savage remixes charts

“Savage” e mais 5 remixes que bombaram nos charts

Os remixes são sempre visados pelos artistas como uma forma de impulsionar suas canções para que elas possam dominar os charts.

Por em 2 de fevereiro de 2021

Quando uma música é lançada, espera-se que a reação do público seja de aceitação e curtição sobre tal trabalho. Entretanto, há canções que são necessárias ganhar uma nova versão para poder finalmente fazer parte da vida do público.

Assim aconteceu com inúmeros remixes que alcançaram o topo dos charts após seus lançamentos. De “Savage” a outros, conheça essas famosas faixas!

1. “Savage (remix)” – Megan Thee Stallion feat Beyoncé

Lançada antes por Megan Thee Stallion em formato solo e presente no seu EP Suga, “Savage (remix)” foi o primeiro #1 na Billboard Hot100 da rapper e contou com a icônica participação de Beyoncé. A faixa tornou-se o sétimo #1 da voz de “Halo” e já contabilizou mais de 250 milhões de streamings no Spotify.

savage remixes charts
Foto: reprodução/Instagram

Além do charts, a música conquistou novos feitos ao ser indicada em três categorias do Grammy. Logo, sendo essas, Melhor Apresentação de Rap, Melhor Música de Rap e Canção do Ano.

As artistas informaram que todos os lucros da música foram doados à fundação Bread of Life, para ajudar os habitantes de Houston, a cidade natal de Beyoncé e Megan, durante a pandemia do novo coronavírus.

2. “Say So (remix)” – Doja Cat feat Nicki Minaj

A vez de termos duas rappers negras no charts da Billboard aconteceu em 2020. Afinal, presente no álbum Hot Pink, a faixa de sucesso de Doja Cat obteve grandes nas duas versões. Porém, a entrada no charts como o primeiro líder da parada musical deu às duas artistas os primeiros #1 de suas carreiras.

Estimulando sua ascensão, o remix com Nicki Minaj foi lançado à meia-noite do dia 1º de maio. Além disso, um vídeo oficial de dança para a música e um clipe estreou em 2 e 4 de maio, respectivamente.

Enquanto Doja Cat comandava a Hot 100 com sua terceira entrada, Nicki liderava com seu 109º. Esse é o tempo mais longo que uma artista no topo da lista Hot 100 teve que esperar por um primeiro Nº 1.

3. “Levitating” – Dua Lipa feat DaBaby

A música que faz parte do segundo álbum de estúdio de Dua Lipa foi o quinto single promovido do Future Nostalgia e se igualou em 3 semanas a “New Rules” como o seu segundo melhor pico, alcançando a sexta posição na Billboard Hot 100.

“Levitanting” havia recebido uma nova versão com Madonna e Missy Elliott no álbum de remix Club Future Nostalgia. Entretanto, o material não foi bem recebido pelo público, que alegou ter soado diferente da versão original.

Sendo assim, Dua Lipa se permitiu mais uma vez a trabalhar em um novo remix da canção, mas agora com o rapper DaBaby, atualmente estourado no cenário do rap. Então, em outubro, a parceria, juntamente com um videoclipe, foram disponibilizados. Finalmente, o remix agradou o público e se mantém em ascensão nas plataformas.

No dia 4 de junho, a faixa remixada teve sua estreia na Billboard Hot100.

Durante as semanas desde sua primeira entrada, a versão com o rapper permaneceu crescendo. Hoje (2), a faixa se encontra na 5ª posição, feito esse que ultrapassou “New Rules”, tornando-se então a segunda melhor posição na carreira musical da britânica – perdendo apenas para o hit “Don’t Start Now”, que atingiu o 2ª lugar da parada.

4. “34+35” – Ariana Grande feat Megan Thee Stallion e Doja Cat

A canção trabalhada como segundo single da era Positions teve sua entrada como música solo nos charts da Billboard em 9 de novembro, estreando na oitava posição. Porém, o melhor pico da faixa se deu com o remix lançado em janeiro deste ano com as duras grandes rappers do momento, Doja Cat e Megan Thee Stallion.

Assim, a versão em remix de “34+35” estreou direto no segundo lugar da lista. A faixa ainda não possui clipe, mas já contabiliza mais de 28 milhões de streamings no Spotify desde de seu lançamento, no dia 15 de janeiro.

O material estará presente na versão deluxe do disco Positions, anunciado nessa última segunda-feira (1) e que contará com mais quatro novas músicas.

5. “Despacito (remix)” – Luis Fonsi, Daddy Yankee feat Justin Bieber

O sucesso monstruoso de “Despacito” manteve seu triunfo ainda maior com a participação de Justin Bieber. A música de Luis Fonsi e com participação de Daddy Yankee se tornou a primeira canção latina, com letra basicamente em espanhol, a permanecer na primeira posição da playlist das 50 mais Tocadas no Mundo do serviço de streaming Spotify.

O áudio do remix teve a maior estreia musical de 2017 no YouTube, segundo o próprio site. Em apenas 24 horas, a nova versão do reggaeton chegou ao topo das paradas, obtendo aproximadamente 20 milhões de visualizações em todo o mundo.

O 1ª lugar na Billboard conquistado por Luis Fonsi e Daddy Yankee com a versão remixada com o artista canadense fez eles terem sua primeira aparição no topo da parada americana. A canção se manteve por 16 semanas como líder do chart.

Assim, o remix de “Despacito” se tornou a primeira música em espanhol a dominar a lista desde “Macarena”  da dupla sevilhana Los Del Río, em 1996.

6. “Cheerleader (Felix Jaehn remix)” – OMI

O house tropical no topo das paradas foi um grande acontecimento no ano de 2015, pois o remix feito pelo DJ alemão Felix Jaehn na canção do cantor jamaicano OMI atingia o primeiro lugar na Billboard Hot100.

A música, que conseguiu destronar o sucesso mundial “See You Again” de Wiz Khalifa feat Charlie, foi um marco para o retorno do reggae nos charts mundiais.

Com cinco semanas a mais para “Cheerleader”, OMI ostentou o poder de ser o reggae líder mais antigo na Hot100 por um homem solo em mais de 22 anos. O último reggae de solo masculino a reinar por mais tempo? “Informer” de Snow, que durou sete semanas em março-abril de 1993.

E você? Curte também um bom remix? Então conta pra gente qual é o seu favorito!


Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!