Já não é novidade alguma que “Havana”, atual música de trabalho de Camila Cabello com o rapper Young Thug, já se firmou como um sucesso mundial. Entretanto, a canção alcança seu maior feito desde o seu lançamento ao assumir o topo da parada britânica de singles, concedendo à ex-integrante do Fifth Harmony sua primeira liderança no Official Charts.

Enquanto chega à primeira posição no Reino Unido, Camila também tem conquistado espaço na tabela americana (atualmente encabeçada por “Rockstar”, parceria entre Post Malone e 21 Savage que é a principal concorrente de “Havana” na terra da Rainha), onde sobe para o segundo lugar — a melhor colocação da cantora em toda a sua carreira.

Em contrapartida, as listas de discos são dominadas por figuras veteranas em ambas as paradas. Kenny Chesney debuta diretamente na liderança da Billboard 200 com o álbum ao vivo “Live In No Shoes Nation”, enquanto Michael Ball e Alfie Boe revisitam o topo britânico com o seu segundo trabalho conjunto, “Together Again”. Os três artistas superaram grandes estreias no processo, incluindo artistas como Kelly Clarkson, Chris Brown, Stereophonics e Gregory Porter.

BILLBOARD
ESTADOS UNIDOS

Sem grandes novidades, “Rockstar” ainda é o single a ser batido na parada americana. O sucesso absoluto de Post Malone e 21 Savage permanece por uma quarta semana consecutiva no topo, configurando-se com a maior liderança de uma faixa de rap na Billboard Hot 100 em 2017 ao superar nomes como Migos, DJ Khaled, Kendrick Lamar e Cardi B (atualmente na terceira posição com “Bodak Yellow”).

Além disso, a canção também marca o maior domínio do gênero na tabela desde “Black Beatles”, hit viral do Rae Sremmurd com Gucci Mane que esteve à frente da lista por sete atualizações entre novembro de 2016 e a primeira semana de janeiro desse ano. Ao todo, foram acumulados 46 mil downloads e 46 milhões de streams — o maior índice da semana em tal quesito — pelos Estados Unidos.

Porém, a liderança da faixa está ameaçada com o constante crescimento comercial de “Havana”, sucesso de Camila Cabello em parceria com Young Thug. A música escalou cinco colocações rumo ao segundo lugar da lista, sendo impulsionada principalmente pelas suas vendas digitais e a repercussão de seu recém-liberado videoclipe.

Ao longo da última semana, a canção obteve cerca de 47 mil pontos provenientes de seus downloads, além de 32,3 milhões de reproduções em serviços de streaming — percentuais 12% e 32% superiores em relação aos registrados na atualização passada da Billboard Hot 100, respectivamente.

Com sua ascensão à vice-liderança, “Havana” se torna não apenas o single solo mais bem-sucedido de Camila, mas de toda a sua carreira. Até então, a cantora havia alcançado a quarta colocação com “Work From Home”, colaboração do Fifth Harmony com Ty Dolla $ign lançada no ano passado, e retornou à mesma posição em fevereiro com “Bad Things”, faixa de Machine Gun Kelly na qual faz uma participação especial.

Curiosamente, “Havana” é a quarta canção a chegar às dez primeiras posições da parada americana a levar o nome de uma cidade em seu título. As três outras foram “Paris”, faixa do The Chainsmokers que chegou ao sexto lugar em março; “Portland”, parceria de Drake com Quavo que fincou seu pico no nono degrau da lista em abril; e “Malibu”, single de retorno de Miley Cyrus que assumiu o décimo posto da tabela em sua semana de lançamento, em junho.

Além de Cabello, Lil Pump registra a segunda melhor campanha da semana entre as dez faixas melhor colocadas com o sucesso avassalador de “Gucci Gang”. A atual música de trabalho do rapper conquistou sete posições até o sétimo lugar, alavancado em grande escala pelo seu desempenho nas plataformas de streaming — nas quais somou aproximadamente 29 milhões de audições.

Este é o maior sucesso da carreira do americano, cujo álbum homônimo de estreia debutou na terceira colocação no mês passado, até então. É esperado que a canção venha a subir ainda mais ao longo das próximas atualizações da tabela, uma vez que seus números continuam a crescer irrefreavelmente nos Estados Unidos.

Assim são preenchidas as dez primeiras posições da Billboard Hot 100 nessa semana:

1. “Rockstar”, Post Malone e 21 Savage (-)
2. “Havana”, Camila Cabello e Young Thug (7–2)
3. “Bodak Yellow”, Cardi B (2–3)
4. “1–800–273–8255”, Logic com Alessia Cara e Khalid (3–4)
5. “Thunder”, Imagine Dragons (-)
6. “Feel It Still”, Portugal. The Man (4–6)
7. “Gucci Gang”, Lil Pump (14–7)
8. “Sorry Not Sorry”, Demi Lovato (6–8)
9. “Mi Gente”, J Balvin e Willy William com Beyoncé (6–9)
10. “Too Good At Goodbyes”, Sam Smith (9–10)

O lançamento de “Live In No Shoes Nation” nos Estados Unidos não poderia ter sido mais marcante para Kenny Chesney. O mais novo álbum ao vivo do lendário cantor de country obteve uma das melhores estreias de 2017 até então, registrando cerca de 219 mil cópias vendidas em seus primeiros sete dias disponível, e quebrando marcas de anos na Billboard 200.

O trabalho se torna o oitavo título de Chesney a chegar ao topo da tabela americana, conforme o cantor se mantém como o segundo artista de country com maior número de álbuns no topo da lista — atrás apenas de Garth Brooks, com nove ao todo. Contudo, “Live In No Shoes Nation” é o primeiro registro ao vivo a assumir o primeiro lugar em mais de sete anos, sucedendo o especial beneficente “Hope For Haiti Now”; e o primeiro individual desde 2009, quando o Sugarland esteve à frente da parada com “Live On The Inside”.

Além disso, o disco também teve a melhor semana de lançamento de um projeto gravado ao vivo em mais de uma década. O último álbum a superar sua marca foi “Back In The U.S.”, trabalho de Paul McCartney lançado em 2002 que reuniu aproximadamente 224 mil unidades comercializadas em seus primeiros dias de venda.

O sucesso comercial de Kenny Chesney superou os grandes lançamentos de Kelly Clarkson e Chris Brown nos Estados Unidos. A cantora, que retorna com o inédito “Meaning Of Life”, debuta na vice-liderança com 79 mil cópias vendidas — 11 mil a menos que “Heartbreak On A Full Moon”, último álbum de estúdio de Brown que estreia na terceira colocação. Os novos títulos marcam as oitava e nona aparições de ambos os artistas, respectivamente, entre os dez primeiros degraus da Billboard 200.

Em uma atualização recheada de novos projetos, o rap domina grande parte das primeiras posições da parada americana. Em sua colocação mais alta, 21 Savage, Offset e Metro Boomin estreiam no quarto lugar com o lançamento quase surpresa do álbum conjunto “Without Warning”, que vendeu cerca de 53 mil cópias em sua primeira semana. Esta não é a única parceria entre artistas a marcar presença entre os melhores colocados da tabela, uma vez que Future e Young Thug ocupam o nono degrau com “Super Slimey”.

Cinco outros títulos do gênero ainda aparecem entre as primeiras posições, sendo dois deles inéditos. Tratam-se de “I Still Am”, mais novo trabalho de estúdio de Yo Gotti que assegura o sexto posto da lista; e “4eva Is A Mighty Long Time”, terceiro disco de Big K.R.I.T. que debuta diretamente na sétima colocação. Além de ambos, Post Malone e Lil Uzi Vert também se destacam com seus últimos projetos, respectivamente “Stoney” e “Luv Is Rage 2”.

Os dez álbuns melhor posicionados na mais recente atualização da Billboard 200 são:

1. “Live In No Shoes Nation”, Kenny Chesney (*)
2. “Meaning Of Life”, Kelly Clarkson (*)
3. “Heartbreak On A Full Moon”, Chris Brown (*)
4. “Without Warning”, 21 Savage, Offset e Metro Boomin (*)
5. “Stoney”, Post Malone (4–5)
6. “I Still Am”, Yo Gotti (*)
7. “4eva Is A Mighty Long Time”, Big K.R.I.T. (*)
8. “÷”, Ed Sheeran (7–8)
9. “Super Slimey”, Future e Young Thug (2–9)
10. “Luv Is Rage 2”, Lil Uzi Vert (9–10)

OFFICIAL CHARTS
REINO UNIDO

Provando o seu status como um dos maiores sucessos do pop na reta final de 2017, “Havana” finalmente chegou ao topo do Reino Unido. A colaboração e Camila Cabello com Young Thug dispara em direção à primeira colocação na parada britânica de singles, destronando Post Malone e 21 Savage por uma diferença aproximada de apenas 4 mil unidades vendidas.

A faixa não apenas consagra-se como a primeira música de trabalho de Camila a ocupar o topo, mas também se torna o maior sucesso da cantora na tabela de forma geral. Até então, a ex-integrante do Fifth Harmony havia alcançado a vice-liderança da lista junto à girlband com “Work From Home”, parceria com Ty Dolla $ign lançada no ano passado.

Além de “Havana”, a cubana-americana já impactou a tabela britânica com outros cinco singles, sendo três deles provenientes de parcerias de outros artistas (“I Know What You Did Last Summer”, de Shawn Mendes; “Bad Things”, com Machine Gun Kelly; e “Know No Better”, lançada pelo Major Lazer) e o restante individuais (“Crying In The Club”, em junho, e “OMG”, em agosto).

Dois outros artistas fincam ou retornam às suas posições de pico entre os primeiros lugares da lista em sua última atualização. O mais notável deles é Zayn, que volta à quinta colocação com sua mais recente música de trabalho, “Dusk Till Dawn”, em colaboração com Sia. Abaixo, Ed Sheeran sobe novamente com a forte divulgação de “Perfect” pelo Reino Unido, em sua primeira campanha como single oficial (uma vez que a canção debutou no quarto posto na semana de lançamento de “÷”, em março).

Por fim, Charlie Puth também reemerge entre os dez primeiros degraus da tabela com o grandioso desempenho de seu último lançamento, “How Long”. A faixa escala para o nono lugar após a performance do cantor no programa “Sounds Like Friday Night”, da emissora britânica BBC, e o concede seu melhor desempenho na lista desde “Attention”.

Com isso, estes são os dez singles de maior destaque comercial no Reino Unido:

1. “Havana”, Camila Cabello e Young Thug (2–1)
2. “Rockstar”, Post Malone e 21 Savage (1–2)
3. “Silence”, Marshmello e Khalid (-)
4. “Lonely Together”, Avicii e Rita Ora (-)
5. “Dusk Till Dawn”, Zayn e Sia (6–5)
6. “Perfect”, Ed Sheeran (5–6)
7. “Too Good At Goodbyes”, Sam Smith (5–7)
8. “Finders Keepers”, Mabel e Kojo Funds (-)
9. “How Long”, Charlie Puth (17–9)
10. “Mi Gente”, J Balvin e Willy William com Beyoncé (-)

Repetindo o sucesso de sua primeira parceria, Michael Ball e Alfie Boe retornam à liderança do Reino Unido com o inédito trabalho de estúdio conjunto “Together Again”. O disco é uma sequência direta de seu antecessor, um dos títulos mais vendidos em território britânico em 2016 que chegou ao cobiçado topo na semana de Natal.

Com isso, Michael Ball registra sua terceira aparição na primeira colocação (considerando também seu título homônimo de estreia, lançado em 1992) e o sexto entre as dez melhores, enquanto Alfie Boe apenas esteve à frente da lista junto ao cantor.

A vice-liderança dessa semana é ocupada por “Scream Above The Sounds”, trabalho de estúdio inédito do Stereophonics que também debuta em evidência pelo Reino Unido. Este é o décimo projeto da banda galesa a assumir uma das dez primeiras posições do Official Charts, tendo seis deles alcançado o topo.

Gregory Porter também garantiu um desempenho positivo com o lançamento de seu último disco, “Nat ‘King’ Cole & Me”, que agora também é o seu trabalho melhor posicionado na parada britânica. Com suas vendas iniciais, o título surge no terceiro lugar — dois a frente do obtido pelo seu antecessor no ano passado.

Apesar de não repetir o mesmo rebuliço que causou nos Estados Unidos, “Heartbreak On A Full Moon”, novo álbum de estúdio de Chris Brown, assegurou uma boa estreia no Reino Unido. O projeto estreia no décimo posto da lista, marcando a sexta vez que o cantor alcança a região de destaque do Official Charts em sua carreira e posicionando-se atrás de “Tears On The Dancefloor”, último título do Steps que retorna à tabela com o lançamento de sua edição deluxe.

Confira como são ocupadas as dez primeiras colocações da parada britânica de discos:

1. “Together Again”, Michael Ball e Alfie Boe (*)
2. “Scream Above The Sounds”, Stereophonics (*)
3. “Nat ‘King’ Cole & Me”, Gregory Porter (*)
4. “Listen Without Prejudice Vol. 1”, George Michael (1–4)
5. “Beautiful Trauma”, P!nk (2–5)
6. “÷”, Ed Sheeran (5–6)
7. “As You Were”, Liam Gallagher (4–7)
8. “Tears On The Dancefloor”, Steps (*)
9. “Flicker”, Niall Horan (3–9)
10. “Heartbreak On A Full Moon”, Chris Brown (*)


Três anos após surgir na indústria fonográfica como uma das maiores revelações musicais do século, Sam Smith retorna aos destaques com o aguardadíssimo lançamento de seu segundo álbum de estúdio, “The Thrill Of It All”, cujos números gigantescos de vendas em sua primeira semana disponível devem assegurar uma estreia na liderança nos Estados Unidos e no Reino Unido.

O cantor, que reuniu um forte sucesso local em sua terra natal, também deve impulsionar as vendas de sua última música de trabalho, “Too Good At Goodbyes”. Com a chegada de seu novo disco, é esperado que o single volte a crescer nas duas principais paradas musicais do mundo — ainda que enfrente a forte concorrência da inédita “Call It What You Want”, de Taylor Swift.

Semelhantemente, o Maroon 5 também deve garantir uma estreia positiva com seu mais novo disco, “Red Pill Blues”, e assim melhorar o desempenho de “What Lovers Do”, single gravado em parceria com SZA que atualmente está sendo vendido digitalmente com descontos. Além de ambos os títulos, a corrida pelas primeiras colocações ainda será intensificada por lançamentos de Blake Shelton, Kelsea Ballerini, Kid Rock e Grace VanderWaal.

As paradas de singles também devem ser disputadas em suas próximas atualizações por duas faixas em comum: “Rockstar” e “Havana”. Post Malone e Camila Cabello seguem acumulando números próximos nos Estados Unidos e no Reino Unido, e prometem decidir a liderança ponto por ponto na semana que vem.

Comentários

Mais lidas
Alguns direitos reservados / 2013 - 2017.
Desenvolvido por Lucas Mantoani.