Os 50 melhores singles internacionais do ano de 2020

2020 foi, de todas as formas, um ano fora de todos os padrões. Passamos por diversas […]

Por em 22 de dezembro de 2020

2020 foi, de todas as formas, um ano fora de todos os padrões. Passamos por diversas dificuldades ao longo dos últimos 12 meses, e apesar de todas as circunstâncias, a música continuou sendo nosso refúgio em meio a tempos tão conturbados — e nesse ano, não faltaram músicas boas para ouvirmos, incluindo singles que, de tão bons, tornaram-se os melhores.

Assim como é costume por aqui no Tracklist, listamos os 50 melhores singles internacionais do ano que marcaram a trilha sonora de momentos tão difíceis, mas que, como sempre, a música nos ajudou a superar.

Por Fernando Marques, Gabriel Haguiô e Isabela Berrogain

*: Alguns singles da lista estão marcadas em asterisco pois foram lançadas no fim do ano passado, mas repercutiram ao longo de 2020.

50. “My Ex’s Best Friend”, Machine Gun Kelly

“Tickets To My Downfall” é o primeiro álbum de Machine Gun Kelly, que se aventura pelo pop punk. Com Travis Barker (Blink-182) como produtor e baterista, o cantor definitivamente achou seu gênero musical. A música do álbum que mais se sobressai é “My Ex’s Best Friend”, parceria com o rapper Blackbear que debutou no top 40 da Billboard Hot 100 – e que abre a nossa lista dos 50 melhores singles internacionais de 2020.


49. “Bikini Porn”, Tove Lo

Produção de FINNEAS, irmão de Billie Eilish, “Bikini Porn” é um dos grandes destaques desse ano para Tove Lo. A produção é extremamente viciante e, claro, sugestiva, a marca registrada da cantora. Apesar de soar extremamente minimalista, “Bikini Porn” levou meses para ser produzida. Claramente valeu a pena.


48. “Supalonely”, BENEE e Gus Dapperton

O TikTok está em festa. “Supalonely” foi o single responsável por catapultar a carreira da neozelandesa BENEE. Esse país que já nos presenteou com Lorde agora nos entrega mais uma artista com características únicas que desafiam as imposições do mercado fonográfico. A parceria com Gus Dapperton já passou dos 450 milhões de streams no Spotify e mais de 9,5 milhões de vídeos criados no TikTok.


47. “Wildflower”, 5 Seconds Of Summer

“Wildflower” é a única faixa do álbum “CALM”, do 5 Seconds of Summer, que não tem Luke Hemmings nos vocais principais. A música, além de ser cantada pelo baixista Calum Hood, é sua preferida do álbum. Assim como no single, a banda explorou além de seus horizontes na produção do videoclipe de “Wildflower”, lançado no início do lockdown. Utilizando o chroma key como principal ferramenta, o grupo inovou e se reinventou visualmente.


46. “Sweet Melody”, Little Mix

“Confetti” foi considerado pela crítica o melhor álbum da girlband Little Mix até então; o sexto álbum de estúdio do agora trio foi o último lançado antes da saída da integrante Jesy Nelson. “Sweet Melody”, faixa que, originalmente, foi composta para a cantora Demi Lovato, estreou no top 3 das paradas britânicas.


45. “Kings & Queens”, Ava Max

Ava Max é uma das grandes revelações do pop dos últimos anos. Sua ascensão começou com “Sweet But Psycho” e, desde então, são diversos os sucessos que a norte-americana vem emplacando. “Kings & Queens”, um dos melhores singles do ano, está presente em seu disco de estreia que foi lançado neste ano e foi um dos grandes destaques fonográficos de 2020.


44. “Trouble’s Coming”, Royal Blood

Com menos de uma década de carreira, o Royal Blood já é amplamente reconhecido como um dos grandes nomes do rock atual e não é por acaso. A cada lançamento, Mike Kerr e Ben Thatcher desmitificam ainda mais a imagem de uma banda tradicional de rock com sua simples combinação de baixo e bateria, que desde 2013 tem resultado em canções grandiosas e discos inovadores.

Três anos depois de seu último álbum, a dupla retornou em 2020 com um single completamente diferente de seus antecessores. “Trouble’s Coming” é conduzida por um groove dançante com fortes influências de disco nunca vistas até então pelo Royal Blood, mas que vieram para ficar e devem dar o tom de seu novo disco — “o melhor da banda”, nas palavras do próprio vocalista ao Tracklist.


43. “La Luz (Fín)”, Kali Uchis e Jhay Cortez

Com o processo de globalização que a indústria musical tem vivenciado ao longo dos últimos anos, são cada vez mais numerosos os artistas que mergulham em suas próprias origens para contarem suas histórias por meio da arte. Kali Uchis, filha de imigrantes colombianos, não escondeu as suas em seu novo disco. “Sin Miedo (Del Amor y Otros Demonios)” foi gravado inteiramente na língua espanhola e traz diversas referências à tradicional música latino-americana. “La Luz (Fín)”, parceria com o porto-riquenho Jhay Cortez, é um exemplo ideal da riqueza de seu trabalho, incorporando a sonoridade sensual de suas canções a uma das composições mais cativantes de sua carreira até aqui.


42. “Yo Perreo Sola”, Bad Bunny

“Yo Perreo Sola” é um dos grandes sucessos do agora penúltimo disco de Bad Bunny. Com mais de 350 milhões de streams apenas no Spotify, a canção com batidas envolventes e um vocal chop viciante é, sem sombra de dúvidas, um dos melhores singles lançados em 2020.


41. “Boss Bitch”, Doja Cat

Provavelmente uma das melhores coisas que vieram do filme “Aves de Rapina” foi a sua trilha sonora. “Boss Bitch” é um dos grandes acertos, tanto da produção do filme, como da carreira de Doja Cat. Para melhorar ainda mais, a música foi um dos grandes hits do ano no TikTok.


40. “XS”, Rina Sawayama

Em meio a tantos artistas que a indústria ajudou a revelar em 2020, Rina Sawayama atraiu uma atenção especial para si. Nascida no Japão e criada na Inglaterra, a cantora lançou um dos discos mais inspirados e complexos do ano, misturando diferentes influências no mesmo caldeirão. “XS” é um dos tantos frutos de qualidade que “Sawayama” nos trouxe, incorporando um pop pegajoso a riffs de guitarra e diversos outros elementos que marcam presença aqui e ali, tornando-o um dos melhores singles de 2020.


39. “You Should Be Sad”, Halsey

“You Should Be Sad” foi o terceiro single do álbum “Manic”, de Halsey, debutando na segunda posição do iTunes nos Estados Unidos. A faixa, que fala sobre frustrações em relacionamentos passados, tem raízes no country, um terreno até então inexplorado pela cantora. Ao ser perguntada sobre a motivação de fazer uma música country, Halsey respondeu que “as canções mais comoventes vêm desse gênero”. Ela também lançou um clipe da faixa, onde homenageia divas pop como Christina Aguilera, Lady Gaga, Shania Twain e Carrie Underwood.


38. “Lost In Yesterday”, Tame Impala

“Lost In Yesterday” é um dos grandes sucessos do novo disco do Tame Impala, “The Slow Rush”. A música tem uma pegada característica que Kevin Parker foi desenvolvendo ao longo do tempo com o grupo: os questionamentos sobre a vida, amor e o tempo estão todos presentes em mais uma produção completamente cativante e que se destaca por ser um dos melhores singles do ano.


37. “Positions”, Ariana Grande

Neste ano, Ariana Grande lançou um de seus álbuns mais falados: “Positions”. Em outubro, a cantora surpreendeu seus fãs ao anunciar que lançaria seu novo trabalho no fim do mês. A surpresa agradou o público e “Positions” marcou um novo recorde para Ariana na Billboard Hot 100. Na sua estreia, catorze músicas do disco ocuparam as paradas, com o single que carrega o nome do álbum atingindo o primeiro lugar.


36. “Kyoto”, Phoebe Bridgers

Entre tantas revelações que a indústria ajudou a polir em 2020, Phoebe Bridgers merece ser destacada pelo seu incrível novo disco, “Punisher”. Para se ter uma noção da qualidade de seu trabalho, basta ouvir “Kyoto”. Um dos melhores singles do ano é um reflexo perfeito da personalidade artística e pessoal da cantora, apresentando-nos a um universo particular guiados por uma sonoridade alegre e letras intimistas.


35. “Level Of Concern”, Twenty One Pilots

“Level Of Concern”, descrita por seu compositor Tyler Joseph como simples, mas esperançosa, fala sobre os efeitos do coronavírus na sociedade. O vocalista do Twenty One Pilots foi motivado a escrever o single por uma causa nobre: o músico compôs a faixa como uma forma de ajudar os trabalhadores da indústria musical que foram prejudicados durante a pandemia, doando parte dos lucros arrecadados para a Crew Nation.


34. “People, I’ve Been Sad”, Christine And The Queens

Há algum tempo, a francesa Heloise Letissier, a mente por trás do nome de Christine And The Queens, tem esbanjado suas credenciais pela música alternativa, com trabalhos autênticos, pessoais e de grande qualidade. “People, I’ve Been Sad”, single de seu novo EP “La Vita Nuova”, destaca o talento e a riqueza que existem por trás de uma das cantoras e compositoras mais inteligentes da atualidade ao retratar um dos sentimentos mais pertinentes entre a sociedade: a solidão. Em um ano como 2020, a mensagem é ainda mais clara.


33. “Time”, Childish Gambino e Ariana Grande

O álbum “3.15.2020”, de Childish Gambino, foi lançado de surpresa em março deste ano, um projeto que é, nas palavras de Donald Glover, “seu melhor trabalho entregue até então”. “Time”, uma das únicas músicas de fato nomeadas (e não intituladas de acordo com o tempo que surgem no álbum), é destaque entre as 12 faixas e conta com a participação de Ariana Grande. Essa não é a primeira colaboração da dupla, que já dividiu os vocais de “Break Your Heart Right Back”, canção do segundo álbum de estúdio da cantora.


32. “Your Love (Dejà Vú)”, Glass Animals

“Your Love (Dejà Vú)” foi o segundo single do “Dreamland”, último álbum de estúdio do Glass Animals, e teve uma ótima aceitação do grupo. Basicamente, a música fala sobre uma possível ida e vinda com um(a) ex. Um dos melhores singles do ano por sua produção impecável e cativante – e a flauta com certeza ficará na sua mente.


31. “The Box”, Roddy Ricch*

Entre as grandes revelações que surgiram na cena musical em 2020, Roddy Ricch com certeza está entre as maiores. “The Box”, o grande hit do rapper, marca o ponto de virada da sua carreira até então: um trap potente que conquistou o público e se manteve no topo da Billboard Hot 100 por nove semanas consecutivas. Apenas o prato de entrada de um artista que ainda tem muito a entregar ao hip-hop.


30. “I’ve Made Up My Mind To Give Myself To You”, Bob Dylan

Em 2020, Bob Dylan lançou seu primeiro álbum de estúdio em quase uma década, e também o seu primeiro desde a conquista do Prêmio Nobel de Literatura, em 2016. O resultado não poderia ter sido mais satisfatório para os fãs: “Rough And Roudy Ways” é mais uma coletânea de grandes composições do cantor, incluindo clássicos instantâneos como “I’ve Made Up My Mind To Give Myself To You”, que sem sombra de dúvidas merece estar entre os maiores singles do ano.


29. “Posthumous Forgiveness”, Tame Impala*

Kevin Parker, um dos músicos e produtores mais renomados da indústria fonográfica, não deixou de surpreender os fãs em 2020 com o novo álbum do Tame Impala, “The Slow Rush”. O disco é marcado por várias faixas inovadoras para o repertório da banda. Entre elas, “Posthumous Forgiveness”, uma viagem musical que caracteriza bem a essência do grupo e sua busca constante por renovação e reinvenção.


28. “If The World Was Ending”, JP Saxe e Julia Michaels*

JP Saxe e Julia Michaels encontraram um no outro a fórmula perfeita para a composição de mais uma música de sucesso. Com a ajuda de FINNEAS na produção, “If The World Was Ending” rendeu a JP sua primeira indicação ao Grammy. Apesar da dupla ter escrito a faixa após os terremotos que aconteceram em Los Angeles no ano passado, a letra, que fala sobre um hipotético fim do mundo, soa mais atual que nunca, e se destaca como um dos melhores singles de 2020.


27. “Ice Cream”, BLACKPINK e Selena Gomez

“Ice Cream” é a proposta perfeita para o mercado norte-americano. A junção de uma estética fofa com uma letra sugestiva foi a aposta do BLACKPINK antes do lançamento do primeiro e ótimo disco. Para melhorar, ainda teve a colaboração de Selena Gomez que dividiu os holofotes com o girl group.


26. “TKN”, Rosalía e Travis Scott

La Rosalía. “TKN” é a junção perfeita da sonoridade de Rosalía que ganhou o mundo com a imposição dos vocais de Travis Scott. A batida carregada e acompanhada do dedilhado imponente fazem de “TKN” um dos melhores singles de Rosalía. Seu novo álbum promete.


25. “Therefore I Am”, Billie Eilish

“Therefore I Am” marcou o retorno de Billie Eilish à sonoridade que estamos acostumados. Depois da melancolia de “My Future”, seu novo single fala sobre empoderamento e ironiza as pessoas que falam mais do que de fato são. A música está sendo um sucesso também no TikTok, onde já ultrapassou a marca dos 3 milhões de vídeos.


24. “The Adults Are Talking”, The Strokes

Um dos melhores discos do The Strokes em sua carreira também tem início com um dos seus melhores singles nos últimos anos. “The Adults Are Talking” poderia facilmente ter sido extraída de algum dos álbuns clássicos do grupo, mas a música reflete bem o presente estado da banda: renovando-se sem deixar de olhar pra trás.


23. “Summer Girl”, HAIM

Summer Girl” faz parte do mais recente álbum do trio HAIM. Inspirada pelos trabalhos de Lou Reed, a música conta com um toque de jazz, gênero não tão explorado até então pelas cantoras. Em comunicado publicado nas redes sociais, Danielle Haim contou que a canção foi feita após o diagnóstico de câncer de seu namorado. “Eu queria ser o raio de sol dele, o verão quando ele estava se sentindo escuro”, disse ela.


22. “Easy”, Troye Sivan com Kacey Musgraves e Mark Ronson

Se o EP “In A Dream”, de Troye Sivan, é um compilado de músicas que retratam as dores de um coração partido, “Easy” não poderia ser diferente. Como outras canções de Troye, o ritmo dançante quase nos faz esquecer da melancolia trazida na letra ao falar de um relacionamento aos pedaços. A nova versão da faixa traz a participação de Kacey Musgraves, que co-escreveu seus próprios versos, e do renomado produtor Mark Ronson, dando uma nova cara a um dos melhores singles do ano.


21. “Midnight Sky”, Miley Cyrus

“Plastic Hearts” foi, definitivamente, um marco na carreira de Miley Cyrus. O álbum é inundado de referências diretas do rock, contando com participações de Billy Idol e Joan Jett. Mas são músicas como “Midnight Sky” que mostram que a cantora não deixou o pop de lado: a faixa que, segundo Miley, “é sobre tomar de volta o controle de sua própria narrativa”, foi perfeitamente escolhida como o primeiro single de sua nova era.


20. “If You’re Too Shy (Let Me Know)”, The 1975

Entre tantos fenômenos que vão e vêm com a mesma velocidade na música alternativa, é preciso reconhecermos a evolução artística do The 1975 nos últimos anos. “If You’re Too Shy (Let Me Know)”, a grande joia de seu novo disco e um dos melhores singles do grupo, evidencia como nenhuma outra música a nova fase em que se encontra o grupo de Matty Healy: um ritmo dançante, enérgico e empolgante que tem marcado o lançamento de algumas das melhores canções já feitas pela banda.


19. “Levitating”, Dua Lipa e DaBaby

“Levitating” é mais um dos singles do álbum “Future Nostalgia”, de Dua Lipa, que foi um completo sucesso nas paradas. O remix da faixa, com Madonna e Missy Elliott, já tinha sido lançado como single, mas não funcionou tão bem com o público quanto a versão com DaBaby. O cantor, que é um dos maiores rappers do momento, parece sempre acertar nas suas colaborações e em “Levitating” não foi diferente.


18. “Rockstar”, DaBaby e Roddy Ricch

Em um ano marcado por músicas virais presentes por todas as redes sociais, “Rockstar”, parceria de DaBaby com Roddy Ricch, não poderia ficar de fora da lista. A canção se tornou uma febre no TikTok, alcançou o topo da Billboard Hot 100 e marca o encontro de dois jovens rappers no auge de suas carreiras para uma das faixas mais pegajosas de 2020, que contagia sem deixar de tratar de temas extremamente relevantes como a violência policial e a relação da sociedade com armas e dinheiro em meio ao sucesso.


17. “Do It”, Chloe x Halle

Cada vez mais, a dupla Chloe x Halle ganha visibilidade e espaço na indústria da música. Além de impecáveis performances ao vivo e vocais beirando a perfeição, as cantoras de apenas 20 e 22 anos também contribuíram para a composição de “Do It”. A música, que concorre ao Grammy de “Melhor Música de R&B”, foi o primeiro single das artistas a entrar na Billboard Hot 100. 


16. “Walking In The Snow”, Run The Jewels

“Walking In The Snow”, faixa do quarto disco do Run The Jewels, representa o canto das ruas no alto e bom som das rimas de Killer Mike e El-P, que gravaram a música meses antes do mundo conhecer os nomes de George Floyd, Breonna Taylor e tantos outros injustiçados pela violência policial.

Ainda assim, os rappers descrevem a realidade em versos perfeitos até demais, entre eles algumas das rimas mais certeiras de Killer Mike: “And you so numb, you watch the cops choke out a man like me, until my voice goes from a shriek to whisper: ‘I can’t breathe’”.


15. “Rain On Me”, Lady Gaga e Ariana Grande

O tão esperado álbum de Lady Gaga, “Chromatica”, trouxe a primeira parceria entre a cantora e Ariana Grande. “Rain On Me”, que faz analogia a lágrimas sendo chuva, te faz pular e dançar na esperança de dias melhores. Apesar da faixa ter sido escrita anteriormente, o otimismo das artistas em “Rain On Me” tem sido trilha sonora para muitas pessoas durante o período da pandemia, destacando-a como um dos melhores singles do ano. 


14. “Dynamite”, BTS

É inegável o poder que o BTS detém e o ano de 2020 só deixou isso mais claro. “Dynamite” é aquela música que você só precisa ouvir uma vez para ficar com vontade de ouvir mais dez. O single, que é o primeiro em inglês do grupo, conquistou o topo da Billboard Hot 100 pela primeira vez na carreira da banda e, também, a primeira indicação ao Grammy. Apesar de serem grandes realizações, essas são apenas algumas das inúmeras conquistas do grupo que, com certeza, é um marco na história do k-pop.


13. “Heat Waves”, Glass Animals

Consolidando cada vez mais seu nome no mercado indie pop, Glass Animals apresentou “Heat Waves” como o quarto single de seu último disco, “Dreamland”. A música entrou na trilha sonora do jogo FIFA 21, muito conhecido por suas ótimas seleções musicais, e desde então seus números têm aumentado cada vez mais – o maior crescimento entre todas as canções do disco. Uma pegada mais melancólica e apaixonada é o que marca esse candidato a um dos melhores singles de 2020.


12. “Cardigan”, Taylor Swift

2020 marcou um novo recomeço para Taylor Swift. De surpresa, a cantora lançou dois dos discos mais emblemáticos do ano, revelando o lado mais sentimental e intimista de sua música até então em cada composição de “Folklore e “Evermore”. Com letras ainda mais pessoais e faixas mais voltadas ao folk, Taylor deu luz a algumas das canções mais tocantes do ano  – entre elas “Cardigan”, um dos melhores singles do ano.

A música não só nos introduz ao novo estilo da cantora, mas também traz consigo uma das composições amorosas mais ricas e sinceras de Taylor, cada vez mais consolidadas entre as maiores escritoras da indústria. Faixas como “Cardigan” apenas comprovam sua excelência em criar sucessos e contar histórias de diferentes maneiras, seja sob várias camadas de som ou na solitária companhia de um violão ou de um piano.


11. “Good News”, Mac Miller

A morte de Mac Miller em 2018, vítima de uma overdose, deu um fim prematuro e triste a uma das carreiras mais promissoras do hip-hop. Em homenagem à sua despedida, foi lançado em janeiro o álbum póstumo “Circles”, a grande obra-prima do rapper que eterniza seu talento na forma de algumas das suas melhores canções.

“Good News”, o primeiro single do disco, é uma das faixas mais sentimentais e transparentes já gravadas pelo artista, representando a busca por positividade e destacando o canto de um Mac Miller em paz, presente em grande parte do projeto. Trazendo uma mensagem mais necessária do que nunca, a música e o álbum honram com dignidade a memória de uma das mentes criativas mais inquietas da nova geração.


10. “Adore You”, Harry Styles*

Desde que deu início à sua carreira solo, Harry Styles não cansa de nos surpreender. Enquanto seu trabalho homônimo de estreia reuniu as principais influências para a sua formação artística, seu mais novo disco, “Fine Line”, revela ao mundo um pop autêntico e refinado que até então desconhecíamos depois de tantos anos acompanhando o cantor.

Entre tantas canções marcantes presentes no trabalho, “Adore You” foi um dos grandes acertos de Harry na escolha de singles. A música rapidamente se tornou um dos grandes sucessos da carreira do britânico e é um reflexo do novo momento de sua carreira, consolidando-se cada vez mais como um dos maiores hitmakers da atualidade sem sucumbir ao genérico.


9. “Savage”, Megan Thee Stallion e Beyoncé

“Savage” é o grande feito de Megan Thee Stalion em 2020. A música alcançou um sucesso estrondoso através do TikTok, onde conta com mais de 28 milhões de vídeos criados. A coreografia cativante que mesclou a dança com pegadinhas foi o ponto-chave para transformar a música em um grande hit. 

Não só isso, a música ainda ganhou a benção e participação de Beyoncé, que ajudou a garantir um primeiro lugar na Billboard Hot 100. A música abriu caminho para o tão aguardado primeiro álbum de Megan, “Good News”, que foi lançado recentemente e logo ganhou a atenção do público. Sua apresentação na premiação do Apple Music foi uma das mais comentadas deste final de ano e não deixam dúvidas: Megan, assim como os seus gloriosos singles, com certeza veio para ficar.


8. “Ooh La La”, Jessie Ware

Jessie Ware transformou o estúdio em uma verdadeira discoteca para gravar o seu novo álbum de estúdio, “What’s Your Pleasure?”. Com fortes influências da música disco dos anos 80, a cantora deu vida a um dos discos mais elegantes e dançantes de 2020, que prontamente se tornou seu trabalho de assinatura e deu início a um momento inédito de sua carreira, com o reconhecimento da crítica e de cada vez mais novos fãs.

“Ooh La La” é uma das faixas que comprovam a qualidade por trás do projeto. O single é conduzido por uma simples linha de baixo que cativa o ouvinte desde os primeiros segundos e o mergulha em uma das músicas mais marcantes do ano. Com um estilo refinado, a canção ajuda a introduzir o talento de uma das artistas mais promissoras do atual pop britânico.


7. “Say So”, Doja Cat*

Você sabe que uma música fez muito sucesso quando o apelido da cantora virou o nome de sua própria música, e Doja Cat sabe disso muito bem. A “cantora ‘Say So'”, segundo a internet, entregou um dos melhores singles do ano. Com uma pegada retrô oitentista, uma coreografia bem aproveitada e uma estética impecável, “Say So” foi um dos grandes destaques do ano.

A canção não só garantiu o primeiro lugar da Billboard Hot 100, como também teve mais de 17 milhões de vídeos criados no TikTok e mais de 1 bilhão de streams acumulados em todas as plataformas. A música foi a responsável por levar a carreira de Doja Cat para um outro patamar e transformar o disco de 2019, “Hot Pink”, em um dos mais escutados do ano.


6. “Bad Decisions”, The Strokes

Carregar o título de “salvadores do rock” logo ao início da carreira é o maior dos fardos que o The Strokes carrega há quase duas décadas. Desde seu histórico disco de estreia de 2001, “Is This It”, a banda sempre foi cobrada para manter o mesmo pioneirismo nos seus próximos lançamentos –  algo que nunca se repetiu, embora Julian Casablancas e companhia tenham, de fato, renovado o rock do século XXI.

Após tantas complicações e dificuldades ao longo dos últimos anos, o novo álbum de estúdio do grupo, “The New Abnormal”, resgata a essência de suas origens e eleva o quinteto de Nova Iorque ao nível mais próximo de seu auge. Entre as nove faixas do trabalho, “Bad Decisions” talvez seja a que melhor representa essa nova fase: inspirada no clássico “Dancing With Myself”, de Billy Idol, a canção remete aos tempos dourados do The Strokes, sem as grandes experimentações e invencionismos que viriam a marcar vários dos anos seguintes. Apenas o bom e velho The Strokes que conquistou o mundo e que, sim, salvou o rock.


5. “How You Like That”, BLACKPINK

BLACKPINK in your area demais! O single de comeback do girl group mais amado da internet, “How You Like That”, foi um dos maiores destaques desse ano, assim garantindo a quinta posição em nosso especial. Lisa, Jennie, Jisoo e Rosé são conhecidas por suas músicas não só cativantes, como agressivas em suas produções e com breaks impecáveis.

“How You Like That” entregou tudo isso e mais um pouco. Um clipe impecável e antecedendo o tão aguardado primeiro disco de estúdio foi o suficiente para elevar o nível de expectativa dos fãs e dos curiosos. Além de ser um dos melhores singles do ano, esta faixa é, em nossa opinião, a melhor música de k-pop de 2020.


4. “Don’t Start Now”, Dua Lipa*

Mesmo se você achar que já ouviu tanto “Don’t Start Now” que enjoou, é impossível ficar parado ao ouvir Dua Lipa cantando “if you don’t wanna see me…”. A música cheia de influências disco encaixa perfeitamente com o tema principal do álbum: nostalgia.

“Don’t Start Now” foi lançada como primeiro single do álbum “Future Nostalgia” e não poderiam ter acertado mais na escolha. A faixa alcançou a segunda posição na tabela da Billboard Hot 100, tornando-se a música de maior sucesso da artista, além de ter sido indicada a três Grammy’s. O buzz foi tão grande que, apesar de ter sido lançada em novembro de 2019, é provável que, se você ligar a rádio agora, a música esteja tocando em três estações diferentes.


3. “WAP”, Cardi B e Megan Thee Stallion

Em meio a todo o caos do coronavírus, “WAP” era exatamente o escapismo que o mundo precisava. Quando tornava-se cada vez mais difícil se entreter com algo leve, Cardi B e Megan Thee Stalion chegaram com a música mais explícita (e divertida) dos últimos tempos.

Com o conservadorismo ganhando espaço, “WAP” não é só mais um escapismo, mas, também, é uma declaração de duas artistas poderosas se posicionando e acabando com a imagem puritana imposta às mulheres. 

Não é a toa que “WAP” recebeu 93 milhões de streams na sua primeira semana e imediatamente alcançou o topo da Billboard Hot 100. A música é um sucesso nas paradas, nas redes sociais, nas rádios e, com certeza, será lembrada como um dos melhores singles da década.


2. “Watermelon Sugar”, Harry Styles*

“Watermelon Sugar” é a música mais bem-sucedida da carreira de Harry Styles. Segundo Harry, a música fala sobre o sentimento inicial de empolgação que você sente quando está conhecendo alguém, e é exatamente o que a canção transmite ao ouvi-la. “Watermelon Sugar” é daquelas músicas que você ouve e sente vontade de viver um romance de verão.

O single chegou ao primeiro lugar na Billboard Hot 100, conquista que nem o One Direction havia alcançado, além de uma indicação ao Grammy de “Melhor Performance Pop Solo”. Eleito o “Clipe do Ano” pela Billboard, o vídeo de “Watermelon Sugar”, um dos responsáveis pelo sucesso da música, começa com uma mensagem poderosa em tempos de distanciamento social: “Esse vídeo é dedicado ao toque”.


1. “Blinding Lights”, The Weeknd*

Hoje em dia, há pouquíssimos artistas na indústria musical tão talentosos e versáteis quanto The Weeknd. Em cada fase de sua carreira, o cantor procurou renovar sua música a partir de novas influências e explorando diferentes gêneros, sem jamais se sentir confortável dentro de um só universo. Em 2020, Abel Tesfaye não só desfruta de uma das melhores fases de sua carreira com “After Hours”, como também se consolida como um dos nomes definitivos da nossa geração.

“Blinding Lights”, incontestavelmente o grande sucesso musical de 2020, é o mais claro exemplo da excelência do canadense em criar hits cada vez maiores e melhores. Inspirado no new wave e na música disco dos anos 80, a canção é um hit instantâneo no qual cada um de seus elementos se encontram em perfeita sintonia: os fortes vocais de Abel, o ritmo acelerado das batidas e a incrível harmonia dos teclados, entre tantas outras influências presentes aqui e ali, compõem o melhor single da carreira de The Weeknd até o momento.

Ainda que em milhares, somente os números não são suficientes para mensurar o patamar que o cantor alcançou como artista em sua nova era. Entre dezenas de prêmios conquistados ao longo do ano e um merecido espaço no show do intervalo do Super Bowl de 2021, The Weeknd provou mais uma vez ter um talento digno do sucesso que o persegue — um talento que nem mesmo a vista grossa do Grammy pode ofuscar.


OBS: A lista foi definida a partir dos seguintes critérios: opinião dos redatores; e opinião da crítica especializada.


Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!