Nesta sexta-feira (22) a banda Panic! At The Disco lançou seu novo álbum, “Pray For The Wicked”. Brendon Urie, o vocalista da banda, canta de maneira irreprimível. Em um álbum cheio de músicas para cima, algumas que poderiam até mesmo ser de Robbie Williams, inspiração de Urie, somos levados para um mundo praticamente teatral. Com 11 músicas, o álbum é bastante curto, e tem apenas meia hora de duração.

Todos os álbuns do Panic! são bem diferentes entre si. Mas finalmente, em “Pray For The Wicked”, o sucessor de “Death of a Bachelor”, lançado em 2016, eles conseguiram captar a essência meio caótica em um álbum que é eclético e ao mesmo tempo tem uma cara bem definida e coerente. A maioria das músicas contam com um instrumental bem carregado de saxofones, trompetes, tambores e bateria. 

Brendon fala sobre a experiência de morar em L.A., e parece querer mostrar um lado mais aventureiro e sem preocupações. Em uma entrevista para o The Independent, ele falou sobre como ser um Mórmon fez com que em diversos momentos ele sentisse culpa por fazer qualquer coisa que fosse “errada”.

“A primeira vez que eu falei um palavrão, eu achei que Deus ia me acertar com um raio”.

No geral, o álbum tem uma vibe teatral, que lembra bastante Glee. Muitas das canções poderiam sinceramente fazer parte de comédias românticas. Os destaques do álbum são, o single que foi lançado anteriormente Say Amen (Saturday Night),  Roaring 20’s e Dying in L.A. Em Say Amen (Saturday Night), Brendon Urie demonstra uma de suas performances vocais mais fortes, atingindo notas quase inexplicáveis. Confira o videoclipe da música:

“Roaring 20’s” é definitivamente a mais teatral de todas, com referências ao estilo musical de New Orleans e aos anos 20, claro. Aqui ele canta especificamente sobre sua experiência na Broadway, atuando no musical Kinky Boots, no papel do personagem Charlie Prince, e como foi um momento de muita ansiedade. “Situações estranhas/Eu fico ansioso/ Talvez eu sorria um pouco/Talvez o oposto”, ele diz na música.

Já “Dying in L.A.”, é uma balada acompanhada por um piano. Escrita em parceria com a atriz americana Morgan Kibby, a música segue um estilo mais cinemático e romântico, que é provocado não só pelo instrumental mais tranquilo, mas também pelo vocal emotivo.

Escute o álbum inteiro no Spotify:

 

Comentários

Mais lidas
Alguns direitos reservados / 2013 - 2017.
Desenvolvido por Lucas Mantoani.