24 de fevereiro de 2016 por Rodrigo Dall' Acqua.

Muito já se falou sobre o caso Kesha vs. Dr. Luke, mas, vocês já pararam para pensar o quão grande é isto? Reunimos todas as informações neste post para você entender com mais facilidade o que está acontecendo nessa batalha judicial que fora travada em frente de todos.

Vamos aos fatos:

  • Aos 18 anos, Kesha Rose Sebert, assina um contrato de 8 álbuns com a gravadora de Dr. Luke, a Kemosabe Records. Desde então, torna-se Ke$ha.
  • Lança seu primeiro disco, intitulado “Animal”. Faz muito sucesso e reserva seu lugar no seleto grupo de músicos que perpetuam uma carreira recheada de hits.
  • Lança seu primeiro Extended Play (EP), intitulado “Cannibal”, o qual, novamente, tem boas recepções do público e crítica especializada.
  • E, finalmente, dois anos depois, lança seu segundo – e último – álbum de estúdio, “Warrior”. Este que, baseado no sucesso do anterior, tem uma queda significativa nas paradas musicais.

No início de 2013, Kesha, que promovia seu último álbum, declarou-se insatisfeita com certas escolhas feitas por, seu então mentor, Dr. Luke. Um exemplo de sua infelicidade, seria ter lançado a faixa “Die Young” como primeiro single de seu segundo disco de inéditas. Ela afirma que foi forçada a gravar tal canção e tampouco queria lançá-la como música de trabalho. A partir dai, fãs acusaram Luke de tratá-la como fantoche e organizaram uma petição online para que o mesmo afastasse-se profissionalmente da cantora.

“Eu sinto que meus fãs querem me proteger… Eles querem apenas me ver crescer como artista, o que eu concordo. Espero que, no futuro, eu esteja em uma posição onde eu possa lançar uma balada ou uma música mais vulnerável… Não tenho controle criativo na verdade. O que foi lançado como singles apenas perpetuaram uma imagem particular que pode ou não ser totalmente correta. Eu gostaria de mostrar ao mundo outros lados de minha personalidade. Eu não quero continuar lançando a mesma música e me tornando uma paródia de mim mesma… Eu tenho muito mais a oferecer do que isso e eu mal posso esperar para quando o mundo realmente ouvir isso nas rádios” – Disse Kesha para a revista Rolling Stone

Era Janeiro de 2014 quando Kesha internou-se em uma clínica de reabilitação para tratar distúrbios alimentares.
Familiares e amigos culparam Dr. Luke por sua doença, afirmando que o produtor fazia comentários maldosos e críticas pesadas sobre a forma física da cantora. Luke pronunciou-se a favor da artista, alegando que as afirmações feitas eram falsas e que estava torcendo para sua melhora.

Passada a internação, a relação entre os, até então, parceiros de trabalho, ficou estremecida e a cantora declarou que não sabia quando seu novo álbum sairia, mas que estava compondo diariamente.

Nove meses depois do incidente, em Outubro, Kesha moveu uma ação contra Dr. Luke, pedindo o fim de seu contrato. A mesma alegara sofrer abusos verbais, sexuais, físicos e psicológicos durante todo o tempo em que trabalharam juntos.

Aos 18 anos, foi induzida por Luke a consumir álcool e drogas, para ficar desinibida. Na verdade, ele a dopou diversas vezes.

Kesha declarou que, certa vez, obrigou-a a cheirar uma substância antes de embarcar num avião e a molestou enquanto estava drogada. Outro incidente, foi quando Luke deu à cantora supostas “pílulas de sobriedade”, que só se lembra de acordar nua na cama do produtor. Houveram também abusos físicos, onde o mentor partia para cima de Kesha violentamente. Num destes espisódios, ela fugiu, sem sapatos, pelas ruas.

Como prova da tortura psicológica sofrida, Kesha narrou um episódio onde Luke afirma que mataria seu cachorro. Segundo ela, tal fato ocorreu no estúdio de gravação. Kesha levara seu cão e o produtor disse que, se o bicho se aproximasse dele novamente, o mataria. Para expor seu péssimo caráter, a cantora diz tê-lo ouvido dizer – abertamente – sobre trair a esposa e persuadí-la a realizar um aborto.

Em sua defesa, Luke diz que as acusações são falsas e que Kesha mobilizou-se pois não pode pagar dívidas contratuais…

keshachorando

Enfim, tudo isto –  e muito mais – foi declarado pela cantora à justiça americana e, mesmo assim, quem sai vitorioso é seu abusador, Dr. Luke. As audiências ainda não chegaram ao fim, mas, na última, a decisão da juíza foi favorável a ele.

Vale lembrar que Kesha está praticamente falida. Ela já não ganha pela venda de suas músicas há 3 anos – pois seus royalties pertencem a Luke, paga advogados caríssimo e está impedida de seguir com sua carreira. Ou seja, além de estar contratualmente presa ao homem que arruinou sua vida, enfrenta graves problemas financeiros. Recentemente, Taylor Swift doou 250 mil dólares à Kesha para ajudar nas despesas com o processo. A única pessoa que ajudou financeiramente.

Além do suporte de Taylor, outros artistas prestaram solidariedade à cantora. Mais de 50 personalidades midiáticas pronunciaram-se, de alguma maneira, a favor de Kesha. Inclusive, a cantora Jayme Dee, publicou um relato pessoal sobre o caso:

Eu estava no último ano do ensino médio, em minha primeira sessão de composição de verdade. Ele era um vencedor do Grammy de 40 anos. Ele rejeitou os pedidos iniciais para escrevermos juntos, mas depois de me ver pessoalmente marcou uma sessão mais tarde naquela semana. Nós terminamos de escrever a música, então ele me ofereceu um copo de vinho (eu rejeitei) e ele me pediu para sentar ao seu lado para que pudesse me mostrar uma música brasileira que ele tinha produzido para sua ex-namorada. Conveniente. Ele diminuiu as luzes porque seus “olhos estavam incomodados”, não conseguia evitar pensar que ele estava dando em cima de mim, mas eu continuava dizendo a mim mesma que eu era louca. Eu mencionei meu namorado, apenas para o caso dele estar pensando que rolaria algo, mas eu nem deveria ter tido. Ele acariciou meu braço e se inclinou para me beijar. Eu recuei e fui direto para a saída, dirigi para casa em lágrimas e felizmente nunca tive que vê-lo novamente. Quando o nome dele surgia em reuniões eu me sentia cheia de raiva por todo o meu corpo. Eu só consigo imaginar pelo o que Kesha está passando, sendo contratualmente e emocionalmente refém de seu produtor estuprador, Dr. Luke. O sistema judicial falhou com ela. Não é segredo que mulheres jovens são molestadas na indústria da música, e eu garanto que todas meninas nessa indústria tem pelo menos algumas histórias assustadoras, umas piores que as outras. É horrível que estejamos constantemente encorajando mulheres a denunciar, mas depois as punimos por sua honestidade. #‎FreeKesha‬

Sim, Kesha foi imensamente corajosa e determinada ao processar o influente Dr. Luke. Como dito no relato acima, muitas mulheres da industria musical sofrem ou já sofreram abuso por parte de seus produtores. Lady Gaga já falou abertamente sobre o assunto, disse que, no início de sua carreira, vários homens tentaram tirar proveito dela nos estúdios. Isto é corriqueiro no meio e, o fato de Kesha ter se disposto a falar abertamente sobre, é insigne. Como a própria relatou:

[…] Eu fiz isso porque a verdade estava me corroendo e me matando por dentro. Isto não é apenas por mim, é por toda mulher, todo ser humano, que já foi abusado sexual, emocional ou mentalmente. Eu tive que dizer a verdade, então o resultado será o que será. Não há mais nada que possa fazer. É muito assustador não ter nenhum controle sobre seu futuro […]

Impedida de trabalhar e exercer sua arte, Kesha vive num inferno. Sua história é, indubitavelmente, uma inspiração. Espero que, com toda esta exposição, a industria musical seja um lugar menos sórdido e sexista. Assim como o mundo deveria ser.

Para se manter atualizado sobre o caso acompanhe o nosso site, nossa page no Facebook e o Twitter. Para demonstrar apoio a cantora use a hashtag #FreeKesha.

Comentários

Mais lidas
Alguns direitos reservados / 2013 - 2017.
Desenvolvido por Lucas Mantoani.