2 de novembro de 2019 por Giovana Bonfim Escudine.

Em 2020, muitos de nós iremos reviver nossa adolescência e pré adolescência devido a uma única razão: Taylor Swift fará shows no Brasil. Mesmo que você não goste mais, é inevitável dizer que não surgiu aquela vontade de ir em um dos shows para reviver músicas como “You Belong With Me” ou “I Knew You Were Trouble”.

Leia também: Taylor Swift receberá prêmio de artista da década pelo AMA 2019

Inicialmente, Taylor se apresentaria em apenas uma data, dia 18 de julho de 2020 no Allianz Arena em São Paulo. O show seria a única data na America Latina inteira.

Com a imensa demanda, fila online chegando à 80 mil pessoas (o Allianz apenas cabe 40 mil para shows!) e caos para compras, uma segunda data foi liberada. O segundo show foi liberado logo após o primeiro ter esgotado por completo em menos de 24 horas.

Com algumas confusões e dúvidas, foi por isso que criamos esse post! Nele, você poderá ficar por dentro de tudo dos dois shows, quais setores estão esgotados e mais!

Show do dia 18 de julho

Todos os setores esgotados, tanto ingressos inteiras quanto meia-entrada. Na sua pré-venda, todos ingressos disponibilizados também foram vendidos.

Ingressos esgotados em menos de 24 horas de venda.

Show do dia 19 de julho

Alguns setores ainda possuem ingressos disponíveis para a venda, outros, apenas ingressos inteira, com meia-entrada esgotada. Veja quais são eles:

Setor Superior: Meia entrada: esgotada; inteira: disponível; idosos e demais beneficiários: disponível.

Setor Pista em pé: Todas as categorias de ingresso ainda disponíveis.

Setor Cadeira inferior: Todas as categorias de ingresso ainda disponíveis.

Setor Premium em pé: Todas as categorias de ingresso ainda disponíveis.

Para comprar ingressos para o show do dia 19, clique aqui.

Taylor Swift e a repercussão com o “Lover”

Na última semana, Taylor esteve no Beats 1 da Apple Music, onde conversou com Zane Lowe sobre sua música.

Ela diz que na era “Reputation” não dava entrevistas porque sabia que nada seria sobre as músicas, e sim sobre as polêmicas. Que o “Lover” é seu álbum mais político até agora, tendo como exemplo as faixas “The Man” e “Miss Americana and The Heartbeak Prince”.

Nessa entrevista, ela fala também sobre o desmerecimento que recebe, que também é abordado em “The Man”. Sobre receber o slut shaming, quando na verdade é necessário o talento e força para se escrever as músicas que escreve.

Swift também enfatiza as grandes mulheres compositoras de suas músicas que temos, citando até mesmo Halsey.

Além de sua entrevista para o Zane Lowe, pode-se destacar também sua apresentação no Tiny Desk Concert, onde se apresentou acusticamente com “The Man”, “Lover”, “Death By A Thousand Cuts” e “All Too Well”.

Comentários

Mais lidas
Alguns direitos reservados / 2013 - 2017.
Desenvolvido por Lucas Mantoani.