Que a P!nk é uma das melhores performers da música pop há pelo menos duas décadas, isso todo mundo já sabe. Mas a novidade foi ver esse talento todo no Brasil. Pela primeira vez no país, a cantora trouxe toda a estrutura e o repertório completo da Beautiful Trauma World Tour, de seu penúltimo álbum de mesmo nome, para o Rock in Rio 2019.

Realização

Os fãs não poderiam estar mais felizes. A cantora demorou a carreira inteira para fazer um show aqui. E claro que os mais dispostos preferiram chegar cedo e garantir lugar na frente do palco. E bota disposição nisso, já que ela só subiria no Palco Mundo às 0h10, depois de Anitta e Black Eyed Peas.

Foto: Tine/Rock in Rio

Show completo

Já na introdução, P!nk passou o recado do que viria a seguir: uma superprodução, com cenários interativos, dançarinos incríveis e backing vocals talentosíssimos.

As primeiras músicas, como “Beautiful Trauma”, “Just Like a Pill” e “Who Knew”, mostraram o lado mais cru da artista, com destaque para sua bela voz. Apesar de agradar os fãs, o público em geral – atentos a cada passo -, aguardavam as canções mais conhecidas.

E os mimos chegaram: primeiro com “Try” e a clássica performance em que P!nk atua como uma verdadeira bailarina. Acompanhada de um dançarino, ela impressiona pela flexibilidade e representação enquanto canta.

Foto: Tine/Rock in Rio

Isso é o que mais chama atenção e dá a P!nk o reconhecimento como artista completa. Ela segura a voz enquanto dança usando cada parte do seu corpo e enquanto LITERALMENTE voa em vários momentos de acrobacias.

A seguir, vieram momentos de muita emoção e um coro altíssimo formado pela multidão em “Just Give Me a Reason” – que trouxe Nate Ruess no telão -, “What About Us” – acompanhado de um cover de “We Are The Champions do Queen -, e “Fucking Perfect”.

Entre tantos hinos, P!nk parava para falar com os fãs. A cantora demonstrou uma imensa alegria por estar ali e agradeceu à plateia a todo momento. Ela deu até a oportunidade de um fã pedir o namorado em casamento, entregando o microfone a ele para um discurso lindo sobre como P!nk o ajudou a enfrentar a homofobia. Realmente, foi lindo demais!

Show sem defeitos?

Nada disso. Falhas no microfone e o som baixo atrapalharam mais o público que não estava tão próximo do palco. Do concerto em si, os interlúdios da turnê – reproduzidos nos telões – quebravam o clima entre os hits dos seus 5 álbuns de estúdio

Para um festival, talvez funcionasse melhor se a apresentação fosse direto ao ponto para levantar o público durante todo o show.

Final já esperado, mas surpreendente

Desde antes do Rock in Rio, a grande expectativa para o show da P!nk era a de que ela voasse – literalmente – sobre a multidão do festival. E aconteceu no final do show, durante a performance de “So What”!


Apesar de ser comum nos shows da artista, a maior parte do público ficou surpresa pela ousadia da cantora. Suspensa por cordas que a transitaram até o fundo do público, P!nk nos presenteou com uma série de acrobacias muito bem ensaiadas e fechou, da melhor forma, o grande espetáculo da penúltima noite do evento carioca.

Comentários

Mais lidas
Alguns direitos reservados / 2013 - 2017.
Desenvolvido por Lucas Mantoani.