taylor swift no videoclipe de willow primeiro single do album evermore ela olha para a frente vestindo tiara e batom vermelho

“evermore”: melhores momentos do novo álbum de Taylor Swift

Na quinta-feira (10/12), acordei pensando “vou ouvir o folklore“, mesmo que fosse a milionésima vez. Em […]

Por em 11 de dezembro de 2020

Na quinta-feira (10/12), acordei pensando “vou ouvir o folklore“, mesmo que fosse a milionésima vez. Em seguida, pensei “acho que preciso de algo novo. Está repetitivo (mesmo que eu não ligue)”. Taylor Swift provavelmente lê meus pensamentos, porque resolveu lançar o evermore — o algo novo que eu queria e, potencialmente, o álbum que eu também vou ouvir milionésimas vezes.

evermore é o 9º álbum de Taylor Swift, foi lançado em 11/12 e, como a própria cantora nomeou, é um “irmão” do folklore. Seus colaboradores principais foram os mesmos do disco lançado em julho: Aaron Dessner, Jack Antonoff e William Bowery.

O que Taylor Swift disse sobre o evermore

Para ser mais clara, simplesmente não conseguíamos parar de escrever músicas. Para tentar ser mais poético, parece que estávamos à beira do bosque folclórico e tínhamos uma escolha: virar e voltar ou viajar mais para dentro da floresta dessa música. Escolhemos ir mais fundo.

Eu nunca fiz isso antes. No passado, sempre tratei os álbuns como eras únicas e comecei a planejar a próxima depois que um álbum fosse lançado. Havia algo diferente com o folklore. Ao fazer isso, eu me senti menos como se estivesse partindo e mais como se estivesse voltando.

Adorei o escapismo que encontrei nesses contos imaginários/não imaginários. Adorei a maneira como vocês receberam as paisagens de sonho, as tragédias e os contos épicos de amor perdidos e encontrados em suas vidas. Então, continuei escrevendo.

E adorei criar essas músicas com Aaron Dessner, Jack Antonoff, William Bowery e Justin Vernon. Também demos as boas-vindas a alguns novos (e antigos) amigos em nossa mesa musical da cozinha desta vez.

Desde que eu tinha 13 anos, estou animada para fazer 31 porque é o meu número da sorte ao contrário, e é por isso que eu queria surpreendê-los com isso agora. Todos vocês foram tão atenciosos, solidários e atenciosos nos meus aniversários e, desta vez, pensei em dar-lhes algo!

Eu também sei que esta temporada de férias será solitária para a maioria de nós e se houver alguém por aí que recorre à música para lidar com entes queridos que estão longe, como eu, isto é para você.

Taylor Swift no anúncio do álbum evermore
taylor swift em uma floresta imagem mostra a tracklist do álbum evermore com 17 faixas

5 melhores momentos de evermore, de Taylor Swift

No total, são 17 músicas no evermore (assim como foi no folklore), mas dessa vez com três parcerias. As duas últimas faixas, bônus, ainda não foram divulgadas on-line, mas estarão na versão física do disco.

A seguir, listamos 5 dos melhores momentos do álbum. Acompanhe!

1. O primeiro single, “Willow”

Junto com o lançamento do álbum na sexta (11/12), Taylor Swift divulgou o primeiro videoclipe do trabalho: “Willow”. Com direção da própria Taylor, o clipe tem uma vibe delicada e começa com o fim de “cardigan”.

No Youtube, a cantora falou um pouco sobre o single e o vídeo. “willow é sobre uma trama, desejo e a complexidade que é querer alguém. Eu acho que soa como enfeitiçar alguém pra fazer com que se apaixonem (um visual bem específico)”.

Além disso, o videoclipe da faixa é como uma continuação de “cardigan”. Mesmo que Taylor tenha dito que essa não é mais uma faixa do triângulo amoroso Betty-James-Augustine, vemos os mesmos cenários e a cantora “viaja” por dentro do mundo mágico do seu piano.

Porém, dessa vez, Taylor tem uma “linha dourada” do destino guiando-a. No fim, é o destino ligando-a ao seu amado (James?) novamente, mesmo após turbulências.

E mais uma curiosidade: “Há uma cena no clipe que representa a música ‘seven’, uma que representa ‘mirrorball’, uma para ‘exile’ e uma para ‘mad woman’”, destacou Taylor.

2. Nova parceria com Bon Iver

No especial do folklore no Disney+, Taylor Swift contou o quanto é fã de Bon Iver, e a experiência de convidá-lo a colaborar em “exile”.

Segundo a cantora, ela não requisitou Iver claramente, porque se ele recusasse a oferta, seria muito doloroso. Mesmo assim, ela fez parecer que desejava a participação do músico e então, Aaron Dessner, co-compositor da maior parte do folklore, fez a intermediação.

Mesmo assim, Taylor acreditava de Bon Iver fosse logo “cair em si” e desistir da parceria. Ela não acreditou realmente até que o disco foi lançado. O medo da cantora era que o músico percebesse que não tinha sido bom trabalhar com ela, e que a faixa não era boa.

Porém, pelo que parece, a parceria mais do que agradou o músico. Tanto que uma nova faixa em colaboração com Swift está agora no evermore. Foi mais uma oportunidade de Taylor trabalhar com quem é fã, e entregar um resultado surpreendente.

3. “no body, no crime”, com a The Haim

O trio de irmãs The Haim é amigo de longa data de Taylor Swift. Elas já cantaram juntas, nas turnês de Taylor, mas nunca haviam gravado nada.

“Escrevi ‘no body, no crime’ sozinha. Foi inspirada pela minha obsessão com podcasts e documentários true crime e eu usei o nome de uma das minhas melhores amigas como a personagem principal”, contou Taylor Swift sobre essa faixa do evermore.

4. Track 5 do evermore, de Taylor Swift

Tradicionalmente, as faixas número 5 dos álbuns de Taylor Swift são os momentos em que ela se mostra mais vulnerável.

“Cold As You”, “White Horse”, “Dear John”, “All Too Well”, “All You Had To Do Was Stay”, “Delicate”, “The Archer”, “my tears ricochet” e, agora, “tolerate it”.

“Decidi sobre a faixa 5 porque a letra fala de ‘tolerar’ e é muito visual, tratando de um tipo de dor muito específica”, contou Taylor.

5. Feat. com a banda The National

Durante as ações de divulgação do folklore, Taylor Swift contou o quanto é fã da banda The National e o quanto gostou de trabalhar com Aaron Dessner, que faz parte do grupo.

Dessa vez, porém, a cantora foi além de compor com Dessner, e chamou a banda para uma parceria.

Em “coney island”, Taylor e Matt Berninger fazem um dueto, como foi com Bon Iver em “exile”. Matt é o vocalista do The National, e o contraste entre a voz suave de Taylor e o tom rasgado de Berninger resultou em uma faixa muito gostosa de ouvir.

evermore é um álbum tão bom quanto o folklore e deve render muitos elogios e até prêmios a Taylor Swift.

O que mais te chamou a atenção no álbum evermore, de Taylor Swift? Quais suas faixas favoritas? Conta para a gente nas nossas redes sociais!

Leia também: Depois do “evermore”, quais os próximos passos de Taylor Swift?


Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!