2 de dezembro de 2017 por karen Costa.

2017 foi um grande ano para a música e, podemos dizer, para o empoderamento. Empoderamento das mulheres, dos grupos LGBTQ, dos negros e de várias outras minorias. Com o mundo debatendo vários destes temas, foi interessante ver o empoderamento chegando com maior força às canções. Principalmente nas faixas de artistas jovens e pop, que conseguem grande público. Separamos, então, 7 canções que empoderaram, e que devem começar já a fazer parte da sua playlist!

7. “Hey Hey Hey” Katy Perry


Por que empodera? Katy Perry passa uma mensagem simples: você pode até mesmo ter uma aparência frágil, mas é capaz de grandes coisas. “Eu não sou o fantochezinho de ninguém”, “Você acha que eu sou frágil como um ovo Fabergé / mas você não pode me quebrar” e “Porque eu sou feminina e delicada/ Mas ainda sou a chefe, sim”. Com frases assim, ela diz “você pode ser mulher, ou fazer parte de uma minoria, outros podem achar que te controlam, mas cara, você é capaz de realizar grandes coisas por si mesmo”.


6. “Quem Sabe Sou Eu”, IZA


Por que empodera? IZA é a nova promessa do pop nacional, e tem tudo para deslanchar com suas faixas autorais. Elas representa o empoderamento feminino e negro, e canta diversas canções com este viés. Em “Quem Sabe Sou Eu”, ela manda um f**a-se a quem acha que pode opinar sobre sua vida. “Eu sei que o meu corpo te incomoda. Sinto muito, o azar é seu. Abre o olho, eu tô na moda. E quem manda em mim sou eu”. A dica é simples:. faça o mesmo! A vida é muito mais fácil quando você vive do seu jeito.


5. “Power”, Little Mix


Por que empodera? A faixa é de 2016, mas ganhou um videoclipe arrasador este ano, quando virou single. E olha, o Little Mix não poderia ter feito melhor! Cantando “Eu tenho, eu tenho o poder”, o grupo britânico coloca a mulher em primeiro plano, diz o quão forte todas são e diz “garota, só faça o que você quer, ninguém pode te parar”. Em tempos de empoderamento feminino, é ótimo ter uma canção que te coloca para cima neste quesito.


4. “Strangers”, Halsey


Por que empodera? Halsey pode até ter se metido em algumas polêmicas durante o ano, principalmente quando teceu comentários sobre Iggy Azalea (desnecessário, Halsey…). Ainda assim, ela também conseguiu destaque pelo álbum hopeless fountain kingdom, especialmente na parceria com Lauren Jauregui. Afinal, foi a primeira vez que a cantora escreveu sobre uma história de amor usando apenas pronomes femininos. Ou seja, falando do amor gay! Convenhamos que o “artificio” não é inédito, mas é preciso considerar que Halsey tem grande público jovem, e Lauren ainda mais, graças ao Fifth Harmony. Então, colocar nas paradas uma canção que celebra a diversidade, inclusive com os vocais de duas artistas assumidamente bissexuais, traz algo mais na busca por respeito – que, infelizmente, ainda precisa ser realizada todos os dias pelo mundo.


3. “Woman”, Kesha


Por que empodera? Após uma batalha judicial com Dr. Luke, Kesha conseguiu entregar um ótimo álbum de retorno. Mas quando a americana chega à “Woman”, só conseguimos pensar “UAU!”. Isso porque, na faixa, Kesha simplesmente bate de frente com a visão de que uma mulher não consegue realmente se manter, viver solteira ou ser feliz sozinha. Cantando coisas como “Eu sou um mulherão da p***a/ Eu não preciso de homem pra ficar me segurando”, ela destaca o poder que toda mulher tem. E ainda reforça a ideia básica de “meu corpo, minhas regras”, com trechos como “Não encoste no meu cabelo, não me chame de docinho”. Ouçam esse mulherão da p***a!


2. “Lalá”, Karol Conká


Por que empodera? Em pleno 2017, o sexo oral ainda é um tabu. Quando o assunto é o sexo oral feminino, então, nem se fala! Mas Karol Conká apareceu e cantou “Direitos de prazer iguais, mais compreensão”. A revolução sexual rolou há algumas décadas, mas pelo jeito ainda não aprenderam que esta revolução diz respeito a todos e todAs.


1. “Most Girls”, Hailee Steinfeld


Por que empodera? Se você é mulher, provavelmente cresceu acreditando que as garotas devem ser rivais, e que ser diferente da maioria delas era o melhor a se fazer. Se você é homem, com certeza sempre achou que as garotas mais legais eram aquelas que gostavam de videogame e futebol, diferente das “menininhas”. Todas estas divisões são apenas formas de manter a rivalidade feminina em voga. Só que Hailee Steinfeld este ano apareceu com um single que diz “ei, você pode gostar do que quiser, pode ser o que quiser, e é de qualquer forma uma mulher incrível!”. Hailee tem toda a razão.

Lembra de mais alguma faixa empoderadora de 2017? Conta pra gente nos comentários!

Comentários

Mais lidas
Alguns direitos reservados / 2013 - 2017.
Desenvolvido por Lucas Mantoani.