bum bum tam tam

“Bum Bum Tam Tam” e outras músicas que bombaram em fatos marcantes

“A vacina saliente que vai curar ‘nós’ do vírus e salvar muita gente”

Por em 23 de janeiro de 2021

Na quinta-feira, 7 de janeiro, o Instituto Butantan anunciou que a CoronaVac, vacina desenvolvida contra à Covid-19, possui 78% de eficácia em casos leves e 100% em casos graves. Após o comunicado, todas as redes sociais se mobilizaram para celebrar a primeira vacina no Brasil com o hit “Bum Bum Tam Tam” do MC Fioti.

Por Isabela Berrogain e Yan Victor

bum bum tam tam
Foto: Reprodução/KondZilla

O refrão da música foi usado pelos usuários como uma alusão ao instituto que está produzindo a vacina. Nele, o MC Fioti canta: “vai com o bum bum tam tam, vem com o bum bum tam tam”.

Videoclipe original de “Bum Bum Tam Tam”

A repercussão da canção na internet foi estrondosa e o MC, em suas redes sociais, chegou a prometer uma nova versão da música como um tributo à vacina.

É a vacina envolvente que mexe com a mente de quem tá presente, a vacina saliente que vai curar nós do vírus e salvar muita gente

Trecho da nova versão da música

“Vacina Butantan – Remix Bum Bum Tam Tam” já está disponível

O videoclipe da nova versão foi lançado nesse sábado (23) e, em suas primeiras horas, já ultrapassava as 100 mil reproduções no YouTube. Em entrevista ao portal G1, Fioti disse: “Eu escrevi e produzi novamente sozinho”.

“Foi uma sensação de honra em participar disso. Para trocar a letra não foi muito difícil, porque eu só adaptei para a vacina. Estou feliz de poder ajudar a nossa população através da música”, concluiu o cantor.

Outras músicas que voltaram a bombar em fatos marcantes no mundo

“Ding-Dong! The Witch is Dead” – O Mágico de Oz

“Ding-Dong! The Watch is Dead” não havia sido relançada, nem regravada por um artista popular.

A versão original, de Judy Garland do clássico “O Mágico de Oz”, que celebra a morte da bruxa malvada, alcançou a posição #1 no iTunes do Reino Unido e vendeu quase 30.000 cópias graças a uma campanha online que celebrava a morte da primeira-ministra britânica, Margaret Thatcher.

Em abril de 2013, Thatcher morreu de derrame aos 87 anos.

Muitas pessoas lamentaram, enquanto outras culpavam Thatcher por polarizar o país, reprimindo violentamente sua oposição e perseguindo políticas que aumentaram a desigualdade.

“Do You Hear The People Sing?” – Les Misérables

Em junho de 2019, as ruas de Hong Kong entoaram “Do You Hear The People Sing?” do musical Les Misérables, enquanto centenas de milhares de manifestantes ocupavam as ruas.

No filme musical, a música retrata a rebelião nas ruas de Paris do início do século 19. Em Hong Kong, ela foi cantada perto da sede da polícia na tarde e amplamente compartilhada nas redes sociais.

Os protestos ocorreram devido à uma proposta de lei de extradição, mas se expandiram para incluir demandas por um governo mais democrático e outras queixas.

“Party in the USA” – Miley Cyrus

“Party in the USA” foi lançada em 2009 e voltou ao ranking das músicas mais tocadas do iTunes nos Estados Unidos ao fim do ano passado devido às comemorações após a vitória de Joe Biden contra Donald Trump.

Após os principais veículos de comunicação afirmarem que Biden havia vencido Donald Trump nas eleições presidenciais, uma conta não oficial com o nome do presidente eleito escreveu: “Vá comemorar! Ouça ‘Party in the USA’ de Miley Cyrus”.

Fãs de Miley Cyrus começaram a tuitar vídeos em prédios em diversos lugares dos Estados Unidos enquanto entoavam a música em comemoração.

“Freedom” – Beyoncé

Durante um protesto em prol do Black Lives Matter em Los Angeles, Amber Riley trouxe à tona a música “Freedom”, do álbum “Lemonade” de Beyoncé.

A estrela de Glee compartilhou no Instagram um vídeo dela com um megafone e cantando uma poderosa versão da canção. “Estou dizendo a essas lágrimas, ‘Vou cair, cair fora'”, ela cantou, enquanto a multidão aplaudia. “Que o último queime em chamas.”

Riley então encorajou os outros manifestantes pacíficos a se juntarem ao coro, cantando: “Liberdade! Liberdade! Eu não consigo me mover. Liberdade, me solta!”

“Where Is The Love?” – Black Eyes Peas

A letra de “Where Is The Love?”, hit de 2003 do grupo Black Eyed Peas foi adaptada aos novos tempos. Usada por Joe Biden, em parceria com o grupo, para sua campanha na corrida presidencial, ela reivindica união, amor, paz, saúde e muitas outras coisas que os últimos quatro anos parecia ter levado.

Versão original de “Where Is The Love?”

A nova versão foi disponibilizada a poucas semanas das eleições. A nova versão, que voltou intitulada “The Love”, inclui parte do discurso que Joe Biden fez na Convenção Nacional dos Democratas em agosto passado.

Além disso, a nova versão contou com a colaboração da atriz e cantora Jennifer Hudson.

Nova versão da canção

Conhecia essas músicas? Sabia que elas haviam voltado a bombar por causa dos fatos que marcaram o mundo? Quais músicas esquecemos de mencionar nessa lista? Comenta conosco no nosso Twitter.

Leia também: Tópicos abordados em protestos antirracistas se tornam músicas; confira


Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!