Saiba detalhes sobre o que esperar do "Superbloom", primeiro álbum solo de Ashton Irwin, baterista da 5SOS

“Superbloom”: O que esperar do primeiro álbum solo de Ashton Irwin

Ashton Irwin sempre foi um dos artistas mais conectados com os próprios sentimentos. Entretanto, o músico […]

Por em 16 de outubro de 2020

Ashton Irwin sempre foi um dos artistas mais conectados com os próprios sentimentos. Entretanto, o músico conseguiu surpreender até mesmo a alma mais pura ao anunciar o “Superbloom”, uma produção solo sobre suas filosofias internas e caminhada de vida.

Previsto para o dia 23 de outubro, o lançamento do baterista da 5 Seconds Of Summer dará o que falar. Pensando nisso, o Tracklist fez uma lista sobre o que esperar do projeto em ascensão. Confira!

Crescimento pessoal e profissional 

Assim como todas as estrelas da música, os integrantes da 5SOS foram obrigados a cancelar todos os planos do ano devido a pandemia do coronavírus. Porém, diferente da maioria, Ashton Irwin não usou o tempo para descansar! 

Explorando seu interior e buscando por novos aprendizados, o baterista usou a quarentena para investir em novas produções: “Queria aprender a produzir, queria escrever canções das quais me orgulhava, queria homenagear ‘a musa’ ou o que quer que seja o ser superior que colocar ideias em nossas mentes e ser um ser criativo que flui livremente e sempre evolui”, iniciou.

Há quase nove anos trabalhando em uma dinâmica colaborativa, a criação do “Superbloom” foi a chance do artista sair da bolha: “Este álbum é totalmente exclusivo para mim. Ele contém muita auto-realização, autodisciplina e autoconfiança (…) Tive que atingir um certo nível de maturidade lírica para escrever sobre algo que realmente me importava. Foi realmente libertador e inspirador”, concluiu.

Decerto, o lançamento será um grande marco para o artista tanto no sentido profissional quanto pessoal. Isso porque o “Superbloom” será uma conexão entre Ashton Irwin pessoa e artista, trazendo uma aproximação ainda maior com os fãs. 

“Superbloom”: Inspirações artísticas de ponta a ponta

Nas últimas semanas, Ashton Irwin vem usando suas redes sociais para divulgar detalhes sobre o “Superbloom”. Nesse contexto, é possível analisar que o projeto não irá se limitar a voz e instrumento, mas sim será uma produção completa, priorizando a arte de ponta a ponta e em todos os seus aspectos. 

O primeiro exemplo disso apareceu logo em “Skinny Skinny”, debut single do álbum. Na produção, o baterista da 5SOS não apenas mostrou seus dotes vocais, como também entregou uma atuação completa. Em explicação, o clipe da faixa trouxe muita dança e, sobretudo, uma história além das cenas.

Indo além da parte que envolve o universo musical, o “Superbloom” está relacionado à recuperação da arte do período Paleolítico. Em suma, o álbum gira em torno de três desenhos, que fizeram toda a diferença para a conclusão da produção. Segundo o cantor, as imagens foram como um alicerce para o projeto:

“[As imagens] foram tão importantes para compor o disco quanto as canções. Sempre amei me aventurar no mundo da criação multimídia, acho que isso nos leva de volta para a época em que éramos homens das cavernas. Essas obras de arte são representações humanas das canções que eu estava escrevendo”, comentou o artista em uma publicação do Instagram.

Dando destaque para cada desenho individualmente, Ashton revelou que a primeira seria a representação de um demônio, a segunda da angústia e do ciclo da vida e a última sobre questionar as origens da sua própria realidade.

Ashton Irwin sem filtros

“Por que fazemos o que fazemos em nossa vida cotidiana e o que realmente esperamos alcançar”? Surpreendentemente, essa foi a pergunta que Ashton Irwin fez para si mesmo ao perceber sua relutância para escrever “Have U Found What Ur Looking For?”.

Em outras palavras, a segunda faixa solo divulgada explora a resistência e a superação, a escolha de amar em vez de odiar e, claro, o desejo de vencer o medo. Sob o mesmo ponto de vista é regido todo o álbum “Superbloom”

Em síntese, o álbum irá explorar temas como abandono, alcoolismo, depressão, dismorfia corporal, morte, vício, desespero e esperança. Acima de tudo, é sobre a vontade de vencer diariamente as duras batalhas da vida. 

Desse modo, o “Superbloom” vai navegar por toda a história do músico, não só relacionado ao descobrimento como pessoa e artista, mas também a luta contra os próprios demônios que o assombraram desde a infância.

“Superbloom”: Os possíveis impactos sociais

A depressão foi considerada pela Organização Mundial da Saúde como o “mal do século XXI”. Junto com ela, a ansiedade, a bipolaridade, o TOC e diversos outros transtornos mentais fazem parte do dia a dia da população.

Nesse sentido, é possível citar que o “Superbloom” tem como principal objetivo manter um fio de esperança no meio do caos. Sobretudo, é sobre lutar para se sentir “em casa” dentro de seu corpo e mente e sair fortalecido dessa guerra.

Mais do que um álbum para si mesmo, o baterista da 5SOS buscou criar um material que ajudasse outras pessoas a lidarem com seus próprios demônio. Em explicação, o cantor irá utilizar seus próprios sofrimentos para mostrar que há sempre uma luz no final do túnel.

Por fim, é essencial lembrar que o “Superbloom”, primeiro álbum solo de Ashton Irwin, chega a todas as plataformas digitais na próxima sexta-feira (23). 


Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!