente descartada do álbum “Talk Talk Talk” (2011), da Rihanna.

E quem diria que uma faixa recuperada faria tanto sucesso? Três vezes platina nos Estados Unidos, a canção tem uma forte influência indiana, fator que Selena Gomez adotou durante sua performance no MTV Movie Awards de 2013. Relembre:

O videoclipe de “Come & Get It” seguiu por um outro caminho, mas não menos glorioso que a apresentação ao vivo. Dirigido por Anthony Mandler, o enredo focava nos quatro elementos da natureza: água, ar, fogo e terra. 

Um mergulho pelas outras faixas da estreia de Selena Gomez

Como já citado, o inesquecível “Star Dance” explorou diversos ritmos e estilos. No entanto, a produção não se limitou a isso. Em “Slow Down”, por exemplo, Selena Gomez celebra o status de solteira após um conturbado relacionamento, cantando em alto e bom som que está aceitando inscrições. 

Porém, é de conhecimento geral que relações intensas são difíceis de esquecer. “Forget Forever” e “Love Will Remember” estão no álbum para provar isso. Em suma, as faixas exploram o que deu errado no relacionamento da cantora com Justin Bieber, com trechos melancólicos como “Nós iluminamos o mundo todo antes de acabarmos com tudo. Eu ainda não sei onde erramos”

Enquanto “Write Your Name”, parceria com a dupla Dreamlab, se destaca como uma canção fofa, “Save The Day” explora um lado mais sensual de Selena Gomez. “Like A Champion” e “B.E.A.T.” são músicas inspiradas nos estilos de Rihanna e Dev, respectivamente. 

A autointitulada “Stars Dance” explora diferentes vocais, se tornando a canção mais estilosa do álbum. Já “Birthday” é conhecida como uma clássica e dançante melodia pop. Por fim, mas não menos importante, “Undercover” é uma balada envolvente que traz a história de um romance escondido. 

O lançamento de “Stars Dance” foi o marco inicial para Selena Gomez se descobrir como artista. Agora, a estrela explora com mais precisão seu interior, com produções como “Revival” e “Rare”.


Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!