in ,

Entrevista: Larissa Manoela e MC Zaac falam mais sobre “Tenho o Poder”

Os cantores se divertiram ao escolher qual superpoder gostariam de ter

Foto: Manuela Scarpa/Divulgação

Apostando cada vez mais em sua carreira musical, Larissa Manoela lançou recentemente seu feat com MC Zaac. Intitulada “Tenho o Poder”, a canção traz uma batida envolvente e letra sobre empoderamento, além de um clipe com efeitos especiais. Em conversa com o Tracklist, os cantores contaram mais sobre o processo criativo, qual superpoder gostariam de ter e Lari até dedicou a música para uma personagem de “Além da Ilusão”!

Leia a entrevista com Lari Manoela e MC Zaac na íntegra:

Tracklist: Essa é a primeira colaboração de vocês. Como foi o processo criativo entre os dois?

Larissa: Zaac já tinha uma vontade de trabalhar comigo e eu tinha mais vontade ainda. A gente tem um produtor musical, que é o Cabrera – um gênio, querido, manja muito dos beats. A gente já tava em trabalhos separados imaginando coisas com ele. Aí, quando a gente se encontrou no show da Sandy & Junior, falamos “bora fazer esse feat acontecer” e super topamos a ideia.

Meses depois, a gente tava lá no estúdio do Cabrera, gravando, em sintonia, vibrando por ter essa canção. E canetando, super inspirados, junto com o Breno também. Foi super bacana porque a gente tava ali na mesma energia, querendo colocar o melhor de nós nessa entrega.

Tracklist: Acredito que a música é uma mistura de diferentes gêneros musicais: funk, pop e até eletrônica. A ideia desse som era trazer essa junção?

MC Zaac: Sim, a gente tenta misturar ao máximo do que a galera espera com a minha verdade, a verdade dela. Essa procura que é bacana, como fazer algo que imaginariam ser um feat da Larissa com o Zaac. Os elementos que o Cabrera colocou, a composição do Breno, tudo se conversou. Rolou essa parada do latino, o reggaeton meio funk, meio pop, meio tudo, e trouxe essa linguagem muito gostosa. Eu gosto de falar que o estúdio, pra mim, é um laboratório porque eu sempre gosto da criação, a gente criar essa vibe. Eu vou muito na onda de sentir, todas as minhas músicas é sentindo mesmo: “Pô, é isso. Ó, mexeu o ombrinho, é essa parada mesmo, vamos que vamos”. E foi isso que rolou do processo criativo do lado sonoro mesmo.

Tracklist: Lari, não sei se é muito spoiler, mas o seu novo álbum está vindo por aí. Vai seguir essa mesma linha em questão de gênero musical?

Larissa: Sim! Eu passei por essa transição lançando no final do ano passado a “Pagou de Superado”, “Me Deixa a Milhão” e agora trazendo esse feat com o Zaac, que vem muito pra agregar nesse momento da minha carreira na música. Essa transição pra mim que é super importante, super desafiadora – passando no geral na minha vida profissional, tanto na dramaturgia quanto na música também. Então, eu trago algo que eu realmente gosto de ouvir. Eu sou muito eclética, ouço de tudo um pouco, mas acabo me identificando muito com esse ritmo que agora eu tô cantando, me apropriando, trazendo a minha personalidade e entendendo que o meu timbre também mudou.

Eu trago também uma galera que cresceu junto comigo e que gosta de ouvir esse tipo de música, de dançar – é a galera da geração do TikTok, dos challenges. Então, eu fico super surpresa, às vezes deixo eles criarem porque vem muita coisa boa deles. Acho que nada melhor do que eu seguir entendendo que esse caminho tá sendo muito positivo. Eu já tenho outras músicas gravadas, tenho muita vontade de poder dar mais spoilers pra vocês, mas vem muito aí – conciliando com a minha carreira de atriz na novela. A música tá num lugar muito especial no meu coração. Tenho vontade de retomar os meus shows também, talvez no segundo semestre quando acabar a novela porque agora sigo muito imersa nesse momento, mas em breve vem o álbum aí. A galera vai se surpreender com as letras, as batidas… Toda vez que eu escuto, eu fico ‘Caraca, sou eu mesma que tô cantando essa batida aqui?’.

Tracklist: Aproveitando que você mencionou a dramaturgia, queria trazer isso um pouquinho para a próxima pergunta. Qual personagem de “Além da Ilusão” você acha que teria “Tenho o Poder” como a música-tema?

Larissa: Ai, meu Deus! Acho que eu dedicaria à minha personagem Isadora, mas acho que todas as mulheres. A gente tá falando de mulheres muito poderosas. Eu acho que a anfitriã dessa casa, que é o reflexo das mulheres dessa novela e principalmente da Isadora que tá ali dentro e criada por essa grande mãe. Acho que é a Violeta, ela tem a cara de “Tenho o Poder”. Ela tem o poder de fazer tudo lá naquela fábrica, de bater de frente com o Eugênio, aquele núcleo é muito interessante.

Acho que a Dorinha é um reflexo dessa mãe, que criou ela dizendo que ela tem o poder de ser essa mulher forte e poderosa de enfrentar os seus desafios. Eu acho que é uma boa música para ser dedicada à Violeta, Isadora e as mulheres que têm o poder de serem o que elas quiserem. A gente tá falando de uma novela em que o poder feminino é muito abordado e retratado numa época em que o patriarcado tava muito forte.

Tracklist: Qual música vocês escutam e ficam com aquele empoderamento nas alturas? “Tenho o Poder” pode até estar nessa lista porque fala muito sobre isso!

Larissa: Eu gosto muito de “Tenho o Poder”, aqueles que já se apropria da música e sai cantando! Eu já uso pra fazer vários códigozinhos, agora já pego o gancho e fico usando pra divulgação da música mesmo – o que a gente mais quer é que a galera escute. Acho que quem traz muito isso é a Beyoncé, ela traz muito aquela coisa do empoderamento. Sempre que eu escuto “Who run the world? Girls!”, eu amo!

Zaac: “Tenho o Poder”, essa música fala muito sobre valorizar as mulheres do jeito que elas são, o poder que elas têm. E, cara, sabe uma música que eu gosto muito? Toda vez eu coloco até na rua para escutar e as pessoas ficam ‘Oxi’. “Girls Just Wanna Have Fun”, da Cyndi Lauper. Essa música tem uma vibe muito boa, tem esse lance da rebeldia. Pra todo mundo que ouve é libertador!

Tracklist: Pra finalizar, se vocês pudessem ter um poder, qual seria e por quê?

Mc Zaac: O de voar!

Larissa: Acho que eu gostaria de prever algumas coisas antes delas acontecerem. Então, já evitar ou falar ‘Não, vai sim’, sabe? Ia ser muito louco, né? As pessoas que são ansiosas iam sofrer com isso porque vê tudo, então já não faz não.

Leia também: Entrevista: Jão fala sobre “Turnê Pirata” e expectativas para o Lollapalooza

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

GIPHY App Key not set. Please check settings

    Loading…

    0