16 de novembro de 2016 por Gabriel Haguiô.

Com o lançamento duplo do álbum visual “Endless” e do disco “Blonde”, ambos elogiadíssimos pela crítica, muitas expectativas foram criadas em torno da campanha de Frank Ocean rumo à próxima edição do Grammy Awards. Entretanto, o cantor optou por não enviar os seus trabalhos para avaliação do júri, o que automaticamente o desqualifica da premiação, sem explicações, o que abriu o caminho para diversas especulações tomarem o público.

Desmentindo os rumores populares, Ocean concedeu uma entrevista ao The New York Times nesta quarta-feira (16) explicando sua controversa decisão. “Essa instituição certamente possui uma referência nostálgica, mas ela parece não estar representando bem as pessoas que vêm de onde eu venho e que passaram pelo o que eu passei. Eu acredito que a infraestrutura desse sistema de premiação e indicações é ultrapassada. Eu preferia que esse fosse meu ‘momento Colin Kaepernick’ do que sentar em meio à audiência do Grammy”, declarou o cantor, fazendo alusão ao jogador de futebol americano que se recusou a ficar de pé durante o hino dos Estados Unidos durante a pré-temporada da NFL em protesto ao racismo.

Frank ainda levantou uma das grandes polêmicas acerca do Grammy Awards: o pequeno número de artistas negros premiados com o gramofone de “Álbum do Ano”. O americano afirma que desde seu nascimento viu poucos nomes afrodescendentes do cenário musical, como Quincy Jones, Herbie Hancock e Ray Charles, serem laureados em tal categoria.

Em 2013, Frank Ocean conquistou dois Grammys entre as cinco categorias nas quais foi nomeado. Na época, o cantor concorria pelo seu trabalho de estreia, “Channel Orange” (laureado como “Melhor Álbum Urbano Contemporâneo”), por sua parceria com Kanye West e Jay Z, “No Church In The Wild” (premiada como “Melhor Colaboração de Rap/Sung”) e pelo single “Thinkin Bout You”.

O último álbum de estúdio lançado por Frank Ocean foi “Blonde”, disponibilizado para streaming exclusivo na Apple Music em agosto pela sua própria gravadora, a Boys Don’t Cry, o que esquentou o clima entre o cantor e o selo da Def Jam Recordings, responsável pela comercialização do disco visual “Endless”.

A próxima edição do Grammy Awards será realizada no Staples Center, em Los Angeles, no dia 12 de fevereiro. A lista de indicados à premiação será divulgada na íntegra no dia 6 de dezembro desse ano e considera os trabalhos lançados entre os meses de outubro de 2015 e setembro de 2016.

Comentários

Mais lidas
Alguns direitos reservados / 2013 - 2017.
Desenvolvido por Lucas Mantoani.