O OutroEu lançou nesta sexta-feira (28) o mais novo EP do duo. “Encaixe” é o primeiro trabalho após 2 anos de lançamento do primeiro álbumOutroEu“. Além disso, em 2017 eles ainda contavam com mais dois integrantes e eram uma banda.

Desde que o OutroEu participou do reality show Superstar, eles vem conquistando vários fãs pelo Brasil. Desse modo, o EP “Encaixe” é um dos trabalhos mais esperados pelo duo. O material conta com 5 músicas que segundo Mike Tulio e Guto Oliveira realmente se encaixam. Ouça:

Não Olha Assim Pra Mim” foi a música escolhida para ser o lead single, mas não para por aí. Já que teremos até clipe para a faixa. Assim como os vídeos oficiais do primeiro álbum, “OutroEu”, o clipe de “Não Olha Assim Para Mim” segue o conceito do “Encaixe”.

A convite da Universal Music o Tracklist bateu um papo com os meninos. Assista ao clipe e confira a entrevista abaixo:

Entrevista com OutroEu

Muita coisa mudou desde que vocês lançaram o primeiro álbum “OutroEu” em 2017. Vocês eram uma banda e viraram um duo. O que vocês tiram de negativo e de positivo nesses dois anos?

Foi um aprendizado assim surreal esses dois anos. A gente ficou um tempo pensando, meio meditação constante durante um ano (risos). A gente amadureceu muito, a gente se entendeu, a gente entendeu que o formato que a gente sempre sempre foi o que era pra ter sido.

Antes do Superstar a gente ficou dando um rolê gigantesco. A gente tocava em bar com 17 anos e no Superstar a gente tinha acho que 25 já. E foi tipo um rolê gigante. Assim que a gente fez o rolê inteiro, no final a gente chegou e falou “cara, é isso mesmo”.

Lições mesmo a gente teve várias. Mas a melhor delas assim que a gente aprendeu mesmo é você sentir que vai mesmo, vai no sentimento. Tem uma fase que você quer ou você não acredita e acaba desolando um pouco. Então a maior lição é a gente fazer o que a gente acredita mesmo e ir atrás. E a gente aprendeu muito nesse período, foi muito enriquecedor pra gente.

No clipe de “Não Olha Assim Pra Mim” tem uma cena em que o corpo de vocês dois está no mesmo plano. Para divulgar o single vocês postaram no Instagram uma foto e utilizaram um espelho para revelar o nome do single. Por fim, a capa do EP reflete vocês dois. Qual o significado disso?

É mais pelo nome do projeto OutroEu que acaba refletindo o duo e o momento da gente se encaixar nas ideias. E acaba que na capa você consegue visualizar um encarte do “”OutroEu”. Os momentos de vida, as coisas foram convergindo pra gente estar juntos do jeito que está agora.

Como foi o processo de composição do “Encaixe” e as inspirações musicais?

Foi um ano e pouco compondo, eu (Guto) e Mike a gente pegou pra fazer muita música nesse processo que a gente ficou sem essa coisa de lançar e tal. A gente ficou fazendo uma seleção de músicas pro lançamento até que a gente chegou em cinco músicas que conversavam bastante entre si e percebemos que elas meio que se encaixavam.

E acabou que como tem a faixa que chama “Encaixe” a gente quis intitular o EP e ia condizer com tudo o que a gente tá vivendo. É meio que um trabalho entre o que as músicas estão pedindo e o que a gente tá vivendo.

E a inspiração vem muito deu uma coisa experimental que a gente quis trazer sem perder a essência do nosso primeiro álbum, sem perder essa brasilidade, uma coisa mais suave, então essa foi uma das inspirações que a gente buscou e trouxe para as faixas. E produzi-las foi algo incrível pra gente. Uma das melhores coisas que a gente já fez, foi muito maneiro.

“Melodia do Arpoador” e “Sem Você Não Falta Nada” são as músicas mais animadas do EP. Já “Encaixe”, “Me Beija” e “Não Olha Assim Pra Mim” são mais lentas. Pensando em uma próxima turnê, como vocês esperam que os fãs vão reagir e qual vocês acham que vão gostar mais de tocar?

Nossa, a gente já está fazendo a montagem do show novo. A gente vai fazer uma turnê nova, Rio e São Paulo já tem data, se quiser pode até anotar (risos). Vamos fazer a estreia dessa turnê dia 26 de julho no Theatro NET no Rio e dia 01 de setembro na Casa Natura em São Paulo. A gente vai rodar o Brasil.

E não sabemos qual a galera vai curtir mais, mas acredito que a “Melodia [do Arpoador]” vai ser um ponto alto por ter essa interação, talvez um pouco mais com o público e por ela ser mais animada. A gente já tá na vibe pro show e mesmo que as outras quatro tenham uma vibe um pouco mais lenta, acho que todas vão entrar em uma unidade pro show.

Recentemente vocês fizeram parte do line-up do Festival Nave. Se vocês pudessem montar um Festival do OutroEu, quais seriam os artistas convidados?

A gente faria um Nave 2 (risos). Com certeza entraria um pouco dessa galera, todo mundo é muito amigo. Eu acho que essa galera que estava no Nave estaria no nosso festival.

Vocês lançaram “Outrória” com Anavitória para o disco delas “O Tempo É Agora”. Recentemente o OutroEu participou do show de dia dos namorados em Curitiba. Podemos esperar por mais frutos dessa parceria? Mas dessa vez no álbum de vocês?

Acho que vai demorar essa parceria (risos), não vai rolar essa parceria dessa vez. Acho que no álbum a gente ainda não sabe se vai rolar, mas acho que com as meninas a gente já tem ali gravadinho “Outrória” e acho que já foi. Mais pra frente quem sabe.

Além de Anavitória, nesse mês vocês lançaram “Arroz com Feijão” com a Nina Fernandes, qual a melhor parte de criar algo e cantar com outro artista? E o mais importante, o que vai por cima, arroz ou feijão?

(Risos) Cara, acho que eu não tenho uma preferência, eu já me peguei botando arroz por baixo e depois botando o arroz por cima. Eu fazia arroz sempre por cima, mas agora é misturado. Mas sobre a parceria, é muito legal. Além de fortalecer a cena, você acaba fazendo uma troca, uma coisa que você sente se coloca na vibe da pessoa.

Você tá fazendo uma música ali junto e é meio que uma alquimia mesmo, você bota um aqui e vê o resultado. Não é que é um aprendizado em si, mas a música que gente fez foi realmente um aprendizado.

Mike, ano passado a Ana Caetano postou um vídeo seu cantando “Vilarejo” da Marisa Monte, se você pudesse escolher um Tribalista para compor com o OutroEu qual seria? Guto, a gente sabe que rola uma zoeira com a sua aparência, então você escolheria o Drake ou o Dilsinho?

Mike: Nossa, meu Deus! Não pode os três, não né? Um de cada vez. Acho que a Marisa, mas a gente já pensou até no Arnaldo, em fazer um convite assim pra fazer alguma coisa. A gente ama muito eles.

Guto: É engraçado essa pergunta porque sempre perguntam com quem a gente faria algo, mas com os Tribalistas… É uma galera que a gente faria qualquer coisa. A gente curte muito as canções e esse álbum novo do Tribalistas remete muito o que a gente às vezes vê na OutroEu, mas Mike, responde.

Mike: Eu acho que a Marisa, eu combino mais com a Marisa. Se fosse o The Voice eu escolheria a Marisa (risos).

Guto: (Risos) Essa é complicada, o número 1 do Spotify no mundo, o cara número 1 o Drake, sou mega fã. Eu não conheço o Dilsinho, mas eu ouço falar dele há muito tempo. Eu tocava no bar e ouvia o pessoal falar “pô, você parece o Dilsinho” e eu ficava “quem é esse cara?” e descobri ele. Mas acho que pelo atual momento e pela cena brasileira eu iria no Dilsinho (risos).

Comentários

Mais lidas
Alguns direitos reservados / 2013 - 2017.
Desenvolvido por Lucas Mantoani.