Na última quarta-feira (18), o Tracklist foi convidado a conversar com a incrível cantora e compositora Anne-Marie. Anne lançou recentemente o primeiro single de seu próximo projeto, “Birthday”.

A inglesa, profissional da escrita e da cantoria de belíssimos hits de soft-pop foi super receptiva e bateu um papo incrível com nossa equipe! Confira:

VICTOR (ENTREVISTADOR): E aí, Anne! Consegue me ouvir?

ANNE: Oi! Consigo.

V: Oi! Eu sou o Victor, do Brasil. Como você está?

A: Estou ótima, e você?

V: Também estou ótimo, obrigado. Então… Você tem uma fã-base enorme aqui e eu fiz questão de perguntar pra eles, especialmente, o que queriam saber. Então o que eu estou fazendo aqui, basicamente, é ser um transmissor pra eles (risos).

A: Ah, obrigada! (Risos)

V: Então, de início, imagino que você saiba do quão selvagens são os fãs brasileiros, né? 

A: Certo!

V: Você pretende vir ao Brasil, quer vir ou tem planos pra visitar no futuro?

A: Sim, claro! Eu adoraria estar aí, agora mesmo, pra ser honesta. Faremos uma enorme turnê inteira e eu vou tentar passar aí. Preciso ir aí.

V: Ah, incrível! Isso é muito incrível. Você conhece algum artista brasileiro? 

A: Olha, eu estou tentando achar esse cara, que eu ouvia o tempo todo. Eu não o consigo achar. Mas eu sei que é funk brasileiro, eu ouvia essa música todos os dias antes de subir no palco. Acho que pode ser “MC Menor”? Algo assim. Não consigo encontrá-lo, ou seu nome.

V: Espero que você encontre (risos).

A: Eu também. Eu o amo!

V: Sabemos que você tem um álbum pra ser lançado, e estamos muito ansiosos pra ouvi-lo! Você acabou de lançar o primeiro single e está incrível. 

A: Obrigada.

V: Você tem alguma ideia de quantos singles você vai soltar até lançar o álbum por completo?

A: Pra ser honesta, eu nem pensei ainda. Eu quero fazer diferente do processo do primeiro álbum. Eu sinto que todos já conheciam todas as músicas antes mesmo do álbum sair. Então quero apresentar esse de maneira diferenciada, surpreender algumas pessoas, sabe?

V: Ah, entendi.

A: Já temos “Birthday”, que é um single introdutório muito bom à nova vibe, e quanto a onde estou no momento. Muitas músicas estão por vir, muito em breve. Espero que todos gostem.

V: Saquei. Mas é claro que vamos amar, sempre gostamos.

A: (Risos).

V: E, me diz, como tá sendo o processo criativo de seu novo material? Como “Birthday” chegou até você? Você normalmente se senta para pensar ou as ideias chegam em horas inesperadas? Como isso funciona?

A: É estranho porque foi bem diferente do processo de escrita do primeiro álbum. Sinto que, ao fazer este, sabia exatamente com quem gostaria de trabalhar. Mantivemos um grupo de produtores muito pequeno e fechado. Creio, no entanto, que muitas das ideias vieram enquanto estava em um carro, em um táxi, a caminho do estúdio. Eu olhava para o que já tínhamos feito e então vinha uma palavra ou algo assim, quando eu dizia algo para alguém, também. Eu formava estórias completas em minha mente e essa mesma seria o “assunto do dia”. 

V: Você pode nos revelar se conseguiremos ver colaborações nesse novo projeto, sejam vocais ou escritas?

A: Sim, é claro! Eu escrevo todas as minhas músicas, então elas são completamente reais pra mim. São coisas reais da minha vida. Então, eu gosto de falar sobre certos assuntos que são reais pra mim, coisas pelas quais as pessoas realmente passam na vida. É tudo muito verídico pra mim, e espero que as pessoas consigam se conectar. Então, é, sim, algumas colaborações. Escrevi com o Ed Sheeran de novo, sim, vai ser muito divertido.

V: Sim, entendi. Mas, e sobre seu futuro? Onde você gostaria de estar daqui 4 anos? O que você gostaria de fazer por você e pela sua carreira que ainda não fez?

A: Bom, acho que vou começar a escrever mais para mais pessoas. Eu sempre escrevi muito pra mim mesma, tantas músicas. Acho que é difícil pra mim entregar esses trabalhos para outras pessoas, porque elas são tão pessoais para mim… Escrevi uma música ano passado e Demi Lovato acabou de lançá-la como single (“I Love Me”), então ouvir uma música que escrevi ser cantada por outra pessoa, eu amo essa sensação, de ter ouvido na voz dela [Demi]. Então acho que vou escrever mais para outras pessoas. Seria legal. 

V: Isso é irado. Mas, como você se sente sobre suas músicas ficando tão grandes, mundiais? Todos ouvem. Como é pra você?

A: É muito louco. Eu nunca consigo acreditar que, quando viajo pra outros países, e faço turnês, as pessoas sabem realmente cantar minhas músicas. Mesmo quando a barreira de linguagem nos interfere. É loucura pra mim, eles saberem cada palavra. É o melhor sentimento de todo o planeta, não consigo acreditar. Claro que agora, com mídias sociais e plataformas de streaming, é muito mais fácil de ter as mãos nesse material em qualquer lugar do mundo. É o sentimento mais doido, é a melhor sensação.

V: É doido mesmo, porque aqui no Brasil, especialmente, nós vamos na esquina da rua e escutamos uma música que você fez, escreveu, participou. É louco, nós te amamos mesmo. 

A: Ai, isso é tão amável! 

V: Eu acho que isso deve ser incrível. Bom, é basicamente isso, Anne. Muito obrigado por seu tempo.

A: Muito obrigada. Espero muito estar aí logo. Obrigada, Victor, te vejo depois!


Agora é só ficar na torcida para que a vinda de Anne-Marie ao Brasil esteja próxima!

Comentários

Mais lidas
Alguns direitos reservados / 2013 - 2017.
Desenvolvido por Lucas Mantoani.