The 1975: "Somebody Else", a quarentena, as emoções e a solidão

A videografia do The 1975 carrega vários clipes criativos como singles, e “Somebody Else” é destaque entre eles. O vídeo, lançado há quase quatro anos, é um compilado de boa estética, uma canção chiclete e uma reviravolta no final. Além disso, pode trazer uma metáfora significativa aos dias atuais.

Produzido pelo diretor Tim Mattia e lançado como faixa promocional do disco “I Like It When You Sleep…”, o curta carrega uma representação do isolamento humano. Nesse sentido, ao invés de se atentar só ao “isolamento = quarentena”, dá para ir um pouco adiante.

“Somebody Else” é uma viagem aos pensamentos do vocalista Matty Healy, e como o cantor usou a arte para dar aparência ao sentimento de solidão.

O clipe começa com três minutos em preto e branco, simulando um filme antigo. Nele, Matty representa dois personagens, e um deles permanece imóvel durante toda a cena.

Aqui, há um contraponto de situações: o lado do ser humano que age para fazer suas tarefas, e o outro que permanece estático. Ambos chamam a atenção, mas trazem reações diferentes.

No caso, o trecho inicial é melancólico, apesar dos áudios de risadas ao fundo (imitando uma série de comédia americana). É como se as duas figuras, mesmo com ações distintas, estejam presas num cenário sem vida; e pode servir como exemplo para a mente humana, que tem picos de felicidade e tristeza, momentos bons e ruins.

Matty Healy, vocalista do The 1975, no clipe de "Somebody Else". Matty aparece num cenário preto e branco, e com um clone de si mesmo. Os dois estão sentados num sofá, encarando o chão.

Conforme “Somebody Else” de fato começa no vídeo, o frontman do The 1975 encara outra realidade: a desconexão com a rotina do mundo real, ao se relacionar com outras pessoas. A partir desse ponto, Matty passa por uma espécie de batalha consigo mesmo, com o que é ou não verídico, e com seus próprios medos. De forma mais direta: o medo de estar sozinho.

The 1975 & a solidão onipresente em “Somebody Else”

Os minutos seguintes da produção mostram Healy perambulando pelas ruas de uma cidade, encontrando grupos e interagindo com eles. Porém, o foco está nos pontos principais do enredo: as figuras femininas do clipe. “Somebody Else” é, na verdade, uma canção sobre o fim de um relacionamento, e os impactos disso.

As mulheres estão ali, ao mesmo tempo que não estão. Na verdade, elas são frutos da mente de Matty: memórias afetivas que o personagem do cantor guardou. No final do clipe, é revelado que a presença das ex-namoradas é uma ilusão, e que na verdade Healy está lidando com a própria solidão.

Dessa forma, é visto que “Somebody Else” fala a respeito do “luto” ao deixar uma pessoa após uma relação. Expandindo isso para algo mais abrangente, podemos pensar sobre a ausência física das pessoas no período de isolamento. E indo mais a fundo, como milhões de seres humanos estão lidando com o distanciamento social para se sentirem menos sozinhos.

O afeto faz parte de todo mundo, e a falta dele pode se acentuar nessa época tão singular da realidade. Semanas e semanas com nós mesmos, tentando se adaptar à uma nova rotina, pode não ser fácil para todo mundo.

Além disso, lidar com a própria cabeça durante um período de adaptação tão brusco deve ser levado com cautela e atenção. Nesse contexto, quadros de certas doenças podem se agravar, e todo cuidado é necessário.

A depressão durante o isolamento social

De acordo com uma pesquisa feita pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro, os casos de depressão cresceram durante a quarentena. No caso, o estudo fez um levantamento com mais de 1.400 pessoas do Brasil, e chegou à conclusão de que os quadros da doença aumentaram em 90%.

Os dados foram coletados no início da pandemia aqui, e a pesquisa seria refeita em “ciclos de estudos”. Nas palavras de Alberto Filgueiras, coordenador da pesquisa na universidade, a mudança radical de hábitos é bastante prejudicial àqueles que já se adequaram às próprias rotinas:

“Esse período da quarentena não é o momento de mudar seus hábitos radicalmente. Isso pode gerar ainda mais angústia. Respeite seu estilo de vida e seus limites”.

Apesar dos resultados da pesquisa em específico terem sido publicados em maio, a depressão e a ansiedade sempre existiram; e podem ainda ter aumentado nos últimos quatro meses de quarentena no país.

Nas palavras do psicanalista Ronaldo Coelho, “esse é um período de luto coletivo em que é preciso ressignificar as necessidades da vida”. Com isso, a incerteza diante do futuro é presente nos pensamentos de muita gente.

A ansiedade também se insere no contexto, e pode agravar os quadros já existentes de cada um. Nisso, as pessoas que sofrem com estes e outros transtornos sentem as consequências da quarentena com maior intensidade.

Portanto, as relações sociais são importantes em épocas tão duvidosas e estranhas, e inéditas ao mundo. A presença das pessoas na vida de cada indivíduo pode ajudar muito, principalmente quando há um diálogo, e uma relação estabelecida.

Assim, “Somebody Else” do The 1975 serve como um retrato da estranheza que ronda todos nós hoje, e mostra que cada pessoa está lutando sua própria batalha contra a solidão.

Como encontrar ajuda?

Justamente por causa da quarentena, muitos consultórios estão atendendo pessoas de forma remota, pela web. Entretanto, o Centro de Valorização da Vida (CVV) está disponível com apoio gratuito. O CVV garante sigilo no contato, e pode ser acessado por chat ou por e-mails, 24 horas por dia.

Fora isso, o Instituto Vita Alere criou um mapa de saúde mental que auxilia na procura por atendimentos online. O projeto foi feito em parceria ao Google, e pode ser encontrado aqui.

Procurar ajuda é sempre o essencial. Buscar apoio e compreensão de conhecidos de confiança, e de um profissional da área, são os primeiros passos para lidar com esta batalha tão íntima e individual. Cada pessoa é capaz de entender as próprias emoções, mas o auxílio daqueles que potencialmente estão ao seu lado é bem-vindo.

______

“Somebody Else” faz parte do disco “I Like it When You Sleep, For You Are So Beautiful Yet So Unaware Of It”, divulgado pelo The 1975 em 2016. O álbum pode ser ouvido logo abaixo:

Alguns direitos reservados / 2013 - 2017.
Desenvolvido por Lucas Mantoani.