Nos últimos anos, muito tem se falado sobre Kesha no mundo da música. A cantora sofreu com diferentes problemas desde seu último lançamento na indústria fonográfica, como depressão, abusos sexuais e psicológicos e uma ação judicial contra o produtor Dr. Luke, com quem se manteve presa em um contrato com a Kemosabe Records desde os 18 anos de idade.

Muitos dos confrontos pessoais de Kesha a acompanharam à clínica de reabilitação, onde pôde encontrar espaço para compôr e idealizar novos projetos longe de suas restrições contratuais, e permanecem a seguindo. Por exemplo, os seus últimos singles apenas foram lançados após a aprovação de Luke, destinatário de muitos dos trechos das canções, e terão seus lucros direcionados para a própria Kemosabe Records.

Esse longo e conturbado período criativo, entretanto, permitiu à americana a chegar em “Rainbow”, seu mais importante e simbólico álbum de estúdio até então lançado nesta sexta-feira (11) para compra digital e audição nas principais plataformas de streaming.

Para as gravações de seu novo disco, a cantora convocou produtores de renome, como Ryan Lewis e Ricky Reed, a fim de obter o resultado mais ambicioso de sua carreira. O título mistura gêneros como o country e o rock de garagem ao mesmo tempo que discute o empoderamento feminino e a liberdade criativa em suas letras, incorporando as experiências vividas pela artista nestes últimos anos.

“Rainbow” conta com os singles promocionais “Praying”, “Woman”, “Learn To Let Go” e “Hymn” e é o primeiro trabalho de estúdio de Kesha em quase cinco anos. O último disco lançado pela americana foi “Warrior”, que chegou às lojas em novembro de 2012 e foi posteriormente promovido por faixas como “Die Young”, “C’Mon” e “Crazy Kids”.

Ouça “Rainbow” na íntegra via Spotify:

Comentários

Mais lidas
Alguns direitos reservados / 2013 - 2017.
Desenvolvido por Lucas Mantoani.