Semanas após seu alcance no topo do iTunes Charts com o hit Without Me, a cantora Halsey teve uma conversa bem descontraída com o Tracklist. Falamos sobre turnê, música nova, como foi cantar com o Panic! At The Disco e até um papo rápido sobre a atual situação política do Brasil.

Halsey, Ashley, ou até mesmo Mc Halsinha, como é conhecida pelos fãs brasileiros, esbanjou simpatia e deixou claro como ela é completamente dedicada a sua música e seus fãs. Acompanhe abaixo nossa entrevista com a cantora.

Entrevista por Feliphe Marinho

Tracklist: Primeiramente, nós gostaríamos de te agradecer por falar conosco! Nós somos do Brasil, e nas redes sociais seus fãs ficaram muito ansiosos com essa entrevista hoje. Você poderia mandar um recado para eles?

Halsey: Ai meu Deus, mas é claro! Avisa a eles que eu sou muito grata por eles terem sido incríveis e me apoiado nesses últimos meses de loucura com o lançamento da música nova. Acho muito importante saber que tem alguém ali contigo, que seja através da música ou das redes sociais.

Tracklist: Então, falando sobre o lançamento de Without Me, eu gostaria de te parabenizar pelo número 1 que a música alcançou nas paradas do iTunes!

Halsey: Muito obrigada!

Tracklist: De nada. Eu amo a música. Ela é incrível! Mas ainda falando sobre ela, na minha interpretação ela foi parte de uma introdução a uma história que seria continuada. Podemos esperar uma segunda parte dela ou a música foi mais como um desabafo, sem continuação?

Halsey: Então, eu acabei de lançar dois álbuns que foram poderosos demais para mim. Mas chega uma hora que você sente realmente a vibe desse seu trabalho, só que ninguém vai ouvi-lo até seis meses depois da gravação. (risos)

Você continua bem animado, cheio de emoções até terminar de gravar. Daí depois de seis meses quando todo mundo começa a ouvir e vem falar contigo sobre ele você fica tipo “hmmm, agora já faz um pouco de tempo, né?”. Acho que eles (fãs) só queiram saber como eu estou, mas desde que gravei aquela faixa eu já cresci e amadureci.

Foi então que eu me liguei que eu posso postar no Twitter ou no Instagram… mas recentemente a maneira que eu melhor me comunico é através da minha arte. Então se um fã me faz uma pergunta querendo saber como eu tô me sentindo a melhor coisa é contar a verdade a ele. Eu sei que todos eles meio que queriam saber o que estava acontecendo na minha vida, até porque eles leem muitas matérias na internet sobre mim e há muita gente falando sobre como eu realmente me sinto, exceto eu mesma. Então acho que a coisa mais honesta a fazer é gravar uma música que, mesmo que eu não esteja no momento de gravar um álbum com sei lá 15 músicas, é questão de liberdade! Porque através dessa única música posso passar o que eu to sentindo de verdade naquela hora.

Tracklist: Recentemente você cantou com o Panic! At The Disco, uma banda que sempre te inspirou. Como foi essa experiência?

Halsey: Eu sou uma super fã do Brendon há muito tempo, eu escuto desde que eu tinha tipo uns 13 anos, e eu já fui no show deles milhares de vezes! Uma vez quando eu era adolescente, quando tinha 14, 15 anos, eu conheci o Brendon e falei pra ele que eu também escrevia, e ele é tão legal, ele falou “Isso é incrível! Continue escrevendo!” e eu fiquei tipo “Ahhhhh, eu vou, pode deixar!” (risos). E então alguns anos depois, quando eu tinha 20 anos, eu tava tocando no Coachella, e liguei pro Brendon e falei “você quer vir e cantar comigo, no palco do Coachella?” e ele aceitou, veio e cantou comigo! Sabe, é um daqueles momentos onde o ciclo foi completo, porque eu pensei “Eu lembro o momento em que ele me falou pra continuar escrevendo, e eu continuei, e agora ele tá no palco comigo no meu show!”

Tracklist: Sim, é incrível!

Halsey: É muito louco! Quando eu tava no Corona (Capital Festival, no México), ele ia cantar e eu acho que ele nem percebeu que eu tinha acabado de cantar, então antes do show eu fui dar um abraço nele, e ele falou: “e se eu conseguir um microfone pra você?” e eu falei: “claro, legal!”, depois eu tava assistindo o show dele com os meus amigos, aí alguém veio e me deu um microfone, e eu fui cantar! Eu sou muito sortuda, sabe, se eu soubesse, quando era adolescente escutando a música dele, que um dia alguém me daria um microfone tipo: “Ei, quer ir cantar I Write Sins, Not Tragedies?”, e eu ficaria tipo: “Ah, com meu amigo Brendon? Oh, claro!”, parece que meio uma fanfic, mas na vida real!

E ele é o cara mais legal do mundo, tão talentoso, tão generoso comigo, e ele sempre me acolheu e apoiou muito, ele não me trata como uma louca que era fã dele, sabe… Eu acho que ganhar o respeito de um artista que você ama é uma das melhores coisas do mundo!

Tracklist: Realmente, é mesmo! E tem mais alguém com quem você gostaria de dividir o palco? Alguém que te inspira?

Halsey: Tem muitos amigos com quem eu adoraria cantar! Tipo a Ariana, eu acho que a gente se divertiria muito, e eu adoraria dividir o palco com o Imagine Dragons também! Eles estão do meu lado há um tempão, me levaram em uma das minhas primeiras turnês e eu acabei aprendendo tanto no final assistindo eles! E eu acho que bandas são incríveis, então Kings of Leon Fleetwood Mac!

Tracklist: E você também é amiga dos meninos do twenty one pilots, né?

Halsey: Sim, eu subi no palco deles uma vez! Há uns dois anos estávamos em Nova York e eu fui no show deles. Quando eu olhei pro lado, também tava a Jenna (esposa do vocalista), Hoodie Allen, Walk The Moon e a galera do Misterwives. Só artistas incríveis. A gente se divertiu muito! Eu amo eles.

Tracklist: Então, pro próximo álbum, nós podemos esperar algo que é mais sobre os conceitos, tipo o “Hopeless Fountain Kingdom” ou algo mais pessoal e íntimo como “Without Me”?

Halsey: Eu acho que vou trazer um pouquinho dos dois! Porque eu não acho que conseguiria colocar tipo 15 músicas totalmente diferentes e ficar tipo “toma aí um álbum totalmente desconexo!”, para mim, sempre tem que ter uma história, algo conectando tudo, e eu acho que o conceito vai ser um pouco menos complicado dessa vez, porque eu sempre quero manter os meus fãs engajados, e quero que eles sintam que fazem parte disso, então não quero um conceito complicado onde eles sentem que não conseguem se relacionar à história, então eu sinto que vai ser algo mais vago, que nos faça sentir confortáveis.

Tracklist: Em “Strangers”, você levanta a bandeira bisexual e LGBTQ+ com orgulho, como você se sente sendo alguém que pode falar sobre a sua sexualidade, até através da sua música?

Halsey: Eu me sinto muito afortunada de ter essa oportunidade, porque eu sempre soube que era bisexual, e eu sempre tentei entender que eu fui muito privilegiada de ter uma mãe que foi extremamente acolhedora e incrível, ela nunca me fez sentir como se eu tivesse que ligar muito pra isso, ela sempre fez isso parecer como uma escolha pessoal completamente normal, assim como escolher a minha cor ou a minha comida favorita, e significou muito pra mim ter alguém tão incrível do meu lado. Eu sei que muitas pessoas não tem uma pessoa assim do lado deles, então se eu puder validar essas pessoas e ser uma força de aceitação, já é um presente pra mim. Esse é um assunto muito delicado, mas eu fui muito criticada por “Strangers”, porque algumas pessoas falam que eu destaquei um relacionamento mulher-mulher de uma forma que era tóxica, e realmente era! Porque muitas pessoas podem ter relacionamentos tóxicos, e falar deles não é “demonizar” esse relacionamento, é só indicar que nós podemos falar sobre esses relacionamentos sem termos que parecer tão seguros o tempo todo, sem termos que nos preocupar sobre só falar de maneira positiva, e ter medo da maneira que as pessoas vão reagir, se não for. A realidade é que existem muitas pessoas em relacionamentos homoafetivos que estão lidando com as mesmas coisas que as pessoas em relacionamentos heterossexuais.

Se eu estou falando de mim, ou de relacionamentos, eu quero falar de todos os lados, e não só da parte onde eu sou a vítima e tudo está em meu favor, eu quero falar também se eu fiz algo errado, ou se eu estava em um relacionamento feio… Mas eu sei que no final tudo vai ficar bem!

Tracklist: Eu acho muito importante mostrar todos os lados de uma história, e não só o que a mídia está mostrando! Mas enfim, muito obrigado! Foi incrível falar com você, e eu espero poder te ver por aqui em breve, seus fãs daqui te amam tanto!

Halsey: Com certeza você vai! Mal posso esperar pra voltar e fazer mais shows. Eu sinto que cada vez que volto o meu público cresce e as pessoas trazem vários amigos! Eu também sei que o Brasil está passando por momentos difíceis, eu quero que os meus fãs saibam que vocês podem vir até mim através da minha música, e eu vou continuar me esforçando pra ser um bom exemplo pra eles, e nós estaremos juntos sempre!

E aí, curtiu nossa entrevista com a Halsey? Nós do Tracklist mal podemos esperar tê-la de volta no Brasil! =)

Comente abaixo o que achou e compartilhe nas redes com aquele seu amigo que também é fã.

Comentários

Mais lidas
Alguns direitos reservados / 2013 - 2017.
Desenvolvido por Lucas Mantoani.