20 de março de 2019 por Feliphe Marinho.

O cantor Wesley Stromberg veio ao Brasil com seu amigo, produtor e DJ Summit Jaffe para dois eventos pra lá de intimistas com os fãs. Nesse, os interessados poderiam adquirir pacotes com passagem de som, autógrafo, sessão de pergunta, M&G e claro, ao show dos dois.

Essa não é a primeira passagem do Wesley no Brasil – em sua primeira visita ao país, o cantor veio ao lado de seu irmão Keaton Stromberg e amigo Drew Chadwick, também membros do grupo Emblem3. Na época, a banda foi escalada para ser headliner da edição de 2013 do Z Festival, ao lado do Boyce Avenue.

No intervalo das atividades do evento, batemos um papo com Wesley e Summit, que foram super simpáticos e receberam muito bem nossa equipe. Confira abaixo nossa entrevista:

Tracklist: Primeiramente, sejam bem vindos ao Brasil! Como tem sido até agora?

Wesley: Obrigado! Tem sido incrível. Brasil é o meu lugar e país favorito e é a primeira vez dele (DJ Summit) aqui no Brasil.

Summit: Sim! Tem sido uma experiência incrível. Desde o momento que descemos do avião é tipo muito louco!

Wesley: Sim! As pessoas indo ao aeroporto só pra nos ver… e isso é algo que eu sempre amo ver. Novos fãs indo atrás da gente no aeroporto só pra nos ver, tirar fotos e depois ainda esperar no hotel é incrível!

Tracklist: É algo muito típico do fã brasileiro, né?

Wesley: Sim, sim. O Brasil tem essa vantagem em relação ao resto do mundo, todo mundo é muito dedicado e apaixonado pela sua música.

Wesley em sua primeira passagem no Brasil com o Emblem3 no Z Festival em 2013.

Tracklist: Então falando dos novos projetos musicais, vocês tem alguma colaboração inédita pela frente?

Wesley: A gente tem entrado em contato com várias gravadoras, imprensa… com todo mundo, na verdade, então estamos agora na procura de um lugar pra chamar de casa (gravadora) no entanto e vamos encontrá-lo muito em breve. Além disso já estamos finalizando um EP que será lançado em breve.

Summit: Estamos muito ansiosos pra esse lançamento! Viemos testando recentemente e é sonoricamente muito parecido com o single Sober, porém com uma certa influência de hip hop. Estamos muito ansiosos no geral! Vamos tocar algumas prévias dessas músicas hoje antes do lançamento do EP que deve ser daqui a um ou dois meses.

Tracklist: Muito incrível saber disso tudo! Então, ainda falando sobre essa indústria musical e gravadoras: esse foi o motivo da sua viagem mais recente para Nova York, né? Vocês foram na Warner Music também?

Wesley: Sim!

Tracklist: Que ótimo! E como foi?

Wesley: Nós fomos até a Warner, gravamos duas músicas por lá… também fomos na Atlantic, Universal, Epic, Island, Republic…

Tracklist: Basicamente todas elas, né? Já assinaram com alguma?

Wesley: Pois é… e ainda não. É um longo bem longo. Não é porque você vai em uma reunião que significa que eles imediatamente vão te assinar. Você vai em uma e os deixa surpresos querendo te levar para uma segunda reunião, e assim por diante… provavelmente é questão de um processo de 3 a 6 meses que quando o resultado finalmente chega significa que de fato eles te amam e querem você. É basicamente criar essa conexão e investir nesse relacionamento.

E além disso é basicamente onde a gente se sentir mais à vontade e ir pro lugar que nos fazer se sentir em casa. Não quero me precipitar em dizer que algum lugar seja melhor que o outro por enquanto, mas já temos uma opção que segue disparada na frente. Porém não quero anunciar até que esteja tudo concreto.

Nesse momento somos interrompidos e a produção pede para que façamos a última pergunta. Wes logo olha pra gente e avisa que podemos fazer mais duas que tá liberado.

Tracklist: Há alguma banda ou algum músico que te inspire bastante nessa nova fase da carreira?

Wesley: Me inspiro muito no Drake, no Post Malone…

Summit: Eu amo o Kendrick Lamar! J Cole também… com mais uma pegada de hip hop. E todos esses caras lendários como Bob Marley, The Beatles, Bob Dylan…

Tracklist: E de qual forma eles afetam na sua música?

Wesley: Meu cantor favorito é o Bradley Nowell, vocalista do Sublime. Ele cantava com tanta paixão e carisma que eu encarnei tudo isso e tento usar essa mesma energia inspirada na forma como ele canta. Então de certa forma, tem um grande impacto na forma como eu canto hoje.

Wesley Stromberg e Summit com Feliphe Marinho, repórter do Tracklist.

Ouça agora os lançamentos do projeto solo do Wesley no Spotify:

Comentários

Mais lidas
Alguns direitos reservados / 2013 - 2017.
Desenvolvido por Lucas Mantoani.