19 de junho de 2016 por Gabriel Haguiô.

Nesta quinta-feira (16), a Academia Nacional de Artes e Ciências de Gravações anunciou diversas alterações importantes no formato de indicações do Grammy Awards. Entre as mudanças realizadas pelo órgão, estão a consideração das nomeações de trabalhos lançados exclusivamente por streaming.

A partir da edição de 2017 da premiação, gravações disponibilizadas apenas em plataformas de streaming – tais como o Spotify, TIDAL e Apple Music – poderão ser indicadas. “Percebemos que existe um grande número de artistas de renome que estavam optando, principalmente por suas questões filosóficas, por lançar suas músicas exclusivamente em streaming”, afirmou Bill Freimuth, vice-presidente de prêmios da Academia.

Com isso, trabalhos recentes liberados exclusivamente para streaming como “The Life Of Pablo”, de Kanye West, e a mixtape “Coloring Book”, de Chance The Rapper, estarão elegíveis a nomeações a todas as categorias do Grammy de 2017 a não ser que estejam limitados apenas a um serviço em especial.

Além disso, a Academia também anunciou mudanças no sistema de indicações de categorias específicas, como “Artista Revelação” e “Melhor Colaboração de Rap/Sung”. A partir de 2017, artistas que não tenham lançado álbuns mas que possuam entre cinco a trinta singles poderão ser indicados a “Artista Revelação”. Já artistas que já tenham mais de três discos serão automaticamente desqualificados – evitando casos como o de Shelby Linne, em 2001, que conquistou o troféu sobre nomes como Papa Roach e Brad Paisley mesmo já tendo lançado seis trabalhos de estúdio na época.

Já a categoria de “Melhor Colaboração de Rap/Sung” teve seu título alterado para “Melhor Performance de Rap/Sung” e passará a aceitar gravações solo onde um artista canta e faz rap ao mesmo tempo – modelo este comumente adotado por nomes como Chris Brown, Drake, Chance The Rapper, Nicki Minaj, Kendrick Lamar, Kanye West e Future.

A última das alterações anunciadas consiste no número de categorias que os membros da Academia terão direito ao voto, que foi reduzido de 20 para 15 – descartando as quatro principais categorias da premiação (“Álbum do Ano”, “Gravação do Ano”, “Música do Ano” e “Artista Revelação”). “Tal esforço é para protegermos a integridade do Grammy Awards, o que ás vezes significa criar regrar novas, afrouxar outras regras, restringir ou adicionar algumas categorias. Tudo é feito para refletir o estado da música no país”, afirmou Freimuth a respeito das mudanças.

A edição de 2017 do Grammy Awards considerará os trabalhos lançados entre 1º de outubro de 2015 e 30 de setembro de 2016 e será realizada no Staples Center, em Los Angeles, no dia 12 de fevereiro, enquanto a lista completa de indicados da premiação será anunciada no dia 6 de dezembro.

Comentários

Mais lidas
Alguns direitos reservados / 2013 - 2017.
Desenvolvido por Lucas Mantoani.