taylor swift em imagem de divulgação do album folklore, sentada e com uma trança de lado imagem ilustrativa do texto sobre taylor swift estar regravando seus álbuns

Entenda finalmente por que Taylor Swift está regravando seu trabalho

Taylor Swift está regravando seus álbuns não porque deseja, mas para recuperar o que é dela. Entenda de vez tudo por trás desse tema!

Por em 18 de fevereiro de 2021

Infelizmente, Taylor Swift tem precisado regravar seus álbuns. E apesar de trazer nostalgia para os fãs e outros benefícios para a artista essa é, sem dúvida, uma situação que a cantora não queria viver.

Taylor está regravando seus álbuns antigos porque eles não pertencem, contratualmente, a ela. Pertencem à sua antiga gravadora, a Big Machine Records, hoje comandada por Scooter Braun (desafeto de Taylor).

E por que as canções pertencem à gravadora? Simples: porque Taylor assinou um contrato.

Mas não é culpa da cantora. Na verdade, a maioria dos artistas não possuem seus masters. E, quando você quer estar na indústria, pode deixar isso de lado por um tempo.

Mas Taylor, assim como vários outros, tem reforçado a importância de os artistas serem donos da própria arte. Nada mais justo!

Mesmo assim, esse ainda é um tema que gera muitas dúvidas. Por isso, explicamos abaixo porque Taylor está regravando seus discos. Acompanhe!

Como funcionam os contratos com as gravadoras?

Basicamente, quando assina um contrato com uma gravadora, o artista se torna um funcionário da empresa. Então, a empresa paga um “salário” em troca da produção do músico.

É como acontece no nosso dia a dia. Se você produz algo no seu trabalho, aquilo pertence à empresa, porque você está sendo pago para realizar o serviço.

Então, se o artista é contratado pela gravadora, é a empresa que detém o direito dos álbuns e músicas. Não o artista que produziu as faixas.

Até por isso, a gravadora pode fazer o que quiser com o catálogo. Divulgá-lo ou não, vendê-lo (como aconteceu com o catálogo de Taylor Swift, com a venda da Big Machine).

A empresa controla os trabalhos do artista por todo o tempo estabelecido em contrato (o que costuma ser um prazo bem longo). Mas uma cláusula comum é a que permite a regravação dos materiais pelo músico, como também é o caso de Taylor.

De forma resumida, Taylor concordou com todas essas cláusulas quando assinou seu contrato.

Claro que a cantora não podia prever seu sucesso e toda a dificuldade para possuir seu trabalho. Mas, mesmo que seja injusto, a lei está do lado da Big Machine.

taylor swift em imagem de divulgação do album folklore, sentada e com uma trança de lado imagem ilustrativa do texto sobre taylor swift estar regravando seus álbuns
Foto: reprodução Instagram.

Por que Taylor Swift está regravando seu trabalho?

Se a única forma de recuperar o controle do seu trabalho é regravando-o, é isso que Taylor Swift vai fazer.

Antes da venda da Big Machine, a cantora tentou adquirir seu catálogo, mas a compra por ela não foi permitida.

Esse é o motivo pelo qual Taylor Swift está regravando cada um dos seus álbuns. Ela vai recuperar o que é dela, passando a possuir os direitos autorais de todas as músicas, com controle de como e onde suas faixas serão usadas.

As canções antigas ainda serão da Big Machine, que vão controlar seu uso. Mas as regravações têm grande potencial de substituírem as faixas antigas em novos comerciais ou outros usos da canção.

Então, é bastante provável que o lucro da Big Machine com o catálogo da norte-americana caia consideravelmente.

Taylor Swift também tem usado toda essa situação desagradável para falar sobre os problemas da indústria e orientar novos artistas.

“Este é o meu pior cenário. Isso é o que acontece quando você assina um acordo aos quinze anos com alguém para quem o termo ‘lealdade’ é claramente apenas um conceito contratual. […] “Os artistas deveriam possuir seu próprio trabalho por muitos motivos, mas o mais gritante e óbvio é que o artista é o único que realmente conhece aquele corpo de trabalho”.

Inclusive, em seu novo contrato, agora com a Universal Music Group, ela buscou um acordo que beneficiasse a todos os artistas da gravadora.

“Como parte do meu novo contrato com o Universal Music Group, pedi que qualquer venda de suas ações do Spotify resultasse em uma distribuição de dinheiro para seus artistas, não reembolsável. Vejo isso como um sinal de que estamos caminhando para uma mudança positiva para os criadores – uma meta que nunca vou parar de tentar ajudar a alcançar, de todas as maneiras que puder”, explicou Taylor em publicação no Tumblr.

https://twitter.com/lillyswiftt13/status/1359854135626129408?s=20
Álbuns que hoje pertencem à Taylor Swift: os três lançados com a Universal, e o Fearless Taylors Version.

Como ser dono da própria arte? Veja o que os artistas têm feito

Há algumas formas de os artistas se protegerem das “ciladas” das gravadoras e, com o tema em destaque, muitos deles têm ficado mais atentos ao assunto.

Cláusulas de contrato

Advogados especialistas em música destacam que qualquer cláusula em um contrato com a gravadora é negociável.

Ou seja, o mais indicado é que, na hora de assinar seu acordo, o artista negocie seus direitos sobre o seu trabalho.

Possuir seus masters desde o início pode evitar dores de cabeça e situações desagradáveis como a que Taylor Swift tem vivido com seu antigo catálogo.

Hoje, artistas como Jay-Z , Frank Ocean, U2 são alguns dos artistas que têm seus masters.

Lançamentos por selo próprio

Para se resguardarem e fazerem as coisas “do seu jeito”, alguns artistas também criam seus próprios selos de gravadora.

Então, eles fazem parcerias com empresas maiores para a divulgação do seu trabalho, mas continuam a ter controle sobre ele.

Prince, por exemplo, fez isso no início dos anos 1990. Já Rihanna comprou seus masters em 2016, após criar o selo Westbury Road Entertainment em parceria com a Universal.

É péssimo que Taylor Swift tenha que regravar seu trabalho para ter direitos sobre ele. E nenhum artista deveria passar por uma situação desde tipo. Mas ficamos felizes que a cantora vai recuperar o que é dela, com uma boa dose de nostalgia para os fãs.

Leia também: Taylors Version: relançamentos de Taylor Swift são uma boa jogada?


Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!