Entrevista: Ashnikko fala sobre mistura de sonoridades, estilo e mais

Nos últimos anos, a indústria da música pop ganhou vários artistas notórios fora do padrão, se […]

Nos últimos anos, a indústria da música pop ganhou vários artistas notórios fora do padrão, se comparados com anos anteriores. Tanto na questão estética como na diversidade de gêneros musicais, a variedade é algo que ascendeu. Nessas duas categorias, pode-se citar uma revelação de 2020: Ashnikko.

Se você não conhece a cantora, você certamente já escutou trechos de suas músicas no Tiktok. Uma delas – “Stupid” – viralizou em um desafio, tendo chegado até mesmo à Miley Cyrus e Cody Simpson. Desde então, através dessa inusitada chamada de atenção, muitos olhos foram à Ash. E não foi à toa.

Ashnikko tem 24 anos e é original da Carolina do Norte, mas sua carreira apenas começou quando se mudou para Londres. Com muitas influências de anime, desenhos e ao mesmo tempo do metal, Ash mostra todo esse mix em suas músicas e estética. Até então, já fez notáveis colaborações com Grimes, Princess Nokia (parceria que poderemos escutar quando sua mixtape for lançada), Yung Baby Tate.

Apesar de sonoridades completamente diferentes, pode-se dizer que de certa forma é como se fosse uma Billie Eilish mais explícita e excêntrica – o que não é nada mal.

Na última semana, o Tracklist bateu um papo com a cantora que lança sua primeira mixtape “Demidevil” em breve. Sem mais delongas, você pode ler a entrevista abaixo e conhecer um pouco mais do mundo de Ashnikko:

Você ganhou muito hype nesse último ano, mas sinto que algumas pessoas ainda estão te perdendo. Se você pudesse se descrever em 3 palavras para que eles te conhessessem um pouco mais, quais seriam elas?

Não consigo me descrever em três palavras! (Risos) Não sei… Azul, extrovertida e autodepreciativa… não sei! (risos)

Até agora, você explorou várias sonoridades em suas músicas diferentes sonoridades. Podemos esperar essa mistura de ritmos nos próximos trabalhos?

Eu definitivamente exploro vários genêros musicais, porque não consigo decidir minha cabeça e eu gosto bastante de brincar com isso.

Você tem a música “Cry” que é uma colaboração com a Grimes. Mas você também tem a versão dela com a banda Employed To Serve (uma banda de metal). Qual foi a diferença de gravar as duas diferentes versões e como essa ideia de gravar com a Employed To Serve surgiu?

A versão original tem tanta emoção que me senti alinhadamente bem em gritar e faze-la em uma versão de metal; mas meio que eu sempre desde que a lancei fiquei tipo “eu quero muito poder fazer uma versão de metal dela! Quero me testar!”. Eu sempre quis aprender como gritar, ainda não sou muito boa nisso, mas estou trabalhando nisso. Só queria tentar.

Além das parcerias que você já tem, você ainda tem alguma que seria um sonho pra você realizar?

Estou tentando pensar… Não sei, estou trabalhando com algumas pessoas muito legais, amo colaborar com meus amigos… tem uma sample da banda Coalesce na mixtape. Foi um sonho já ter a oportunidade de trabalhar com a Grimes, Princess Nokia… Quero me cercar com pessoas talentosas e criativas. Acho que minha coisa favorita no mundo é fazer música com meus amigos. 

Você tem uma estética muito irada! Quais são suas influências, e elas te afetam musicalmente também, ou musicalmente elas são diferentes?

Minhas maiores influências são meus amigos, meus amigos são muito estilosos, desenhos, animes, revistas em quadrinhos, principalmente personagens ficcionais são os que mais me dão inspirações em como me visto. É, tem esse elemento de fantasia e ficção nas minhas letras que gosto de construir bem vívidas, imaginar mundos ficcionais que são muito fantásticos… Então acho que os desenhos animados influenciam nas minhas músicas.

Não sou uma usuária frequente do TikTok, mas alguns dos meus amigos descobriram sua música por lá. Essa popularidade no TikTok foi algo que você planejou ou surgiu do nada?

Foi definitivamente algo que meio que aconteceu inesperadamente. Eu acho muito engraçado. Eles realmente gostam muito da minha risada por lá, o que é muito esquisito. (risos)  Tem dois sons e então é só a minha risada. Você só deve se render à internet às vezes.  

Depois disso, as redes sociais afetaram de alguma forma a forma que você faz música?

Se eu pensar nas redes sociais enquanto estiver fazendo músicas eu acho que enlouqueceria… então eu não tenho as redes sociais em mente.

Se você pudesse agora falar algo pra você quando estava começando a carreira e era mais nova, o que diria?

Eu diria… não use essas roupas, você parece uma grande confusão; você não precisa postar toda música que você faz no SoundCloud; seja mais gentil consigo mesma.. e é, trabalhe duro e não desanime. Porque eu desanimei várias vezes. E eu achei que o mundo estivesse acabando, mas não estava, e eu só precisava me acalmar. 

Temos alguns fãs brasileiros por aqui. Você poderia enviar uma mensagem para eles? Adoraríamos um show por aqui assim que eles puderem voltar a ser realizados!

Eu amo meus fãs brasileiros! Eles são muito dóceis, carinhosos… eu tenho algumas páginas de fãs brasileiros e eles são muito amáveis, muito engraçados, inteligentes e pessoas muito legais de conversar. Mal posso esperar para conhecer todos vocês! Estou muito, muito animada para ir conhecer o Brasil.


Por em 14 de dezembro de 2020

Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!