2 de agosto de 2018 por Lucas Ribeiro.

Lorde é uma neozelandesa que em 2013, aos 16 anos, surpreendeu o mundo ao lançar seu single de estreia ‘’Royals’’, tornando-se um dos maiores sucessos do ano. A cantora fez história ao ser a pessoa mais jovem a alcançar o número #1 na Billboard Hot 100, desde 1987.

Com um estilo musical que chama atenção, Pure Heroine (2013), seu primeiro álbum, possui uma sonoridade Pop Alternativo, minimalista, experimental e com leves influências do R&B.

Talvez o motivo do seu grande sucesso, além da qualidade do seu trabalho, seja pelo fato de ter trazido ao mainstream algo novo e refrescante, com uma pegada mais alternativa e reflexiva, algo que não se via no mundo Pop há um bom tempo.

Em suas músicas, Lorde apresenta letras que falam sobre a realidade e todos os sentimentos e angústias que nós jovens temos, de uma forma bem sincera e extremamente identificável. Na letra de ‘’Ribs’’, ela clama sobre se sentir sozinha e ter medo de envelhecer, e também, em ‘’Glory and Gore’’, onde se constrói um clima sombrio que reverbera em seu timbre de voz grave e nas letras assustadoras. Essas características marcantes renderam quatro indicações ao Grammy de 2014.


Nesse caminho de sucesso, ainda em 2013, David Bowie declarou que a cantora era o futuro da música. Em 2016, Lorde prestou um emocionante tributo ao cantor após a sua morte, cantando “Life Of Mars” no Brit Awards.

É perceptível também uma mudança no cenário musical Pop e ascensão de outras artistas que seguiam sonoridades e letras similares ao da cantora, ganhando espaço nas rádios e no meio mainstream. Lorde trouxe à indústria da música diversidade e inovação com o seu Dark Pop, e mostrou que é possível ter uma carreira bem sucedida no mercado musical, com o Pop alternativo. Hoje podemos observar um cenário Pop mais versátil e com diversas ramificações e misturas de sonoridades.

Lana Del Rey que já fazia sucesso com o consagrado álbum Born To Die, em 2012, já trazia o Dark Pop/Pop alternativo em sua essência. No entanto, a rápida ascensão de Lorde fez com que o gênero se expandisse ainda mais, contribuindo para a ressignificação do cenário Pop Alternativo.

A tímida garota da Nova Zelândia que começou upando suas músicas no SoundCloud, e depois entrando como atração secundária nos palcos do Lollapalooza Brasil em 2014 hoje se tornou uma super estrela, e retomou aos palcos grandiosos, após um hiato de 3 anos, no prestigiado festival de música, Coachella em 2017.

Tove Lo, cantora e compositora sueca, em 2014, logo após da estréia de seu hit “Habits (Stay High)”, cita em uma entrevista dada à rádio PLJ de Nova York, “Eu acho que Lorde abriu várias portas para artistas femininas que escrevem suas próprias músicas (…), eu acho que ela, e outras, é claro, ampliaram o gênero Pop um pouco mais, sabe? E agora as pessoas estão mais, ‘oh deixe essa pessoas entrarem também, porque essa música ainda se enquadra na categoria Pop’, eu acho que esse Pop está se misturando um pouco mais”.

Mais tarde, em 2017, a sueca co-escreveu a música “Homemade Dynamite”, presente no segundo álbum de Lorde, Melodrama.


A cantora neozelandesa acabou servindo de inspiração e influência a diversas outras cantoras jovens, como o caso de Billie Eilish, que com apenas 15 anos, já lançou seu EP de estréia Don’t Smile at Me (2017), onde contém a música “Oceans Eyes” que fez presença na trilha sonora da famosa série 13 Reasons Why. E, com suas letras e sonoridades obscuras podemos ver a grande influência de Lorde em sua música, que já elogiou o trabalho de Billie nas redes sociais.

Diretamente ou não, várias artistas vêm ganhando maior atenção e espaço na indústria musical, como os exemplos de MØ, Allie X, Sigrid e Halsey, que fazem a música pop mas que não se enquadram naquele estilo tradicional que conhecíamos, com as divas pop que todos nós amamos. E talvez, sem o sucesso e aclamação pela crítica que Lorde recebeu, essas novas artistas não teriam alcançado o seu devido espaço na indústria musical, atualmente.

Após um hiato de 3 anos na carreira, Lorde manteve-se relevante e inovadora. O seu segundo álbum Melodrama, lançado em 2017, foi um dos mais aclamados pela critica internacional. O disco rendeu uma indicação ao Grammy 2018, na categoria de álbum do ano. Em novembro desse ano, a cantora retorna ao Brasil, após 4 anos, com um show único em São Paulo. Aguardemos e vamos conferir, ao vivo, Lorde nos presentear com sua incrível energia e as famosas danças e movimentos peculiares!

Comentários

Mais lidas
Alguns direitos reservados / 2013 - 2017.
Desenvolvido por Lucas Mantoani.