23 de dezembro de 2019 por Redação Tracklist.

Por Ruben Borges

Todo final de ano temos o hábito de fazer aquela retrospectiva para recordar o que se passou durante os últimos 365 dias. Mediante o cenário mundial em que nos encontramos, onde as ideologias e valores morais da sociedade muitas vezes vão contra o que é defendido pelos políticos e governantes ao redor do globo, muitos artistas usam suas músicas como ferramenta de protesto numa atitude ativista, buscando sempre trazer a atenção do público os mais váriados assuntos com o objetivo de promover conversas e mudança de pensamento da população.

Por essa razão, aqui está a nossa lista com as músicas mais ativistas do ano de 2019!

“Bené” – Djonga

“Bené” do rapper Djonga não poderia ficar de fora desta lista. A música aborda diversos assuntos, mas foca principalmente nas questões sociais. Desde política até a vida de alguém que se inicia no crime. Djonga faz refêrencia ao desenho “Rick and Morty”, O.J Simpson e o terrível atentado ocorrido no World Trade Center. Ouça a canção:


“Running” – Febem ft Ashira

Uma música simples e rápida, mas em poucos versos, os artistas conseguiram expor a desigualdade social e como ela acontece no cotidiano de uma grande parcela da sociedade brasileira. Fique com a música:



“Luto 2” – Black ft. Djonga

Este projeto veio como um sequência de músicas da dupla. O assunto é o racismo, nada mais. Eles falam de como o negro ainda é prejudicado no país e a forma que eles estão e vão começar a agir referente a tudo que viveram no passado. Ouça a música:


“Geminiana” – DAY

Apesar da letra ser de uma canção de amor como qualquer outra, aqui o ativismo fica por conta da parte visual. No videoclipe, DAY mostra um pouco de um relacionamento entre duas mulheres, apresentando mais da sua verdade e sua óptica em relacionamentos. Assista o videoclipe:


“Money Manin” – FBC

O rap do recém lançado álbum do “Padrim” de FBC traz uma música que fala especificamente sobre a vida do crime, desigualdade e política. Além das críticas realizadas, a música é envolvente e tem uma batida gostosa de se ouvir, uma característica marcante deste álbum. Confira abaixo:


“I Rise” – Madonna

Essa canção deixa claro logo de cara que ela se trata sobre violência sofrida por armas. Ela começa com o discurso emocionado da estudante Emma Gonzales, aluna da Stoneman Douglas High – escola onde aconteceu um massacre em que 17 pessoas foram mortas e outras 17 ficaram feridas.

O atual presidente dos Estados Unidos, Donald J. Trump, é a favor do porte de arma e teve sua campanha e projetos financiados pela entidade que defende a posse e uso de armas e rifles. Madonna canta sobre ser a prova de balas, conseguir sobreviver sem se quebrar e sempre se reerguer, independente das adversidades. Ouça a música:


“The Seed” – AURORA

Nesta faixa, AURORA critica a forma que as pessoas tratam o meio ambiente. O verso que diz “Você não poderá comer dinheiro, oh, não” deixa explícito seu posicionamento. A cantora tem uma conexão forte com a natureza e na canção intitulada “A Semente”, ela diz que as suas lágrimas servirão como chuva para que novas flores nasçam. Impactante! Veja o clipe:


“Immigrant Eyes” – Willie Nelson

O cantor texano de 86 anos sempre falou suas verdades através da música e dessa vez não foi diferente. Willie Nelson compôs uma canção relembrando que é descendente de imigrantes europeus. A música fala sobre a saída de seu avô do continente europeu rumo aos Estados Unidos. Essa música foi lançada em meio a uma crise migratória que acontece atualmente acontece nos EUA, Europa e Brasil. No videoclipe, Nelson mostra imagens dos imigrante vindos de países latinos que foram presos e tiveram suas famílias separadas por caprichos do atual presidente estadunidense.



“Brown Skin Girl” – Beyoncé

A música, que conta com a participação de Blue Ivy, é um hino de empoderamento para todas as garotas e mulheres negras. Beyoncé canta sobre a beleza negra e como uma pele tão linda como uma pérola não deveria ser trocada por nada no mundo. Essa canção se tornou mais um hino de empoderamento da Queen B, onde pais e mães cantavam com suas filhas, valorizando e celebrando quem realmente são. Confira a música na íntegra:


“Preach” – John Legend

John Legend costumeiramente lança baladas envolventes, mas dessa vez o cantor trouxe uma canção que trata das batalhas que vivemos internamente, quando nos deparamos com injustiça, descaso, desigualdade e tantos outros sofrimentos na sociedade. O conflito que existe em cada pessoa na hora de agir ou tomar atitude. Abordando esse questionamento da posição das pessoas, no vídeo situações de racismo e xenofobia ganham destaque. Os views dessa faixa têm a sua monetização revertida para causas sociais! Assista “Preach”:

Comentários

Mais lidas
Alguns direitos reservados / 2013 - 2017.
Desenvolvido por Lucas Mantoani.