Com Allianz lotado, Bon Jovi apresenta show de sucesso em São Paulo

Cobertura e texto de Larissa Biondi Depois de um show em Recife, Bon Jovi chegou ao […]

Por em 27 de setembro de 2019

Cobertura e texto de Larissa Biondi

Depois de um show em Recife, Bon Jovi chegou ao estado de São Paulo e se apresentou no Allianz Parque. Na noite de quarta-feira (25), a banda reuniu seus maiores hits e fez uma bem sucedida apresentação de mais de duas horas. Nem a chuva e nem o frio foram capazes de desanimar os integrantes da banda e seu público.

Apesar de diminuir o tom de voz em suas músicas para conseguir cantar por horas, Jon Bon Jovi não deixa de agradar no palco. O vocalista pula, faz charme, interage e, sempre sorridente, demonstra toda a sua satisfação pela presença dos fãs e pelos flash mobs. Em “Have a Nice Day”, por exemplo, todos levantaram plaquinhas com a famosa carinha vermelha, capa do álbum de mesmo título.

Guitarrista Phil X protagoniza solo de guitarra empolgante – créditos: Larissa Biondi

O início do show, com “This House Is Not For Sale”, já fez com que todos começassem a pular e gritar, mas o estádio foi levado realmente à loucura, pela primeira vez, na quinta música. O início de “You Give Love A Bad Name” fez todas as mais de 40 mil pessoas cantarem com empolgação. Se o vocalista tentou poupar a sua voz e não ultrapassar seus limites, os fãs fizeram o contrário. Durante a sequência “Roller Coaster”, “Whole Lot Of Leavin'” e “We Weren’t Born To Follow”, o público se acalmou um pouco; porém, voltou a surtar com “Runaway” e “It’s My Life”.

Além de Jon, David Bryan, tecladista, e Phil X, guitarrista, também tiveram destaque. Depois de “It’s My Life”, David Bryan tomou conta dos vocais; em “In These Arms”, o tecladista entregou uma emocionante performance, cantando e tocando. Phil X, por sua vez, empolgou todas as vezes em que protagonizou um solo de guitarra.

Além disso, Tico Torres, baterista, também teve seus momentos em que demonstrou toda a sua técnica. A banda como um todo, instrumentalmente, fez performances impecáveis.

“Bon Jovi mantém a atenção da plateia com sua presença de palco”

Sem grandes artifícios no palco como efeitos pirotécnicos e outros mais ousados, Bon Jovi mantém a atenção da plateia com sua presença de palco, luzes e telões. De certa forma, é isso que os fãs da banda querem presenciar, sem necessidade de adicionar atrações diferentes.

Jon Bon Jovi cantando Wanted Dead or Alive, uma das músicas mais esperadas da noite, em seu show no Allianz Parque no último dia 25.
Jon Bon Jovi cantando Wanted Dead or Alive, uma das músicas mais esperadas da noite – créditos: Larissa Biondi

Assim como de costume, Jon Bon Jovi dançou com uma fã no palco enquanto cantava “Bed Of Roses”. Uma segunda subiu e também conseguiu realizar o sonho de, talvez, todas as outras fãs que estavam no show. Nesse sentido, o público, apesar de ter sido em sua maioria formado por mulheres com uma média de 40 anos, contou também com a presença de pessoas mais jovens e até de famílias com crianças.

A politizada performance de “We Don’t Run” contou com uma participação do público e foi seguida por “Wanted Dead Or Alive”, uma das mais esperadas da noite. Depois de “Bad Medicine”, a banda fez uma pausa e, após alguns minutos, voltou com “Blood On Blood” e encerrou com chave de ouro ao tocar a icônica “Livin’ On A Prayer”.

A abertura do show ficou por aos cuidados de The Goo Goo Dolls. A banda, também formadas nos anos 80, foi ganhando maior atenção à medida em que iam tocando suas músicas mais conhecidas. Enfim, o estádio se despertou com “Iris”.

“This House Is Not For Sale”, turnê de Bon Jovi, foi anteriormente anunciada em 2016 e passou pelo Brasil em 2017. Agora, no dia 27 de setembro, a banda se apresentará em Curitiba e, no dia 29, mais uma vez no Rock In Rio como headliner.


Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!