in

4 curiosidades que Alicia Keys nos contou sobre o novo álbum, “KEYS”

Foto: Reprodução

Depois da sua grande volta em 2020, com o disco ALICIA, a cantora e compositora Alicia Keys decidiu que era o momento de lançar mais um projeto. Mas não é apenas um álbum novo e sim uma experiência completa. O “KEYS”, lançado nessa sexta-feira (10), aposta em um proposta inovadora. Definido pela própria artista na listening party virtual que o Tracklist participou, Alicia comentou que durante a produção do álbum surgiu a ideia de se “auto-samplear” em algumas faixas. Não entendeu? Vem com a gente então conferir alguns segredos revelados pela própria Alicia Keys sobre a criação do novo disco, “KEYS”!

Leia mais: #TBTRACK: “Songs In A Minor”, a marcante estreia de Alicia Keys

Foto: Reprodução/Amanda Charchian

1- Alicia Keys decidiu se auto-samplear

Em uma listening party que o Portal Tracklist foi convidado, ainda no começo de outubro, Alicia Keys – esbanjando seu carisma e simpatia de sempre – mostrou a imprensa músicas de seu novo álbum “KEYS”. Onde contou também um pouco do processo criativo por trás desse novo repertório. Afinal, o disco tem um formato diferente, já que é dividido em dois momentos: o Originals e Unlocked. Sendo o primeiro momento as músicas em sua forma mais “tradicional”, com influências fortes do jazz e r&b, bem no estilo que já conhecemos do trabalho de Alicia. Algo mais introspectivo, quase só voz e piano.

Enquanto o lado Unlocked mostra todo esse repertório reimaginado, em uma vibe mais agitada, com influências do hip-hop e até uma pitada de house em alguns momentos.

2- O trocadilho com o álbum anterior

Outra curiosidade, para quem não notou, foi que o nome do álbum é um trocadilho com seu trabalho anterior. Já que se chamava “ALICIA” e agora o novo se chama “KEYS”. “Esse projeto definitivamente me fez voltar as origens, sabe? Esse é o meu caminho e eu vou dominá-lo! (…) O álbum é muito sobre o piano e a minha relação com ele. É sobre músicas boas, a vulnerabilidade e a emoção, mas também tem um ar muito jazzístico e de blues, algo que são as minhas inspirações”, comentou Alicia durante o evento.  

3- A presença do “The Diary of Alicia Keys”

Uma curiosidade que Alicia revelou sobre a faixa “Is It Insane” é que, além de representar muito bem todas as influências e conceitos do disco novo, a música foi na verdade composta durante o seu segundo álbum. O clássico e cheio de hits “The Diary of Alicia Keys”. “Isso não é maluco? Mas essa música nunca estava pronta para ser revelada até agora! E agora, quando você junta com todo o resto, se encaixa perfeitamente! Eu não consigo nem distinguir essa diferença de tempo“, comentou a cantora.

4- Mike Will Made-It e o segmento Unlocked

O segundo segmento do álbum, as faixas na versão Unlocked, foram todas produzidas em conjunto do renomado produtor, Mike Will Made-It. Para quem não lembra, ele já produziu o “DAMN.” de Kendrick Lamar, o “Bangerz” da Miley Cyrus, “Formation” de Beyoncé e muito mais. “Eu queria fazer algo completamente diferente para que essas músicas pudessem viver em sua própria estratosfera”, porém a cantora também revelou que o contrário também aconteceu. Como na faixa “Nat King Cole”, que começou já na versão Unlocked, e posteriormente foi transformada na versão Originals.

Bom, esses foram alguns dos segredos que Alicia Keys revelou sobre o processo criativo do “KEYS”. O que acharam?

Leia também: Produtora! Alicia Keys e mais 5 artistas que já produziram filmes e séries

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

GIPHY App Key not set. Please check settings

    Loading…

    0