Sempre após um trabalho bem sucedido no início de carreira, o artista geralmente sofre uma pressão por parte de seu público e de seus colaboradores para um trabalho que se destaque tanto quanto o primeiro. A expectativa cresce e muita das vezes faz com que ele tenha que suar um pouco mais para manter a excelência conquistada, mas também há casos em que isso não é obtido e então com a queda, vêm as duras críticas.

Com ZAYN a preocupação e a expectativa já veio precocemente após sua saída do One Direction e logo após em que se soube de um disco solo a caminho. “Mind of Mine” foi lançado em 2016 e o retirou da bolha de artista teen para mostrar um homem maduro e mais livre para experimentar uma nova sonoridade R&B, Neo-soul e adentrar de vez no mainstream. E ele conseguiu brilhantemente.

Dois anos depois, ele retorna ao cenário com o disco “Icarus Falls“. O disco possui 27 faixas e conta com alguns dos queridinhos do meio musical Greg Kurstin, Brian Lee e Timbaland em sua produção. Para não ficar muito longo, vamos abordar os principais detalhes do disco nesse review para você saber o que esperar dessa nova era do cantor. Confira abaixo:

Produção

Em primeira impressão, o disco parece seguir a mesma base de seu antecessor, se mantendo em uma zona de conforto, mas não que isso seja ruim. As Influências de R&B/Urban contemporâneo permeiam faixas como “Let Me”, “Natural”, “Back to Life”, “Common”, “If I Got You”, “I Don’t Mind” e “Rainberry”. São ótimas faixas com pegadas sensuais e às vezes até um pouco similar aos trabalhos de boybands como N’Sync e Backstreet Boys.  Algumas faixas destacam-se principalmente pela sua produção bem acertada também com influências do Soul e Neo-soul como “Imprint” e “Stand Still” enquanto algumas outras resgatam influencias já vistas no ultimo trabalho do cantor como é o caso de “Talk to Me” que flerta com Reggaeton e outras que trazem um pouco de Pop como “There You Are”. Mas como nem tudo são flores, notamos algumas faixas que parecem desconexas no disco ou não trazem tanta novidade como por exemplo “Flight of the Stars”, “Good Guy”, “You Wish You Knew” e “Sour Diesel”. Faixa a faixa, percebemos o leque de variedades que ZAYN explorou no disco e como seus produtores souberam valorizar o seu talento como vocalista, buscando explorar novas texturas da região média de sua voz como no caso da faixa “Satisfaction”, trazendo vocais aveludados, precisos e que foram pouco explorados no “Mind of Mine”.

Parcerias 

Embora tenha 27 faixas, apenas duas delas são colaborações com outros artistas. A primeira parceria acontece em “No Candle No Light” com Nicki Minaj e sem dúvidas é uma das melhores faixas do álbum. A rapper soube agregar (e muito) à faixa para que ela tivesse a força necessária que nós estávamos esperando, onde unem-se as influências de Trap, Dancehall e Pop em uma faixa cativante e ótima para as pistas. A outra parceria é com um dos produtores do disco, o saudoso Timbaland. A faixa cumpre bem o seu papel trazendo uma sonoridade trap dos anos 90 e influências Dancehall, mas Timbaland honestamente não agrega tanto. Confesso que esperava um pouco mais, mas ainda sim a qualidade da faixa é indiscutível.

Resultado de imagem para Icarus falls ZAYN

Conclusão

Icarus Falls” é um trabalho consistente, atende bem às expectativas dos fãs de ZAYN, porém peca feio pelo excesso de faixas e principalmente porque algumas delas soam muito parecidas entre si, tornando um disco muito ambicioso. Resumindo, é como se o cantor estivesse dando um passo maior do que a própria perna implementando diversos gêneros e tornando exaustivo o consumo do disco. Todavia não invalida o esforço de ZAYN e seus colaboradores. Sua competência como artista é notável e mostra sua evolução em comparação ao seu primeiro disco “Mind of Mine”.

Melhores faixas: “Let Me”, “Back to Life”, “Stand Still”, “Rainberry” e “No Candle No Light”

Nota: 7,7/10

E você, o que achou do novo disco de ZAYN? conta pra gente nos comentários!

Comentários

Mais lidas
Alguns direitos reservados / 2013 - 2017.
Desenvolvido por Lucas Mantoani.