Era 2006. O sucesso de High School Musical eclodiu aqui no Brasil, uma nova febre que pegou parte dos jovens “órfãos” do RBD e também aqueles que acompanhavam atrações da Disney desde sempre, como Lizzie Mcguire, Hannah Montana, The Suite Life of Zack & Cold… Também era a época em que muita gente ainda tinha internet discada (incluindo eu, era uma morte horrível ), as pessoas começavam a usar um MP3 Player (para ouvir música que queriam quando queriam), nos comunicávamos pelo MSN, Orkut… Enfim, já faz 11 anos isso e só fiz essa rápida retrospectiva para situar o leitor no tempo. 

Bom, vamos lá. High School Musical foi um musical que revelou estrelas: Zac Efron hoje continua muito cotado em filmes; Ashley Tisdale, Vanessa Hudgens e Corbin Bleu (além de atuar, lançaram discos solos). Sozinhos, não chegaram a alcançar o sucesso que o coletivo trouxe: a maioria das pessoas só lembra das canções do filmes mesmo, como “Start of Something New”, “Breaking Free” e “What I’ve Been Looking For”.

Saudades dessa dupla? 

E dessa? O melhor casal que você respeita e que foi até transportando para a vida real, diga-se de passagem…

Logo após o lançamento do filme, Ashley Tisdale – que vivia a Sharpay – apostou na carreira solo. Em 6 de fevereiro de 2007  ela lançava “Headstrong”, meses depois de sua colega de elenco – Vanessa – lançar o “V”.

O álbum, que debutou em 5º lugar na Billboard 200, rendeu alguns singles, como: “Be Good To Me” e “He Said She Said”. A última, chega a surpreender as crianças da época do lançamento, que hoje percebem o apelo sexual da canção ( no vídeo postado no Youtube, podemos ler vários comentários: “I do not remember this song being this dirty”/ eu não lembro dessa música com esse apelo tão safada “; “I’ve never knew this song was sexual/ eu não sabia que essa música era sexual”). Algumas pessoas chegaram a comparar Ashley com Britney e até com Paris Hilton por conta do hit. E, realmente, dá até pra imaginar a diva do pop e a socialite mais famosa cantando a música…

Embora as músicas próprias pra pista de dança sejam interessantes, a temática é quase sempre a mesma: conquistar o boy, com exceção de “Over It” (uma música de término e superação).

As mudanças estão realmente nas canções mais lentas, que ganham uma roupagem mais pessoal. Posso falar de “Unlove You” – bem triste e talvez a mais bonita, sobre um término não superado;  “Love Me For Me” é belíssima e traz empoderamento: “Don’t think you’re gonna change what’s inside of me/ Não pense que você vai mudar o que está dentro de mim/ Make me who you want me to be/Me fazer ser quem eu não sou”. Mas, a mais intimista e memorável – por representar o momento da vida de Ashley Tisdale que mudou de uma hora pra outra- é “Suddenly” (ganhou até um clipe cafona, vamos ser sinceros ).

Em 2009, Ashley lançou “Guilty Pleasure”. Depois, sua carreira ficou estacionada e não mudou muito desde então… Claro, devemos considerar os covers lançados recentemente, como de “Still Into You” (Paramore), “Toxic” (Britney), e de “Ex’s e Oh’s” (Elle King) com Vanessa Hudgens. É possível notar um ar mais maduro e uma voz ainda mais trabalhada. Bem que ela podia quebrar esse hiato e lançar um disco nesse ano, não? 

Comentários

Mais lidas
Alguns direitos reservados / 2013 - 2017.
Desenvolvido por Lucas Mantoani.