Pearl Jam lança clipe censurado nos anos 90. Relembre outros casos
6 de junho de 2020 por Larissa Rhouse Santos Silva.

Com certeza, o ano de 1992 foi um marco na história do Pearl Jam! Na época, a banda formada dois anos antes ganhava ainda mais destaque após vencer, com o clipe “Jeremy”, a principal categoria do VMA, o “Video of the Year”. Entretanto, o que poucos sabem sobre as aclamadas cenas, é que elas foram censuradas para que seu lançamento fosse permitido. 

“Jeremy (uncensored version)”, liberado na última sexta-feira (05), tem como intuito conscientizar as pessoas sobre a violência armada nos Estados Unidos. Além disso, o clipe marca uma homenagem ao 27° aniversário de Breonna Taylor, uma mulher afro-americana brutalmente assassinada pela polícia de Louisville em seu próprio apartamento. 

Confira o clipe:

“Observando o aumento impressionante da violência armada desde a estreia de ‘Jeremy’, estamos lançando a versão completa e sem censura do seu clipe, que não estava disponível em 1992 devido às Leis para TV. Também lançamos uma versão atualizada da camiseta ‘Choices’ com todos os recursos para apoiar as organizações que trabalham para evitar a violência armada. Podemos evitar morte por armas, sejam tiroteios em massas, morte por desespero, policiais ou acidentais”, escreveu o Pearl Jam em suas redes sociais. 

Relembre outros artistas que já foram censurados 

Assim como o Pearl Jam, diversos outros artistas tiveram seus clipes censurados e até mesmo banidos por conta de seu conteúdo. Relembre, ou descubra, a seguir, três casos que marcaram a mídia internacional: 

“American Life” – Madonna

Considerada por muitos como a eterna rainha do pop, a cantora Madonna possui uma lista de clipes censurados. Um dos mais populares, sem dúvidas, é o de “American Life”. Dirigido por Jonas Akerlund, as cenas ironizam o tão popular “sonho americano”, que retrata um ideal de liberdade e prosperidade. 

Em suma, o vídeo mostra um desfile no qual os modelos são soldados do exército estadunidense. No entanto, o que realmente chama a atenção são as imagens de guerra que aparecem no painel ao fundo e a invasão que ocorre com o intuito de “destruir” o até então presidente George Bush

É válido lembrar que, na época, a própria cantora resolveu não divulgar o clipe. Segundo ela, a produção era inapropriada para o momento, devido a eclosão da guerra dos Estados Unidos contra o Iraque. 

“Sunshowers” – M.I.A

Cantora, compositora, cineasta, diretora e ativista britânica de origem tâmil, M.I.A ficou conhecida por abordar explicitamente sobre política, violência, revolução e outros temas polêmicos em suas canções. Tanto que é por isso que a artista é uma das mais censuradas das grandes mídias até hoje. 

Dando um destaque especial para “Sunshowers”, a música e o clipe foram banidos de muitas emissoras por abordar sobre o terrorismo, controle de armas, a Guerra do Iraque e a libertação da Palestina. Ademais, os Estados Unidos se recusaram a conceder a artista um visto para entrar no país em 2006 e adicionou o nome de M.I.A, por um curto período de tempo, na lista de riscos do Departamento de Segurança Interna dos Estados Unidos

“This Note’s for You” – Neil Young 

Diferente de Madonna e M.I.A, o músico Neil Young teve seu clipe banido por despertar a ira dos grandes patrocinadores de programas de televisão. Em síntese, “This Note’s for You” retrata a pretensão da publicidade, colocando os “pingos nos is” e nomeando diversas marcas. Todavia, essa não é a única polêmica que o clipe traz! As cenas também incluíam um sósia de Michael Jackson e era utilizada como uma paródia ao rock corporativo.  

Da violência armada criticada por Pearl Jam, do polêmico “sonho americano” refletido por Madonna, dos impactos das guerras e do terrorismo citado por M.I.A e da influência da publicidade ressaltada por Neil, o que todos esses clipes têm em comum é o fato de que foram censurados por mostrar um lado da sociedade que muitos tentam esconder.

Alguns direitos reservados / 2013 - 2017.
Desenvolvido por Lucas Mantoani.