Entrevista: Greg BBX fala sobre parceria com Dennis DJ e mais
15 de outubro de 2020 por Luciana Lino.

Lançar um single já é uma responsabilidade enorme para qualquer artista. Agora, divulgar três versões da mesma faixa é para poucos! Isso foi o que aconteceu com a música “Fica Tranquila”, do cantor Greg BBX.

Originalmente uma faixa de R&B que combina elementos da MPB e do rap norte-americano, as novas versões remix contam com a participação de Tília Fialho, que estrelou o clipe, e com as assinaturas de Papatinho, Dennis DJ e Neo Beats.

“A ideia do remix surgiu depois que a gente percebeu que os fãs estavam muito ligados no clipe de ‘Fica tranquila’, que a Tília participou. Eles estavam curtindo muito essa nossa interação. Então, como ela já tinha participado do clipe, a convidei para participar do primeiro remix, dessa vez com ela cantando. Foi aí que surgiu a primeira versão, comigo, Tília e o Papatinho. A ideia foi tão boa que resolvemos convidar outros dois produtores para fazerem uma versão diferente. Uma versão ainda mais dançante com o Neo e uma versão mega animada com Dennis”, disse Greg BBX em comunicado divulgado para a imprensa.

O artista começou a sua carreira bem jovem e, atualmente, configura como um dos nomes em ascensão do rap brasileiro. Para conversar um pouco mais sobre os seus últimos lançamentos e o seu trabalho, o Tracklist bateu um papo com Greg BBX, que você pode conferir a seguir.

Entrevista com Greg BBX

A faixa “Fica Tranquila” ganhou três versões remix, assinadas por Dennis DJ, Neo Beats e Papatinho e com os vocais de Tília Fialho. Por que você optou pela parceria com esses artistas, especificamente?

A ideia inicial era adicionar a Tília na música, com o Beat do Papatinho. Mas a junção ficou tão boa que resolvemos ousar mais, trazendo outros estilos para os remixes. Então aproveitei a minha vontade de fazer um funk e convidei o Dennis e também chamei o Neo pois ele sempre foi uma referência em produção aqui no Brasil.

Cada faixa ganhou uma “roupagem” diferente. Você acredita que essa mistura de ritmos e de elementos vai influenciar os seus próximos trabalhos?

Eu gostei muito das 3 versões, curto demais essa mistura de estilos e quero fazer cada vez mais.

Foto: Divulgação / Universal Music Brasil

Como foi trabalhar com a Tilia Fialho? Como vocês estabeleceram essa parceria?

Foi muito legal, a gente se conheceu quando ela participou do clipe de “Fica Tranquila” e desde então viramos muito amigos. Estamos planejando várias projetos juntos.

2020 tem sido um ano atípico para todos nós. Como você conseguiu manter o seu processo criativo durante a quarentena?

Na realidade foi bem difícil pra mim, pois fiquei na minha cidade no sul do país, junto com minha família, então não consegui desenvolver muita coisa não… Mas agora com essa flexibilização já estou de volta aos estúdios, finalmente.

Você começou a sua carreira aos 6 anos. O que te impulsionou a ir para o mundo da música ainda tão jovem?

Foi minha vontade de querer mostrar meu talento pro mundo e meus pais também, que sempre me apoiaram.

Você já dividiu palco com vários artistas renomados do rap e hip-hop brasileiro, como Marcelo D2 e ConeCrew Diretoria. Como você enxerga a ascensão desse gênero musical aqui no Brasil ao longo do tempo?

Fico muito feliz que o Rap está alcançando o lugar que merece aqui no Brasil. Mas para isso estar acontecendo hoje, foi essencial ter a base dos mais antigos, os que trouxeram o movimento pra cá e lutaram por ele.

Foto: Divulgação / Universal Music Brasil

Com a explosão do funk, do sertanejo e do pop brasileiro nos últimos anos, você acha que o hip-hop e o rap conseguem unir “todas as tribos” ou ainda são gêneros muito nichados?

Conseguir unir todas as tribos é muito difícil. Mas o Rap é sim um gênero que consegue conversar com pessoas de várias idades, gêneros, raças, etc.

Na sua opinião, de que forma você e essa nova geração de artistas podem ajudar a expandir o hip-hop e o rap brasileiro?

Falando por mim, o que eu quero é conversar com o público jovem, fazendo Raps mais dançantes e animados, com uma pitada de Brasil e experimentando diferentes roupagens. E com isso tornar o gênero ainda mais popular nas festas, assim como aconteceu com o funk há alguns anos atrás.

Você pode contar para a gente quais são os seus próximos passos? Tem alguma meta que você gostaria de cumprir no próximo ano, por exemplo?

Meu próximo lançamento se chama “Rockstar” e conta com a participação de Cabal, é uma música que eu curto muito e estou ansioso para lançar. Para o ano que vem, eu pretendo lançar muitas músicas, quem sabe um álbum, e fazer inúmeros shows Brasil afora.

Alguns direitos reservados / 2013 - 2017.
Desenvolvido por Lucas Mantoani.