28 de abril de 2014 por Renan Collier.

Demi Lovato - Topo Oficial 1

Eram 20:10 nos relógios dos fanáticos lovatics quando as luzes do Citibank hall se apagaram. Não era a primeira vez que aqueles fãs gritavam aquele dia, a maioria estava no local do show desde de manhã gritando para quem quisesse ouvir seu amor pela cantora de 21 anos, mas sem dúvida aquele foi o grito mais entusiasmado.

Quando o vídeo de abertura começou todos que estavam dentro do local, fosse pai, mãe, fã ou não, todos pararam um minuto para prestar atenção naquela menina – ou mulher, se assim preferir – que, com um olhar desesperado pedia nossa ajuda para sair do aquário gigante. Demi Lovato apareceu majestosa no centro do palco entoando os versos do primeiro single de seu último álbum.

10246737_655861207818117_5530895265988429535_n

“Heart Attack” já estava na ponta da língua de todos e por isso talvez seja a melhor música para iniciar o show. Bastante para cima, dançante e ao mesmo tempo ela pode mostrar para que veio com os melismas impecáveis pelos quais ela já é conhecida. O single veio seguido de “Remember December”, outro hit de peso que não deixou a peteca cair e continuou levando os fãs, que mal acreditavam que ela estava à pouquíssimos metros, ao delírio.

Logo após “Really Don’t Care” iniciava-se a parte mais calma do show. “Catch Me”, que foi performada com um violão iniciou a derrubada de lágrimas dos fãs que haviam acabado de ouvir a cantora dizer em um português arranhado as palavras: “Eu estou muito feliz de estar aqui com vocês”.

Ainda seguindo a vibe e sem se levantar de seu banquinho “Here We Go Again” ganhou uma versão nova e bem mais calminha para dilacerar os corações de todos os presentes.

“Made In The USA” era uma das músicas mais esperadas da noite não só por ter sido um single, ou por ser uma música muito boa, mas porque em todos os outros shows ela tinha trocado a letra da música para “Made In Brasil”. A decepção foi crescendo a medida que a música chegava ao fim e nos últimos acordes já estava extremamente desacreditado de ouvir qualquer coisa diferente do que já conhecia. Mas estava enganado. Mesmo depois do fim da música Demi acrescentou: “Hum, acho que não” e nos agraciou com um prolongado e belo “MADE IN BRASIL”.

“Warrior” e “Let It Go” foram de longe as músicas cantadas com mais emoção pela plateia. Seus refrões já decorados e suas melodias gostosas de ouvir foram acompanhadas por um piano e um coral de mais ou menos 8 mil pessoas.

Após “Get Back” o telão exibia imagens da “antiga Demi”, uma menina – desta vez falo literalmente – estrelando Camp Rock juntamente com os antigos Jonas Brothers.

Para mostrar que tinha mudado, ou só para fazer uma gracinha, a cantora se imitou fazendo a virada de “This Is Me” simultaneamente com o vídeo. Um mash up de Don’t Forget/This Is Me/La La Land acompanhava as imagens e para fechar a transição simbólica e literal de uma garotinha cantando na Disney para uma mulher cantando para o mundo ela performou “Got Dynamite”, uma faixa que já tem toda uma pegada Girl Power ganhou um adendo com os movimentos bastantes provocantes da senhorita Lovato.

Depois de “Unbroken”, “Neon Lights” fechava o show de certa forma mas todos sabiam que ela ainda tinha duas músicas para apresentar. Depois de um vídeo que resumia todos os problemas que ela teve com distúrbios alimentares, auto-mutilação e sua internação, “Skyscraper” marcou o surgimento desta nova cantora que foi logo seguido por “Give Your Heart A Break” em um tom de fim de show com direito a confetes e canhões de ar comprimido.

1511406_655861191151452_2436941213331574896_n

A Neon Lights Tour carrega a missão de espalhar para o mundo a nova Demi Lovato. Sim, ela cresceu. Com uma voz que ninguém pode botar defeito e uma presença de palco impecável. Para mim ficou a imagem da cantora que amadureceu no ramo musical e conquistou muita coisa.

Não é possível, na minha concepção, falar desta turnê e não comentar o design impecável do palco. Nick Jonas, Demi e toda a equipe de produção artística estão de parabéns por terem bolado um palco tão versátil. O próprio diretor a turnê já  havia comentado que o desafio maior era criar um espaço que pudesse agregar momentos íntimos e agitados sem precisar de movimentação de alçapões.

Mesmo tendo achado a estrutura do local um pouco menor – O Citibank Hall do Rio se encontra debaixo do shopping Via Parque e tem uma capacidade uma pouco reduzida quando comparada com outras casas de show – ainda sim a iluminação cumpriu todo o seu trabalho fazendo o impossível como espaço que tinha.

No fim do concerto todos estava atônitos, mãe e pais cansados por horas de fila e se preparavam para voltar para casa ao som dos filhos que provavelmente cantarolaram as músicas até o caminho de casa.

Minha única crítica fica para o fato de o show ter começando antes mesmo de todos os fãs terem entrado. Eu mesmo só pude entrar após o show de abertura porém muitas pessoas entraram quando o show já tinha começado, falta de organização por parte da casa de shows.

A turnê de Demi Lovato ainda tem 3 cidades para visitar, dia 30 tem apresentação em Brasilia, dia 01 em Belo Horizonte e para fechar a passagem pelo Brasil ela faz um concerto em Porto Alegre dia 03 de maio.  Fique ligado aqui e nas nossas redes sociais para acompanhar nossa cobertura.

 

Comentários

Mais lidas
Alguns direitos reservados / 2013 - 2017.
Desenvolvido por Lucas Mantoani.