17 de abril de 2019 por Manuela Sant'Ana.

A madrugada de hoje (17) não foi normal para os fãs da Beyoncé. A cantora pegou todos de surpresa ao disponibilizar seu novo álbum “HOMECOMING: THE LIVE ALBUM” no Spotify, juntamente com seu documentário “Homecoming: A Film By Beyoncé”, na Netflix.

O disco, de “apenas” 40 faixas, traz as versões das músicas ao vivo de suas icônicas apresentações no Coachella 2018. Na ocasião, Beyoncé estreou como a primeira mulher negra a pisar no palco do festival americano como headliner, fato inédito em 20 anos de evento.

Documentário Homecoming

No documentário, é possível ver trechos de suas duas apresentações, intercalados com depoimentos e entrevistas, em 2h16 de filme. Ele nos traz cenas e detalhes dos bastidores para a preparação dos shows, que aconteceram apenas dez meses depois do nascimento dos gêmeos, Sir e Rumi.

Não foram poucas as dificuldades relatadas por Beyoncé no filme. Durante esse período, a cantora enfrentou uma série de adversidades que precisariam ser superadas para chegar com tudo em ordem no Coachella.

Dietas especiais para manter a forma, muitos treinos, amamentação dos bebês e outras situações isoladas. Essas foram algumas das dificuldades enfrentadas pela cantora.

Mas Beyoncé conta como superou a pressão, porque ela desempenha dois papéis ao mesmo tempo: o de artista e o de mãe.

Créditos: Netflix

“Estou tentando descobrir como ser uma mãe de uma criança de seis anos e de gêmeos que precisam de mim. Fisicamente, foi um malabarismo”, comenta a cantora.

E o filme também detalha o pano de fundo utilizado nos shows. Beyoncé destacou seu foco voltado para o resgate da cultura negra e suas raízes. E cada detalhe apresentado no palco guardava uma referência trazida pela artista e sua equipe, como forma de incentivar seu público a pesquisar, compreender, admirar e respeitar sua cultura.

Foto: Daily Post/ Nigeria

Quem já conferiu o álbum e o documentário? Comente com a gente no Twitter e Instagram!

Comentários

Mais lidas
Alguns direitos reservados / 2013 - 2017.
Desenvolvido por Lucas Mantoani.