27 de janeiro de 2016 por Rodrigo Dall' Acqua.

Hey, Tracklisters!

Quinta-feira passada (21), a queen brasileira Lia Clark lançou-se no cenário musical com seu, já hit, “Trava Trava”. Isto me inspirou a escrever um pouco sobre a culura drag mesclada à musica e como esta mistura é fonte de experiências pessoais exclusivas e deveras interessantes.

Começarei este post resgatando um artigo antigo que produzi a partir da cobertura do show da americana Jinkx Monsoon, vencedora da 5ª temporada de um dos reality shows mais bombados dos últimos anos: RuPaul’s Drag Race – falaremos sobre ele mais para frente.

Além de Jinkx, o show contou com encenações incríveis de musicais da Broadway, estrelando insignes queens brasileiras. Falando em “queens brasileiras”, acho cabível incluí-las logo no início do post, visto que a cultura drag no Brasil é tão pouco enaltecida por seus próprios conterrâneos.

Começaremos então com a recém citada, Lia Clark:

Lia quebrou mais de um padrão ao lançar o “Trava Trava”. Além de ser uma música executada por uma drag, é um funk. E todos sabemos que o funk é um estilo não tão abrangente assim. Com o vídeo, Lia saiu em canais de grande alcance nacional, como os portais da MTV e do blogueiro Hugo Gloss.

O “Trava Trava” já está indubitavelmente presente na noite Brasil a fora.

Continuemos com Gloria Groove, que explora um estilo mais referente ao Hip Hop/R&B. Aqui está um incrível cover, cantado por ela, de “Back To Black”, da Amy Winehouse.

Gloria tem uma voz esplendida, e usou-a em uma canção original intitulada “Dona”:

A música passa uma mensagem importante do que é ser drag e o que é ser uma no Brasil. Espero mais músicas originais, esta voz merece e vai ser ouvida!

Pabllo Vittar recebeu grande reconhecimento nacional nos últimos meses. Dona do hit “Open Bar”, Pabllo já lançou seu primeiro EP, que conta com músicas dançantes, sampleadas de hits internacionais.

A música que mais gostei de seu projeto foi “Amante”, versão abrasileirada – e por “abrasileirada” digo: em samba – de “Burn”, da Ellie Goulding.

Vale mencionar seu timbre raro e muito bonito, o que dá um toque a mais em suas canções.

E como esquecer Deena Love? A drag cantora que apresentou-se  no The Voice Brasil?

Nas palavras dela, Deena não é apenas um alter ego, mas, sim, uma apoteose do cantor por trás da personagem.

Temos também a Fefe Houston, que arrasou nesse live de “Besame Mucho” – e também em rede nacional.

Bela voz, não?

No nosso país, estas são as drags que destacam-se por sua presença no meio musical. Com certeza existem muitas outras, que emergirão no cenário por entre o caminho aberto pelas queens citadas acima.

Voltemos à Jinkx. Ela, como dito, venceu o reality americano RuPaul’s Drag Race, o qual consiste em uma competição entre drag queens que, há 7 temporadas, elege a drag que mais se destaca durante o programa, que possui competições de lip sync, costura, encenação e etc. Este fato trouxe grande visibilidade à sua carreira e revelou-a grande cantora.

Deixo-os com um videoclipe para a música “Creep”, sucesso da banda Radiohead, regravado por Jinkx:

Presenteio-os também com esta incrível canção original de Jinkx, “A Song To Come Home To”:

Outra drag cantora, muito conhecida internacionalmente por sua participação na 6ª temporada do reality, é Adore Delano. Esta produz um trabalho mais dance/pop. A música “My Andress Is Hollywood” representa bem o estilo por ela abordado:

Adore também já participou do American Idol, como Danny Noriega:

Aqui vai mais um som dela, “DTF”:

Com certeza sua voz ríspida conquista, cada dia mais, milhares de fãs ao redor do mundo.

As duas são as drags que mais admiro dentro do cenário musical internacional. Existem muitas, vindas do RuPaul’s, que lançaram-se como cantoras, porém, Jinkx e Adore me conquistaram.

E por que não Pabllo, Gloria, Deena e Lia? O talento sempre esteve e sempre estará presente bem ao nosso lado, basta reconhecê-lo e valorizá-lo. Espero ainda ouvir muitas outras músicas de muitas outras queens brasileiras, e muito em breve!

Derrubem quaisquer preconceitos e barreiras que venham a ter e apreciem a arte drag tão bela como é.

E, para fechar com chave de ouro, despeço-me com um vídeo produzido pelo canal Põe Na Roda. Um cover de Gloria Groove de “Fuck You”, da Lily Allen. O clipe reúne imagens do público LGBT+  em uma bela manifestação contra a homofobia:

 

Até quarta-feira que vem!

 

 

Comentários

Mais lidas
Alguns direitos reservados / 2013 - 2017.
Desenvolvido por Lucas Mantoani.