por Ana Luisa Porto e Maria Fernanda Villas

A morte do rapper XXXTentacion está sendo foco de diversos debates na internet. As opiniões sobre como encarar a morte – e a vida – do cantor de apenas 20 anos divergem e se polarizam. Nos últimos dois anos, o falecido rapper experimentou uma ascensão à fama tumultuosa e relativamente rápida, pontuada por sérios problemas legais e atos perturbadores de violência. Na época de seu assassinato em junho de 2018, ele aguardava julgamento por um caso de abuso doméstico de 2016. É difícil acompanhar todos esses eventos, por isso fizemos um cronograma para tentar entender a melhor situação.

Pré-2013: os primeiros anos

Jahseh Dwayne Onfroy nasceu no dia 23 de janeiro de 1998,  em Plantation, Flórida. Morou parte de sua infância com a avó,  por causa da situação financeira da mãe. Aos 6 anos foi colocado em um “programa reformatório para jovens” porque tentou esfaquear um homem que estava tentando atacar a mãe.

No início da  adolescência, Onfroy desenvolveu uma paixão pela música. Ele gostava de metal, hard rock e rap, e tentou aprender sozinho a tocar violão e piano. Sua mãe e sua tia o matricularam no coral da escola, mas ele acabou sendo expulso do programa por dar um soco em um colega de classe.  Foi expulso da escola no ensino fundamental porque sempre se envolvia em brigas físicas. Aos 14 anos, prestes a entrar 10th grade, que corresponde ao primeiro ano do ensino médio no Brasil, Onfroy desistiu da escola.

Com 15 anos, ele foi mandado para um reformatório por acusações de porte de arma.  Em uma aparição no podcast “No Jumper” em 2016, XXX contou detalhes de sua passagem pelo reformatório. Dentre as histórias, ele recordou que bateu em um companheiro de cela que era gay por achar ele “suspeito”, descrevendo cada ato violento com detalhes horripilantes. Durante seu tempo na detenção, ele conheceu o colega rapper Ski Mask the Slump God e eles começaram a fazer freestyle juntos. Depois de serem liberados, os dois passam a colaborar em vários projetos.

2013-2015: Surge XXXTentacion

Onfrey foi solto em 2013 e começou a gravar músicas.  Em março de 2014, lançou sua primeira música chamada “Vice City” no SoundCloud já usando o nome XXTentacion. O primeiro EP dele, “The Fall”, saiu em novembro do mesmo ano.

 

Durante o ano seguinte , XXX lançou uma série de EPs no soundcloud:  o trabalho solo “Heartbreak Hotel” e a coletânea Members Only Vol. 1 e Vol.2 em parceria com Ski Mask the Slump God

Em novembro de 2015, XXXTentacion foi acusado de cometer invasão de domicílio, roubo e assalto com uso de armas letais, de acordo com documentos judiciais. Um pouco mais de mês depois, Look at Me, seu primeiro grande single é lançado no SoundCloud. Os números de Look at Me no site de música independente não pararam de crescer. Em 29 de janeiro de 2016, a música recebeu um lançamento oficial como um download digital. Ainda assim, o single só entrou nas paradas da Billboard depois de mais dez meses e meio.

2016: violência doméstica e novas polêmicas

O 2016 de XXXTentacion foi caracterizado pelos seus crimes e passagens pela polícia. Durante este ano, o rapper foi preso várias vezes. Em maio, ele foi acusado de violência doméstica pela primeira vez. De acordo com o testemunho de uma ex-namorada, o rapper ameaçou penetrar sua vagina com um “garfo de churrasco”.

A segunda acusação de suposta agressão veio alguns meses depois. De acordo com um testemunho obtido pela revista Pitchfork, o rapper supostamente chutou, socou, atacou e “pisou em cima” de sua ex-namorada, porque a ouviu cantando a canção de outro artista. Ele também ameaçou cortar sua língua, disse a vítima

Em agosto, foi preso pelas acusações de roubo e assalto a mão armada do ano anterior. Ficou na cadeia até 16 de setembro, quando concordou em cumprir a pena sob prisão domiciliar. Na época, foi morar com a namorada Geneva Ayala.

Geneva descobriu que estava grávida no início de outubro. Nos dias que seguiram, vários casos de violência doméstica teriam ocorrido. De acordo com o depoimento de Geneva, ele ameaçou matá-la e a seu bebê, além de socar e chutá-la. Quando ela pediu a outros residentes do apartamento do casal para levá-la ao hospital, XXXTentacion se recusou a deixá-la sair. Ela fica presa no apartamento por dois dias até que, em 8 de outubro,consegue escapar e contatar a polícia

O rapper foi preso por abuso doméstico e enfrentou uma bateria de acusações que incluíam agredir uma vítima grávida, estrangulamento e cárcere privado. Ele pagou fiança, mas foi levado sob custódia novamente por ter quebrado os termos de soltura. Ele negou todas as acusações. Quando ele morreu ele estava aguardando julgamento por violência doméstica, que foi adiado diversas vezes – mais notavelmente quando os documentos da corte sobre o caso vazaram na mídia.

2017 – A retomada da carreira

O passado manchado de crimes de XXXTentacion parecia não importar pra os executivos da música. Em janeiro de 2017, Adam22 anunciou que iria gerenciar a carreira de XXX quando ele saísse da cadeia. Na época, A$AP Rocky também demonstrou seu apoio à XXXTentacion em uma live no Instagram. Em março de 2017, XXX saiu da prisão e começou a trabalhar no primeiro álbum “17”, que chegou a ficar na segunda posição no US Billboard quando foi lançado em agosto do mesmo ano. As músicas “Jocelyn Flores’ e “Fuck Love” são desse álbum.

Assim que saiu da cadeia, o rapper entrou em uma controvérsia muito grande, que gerou várias manchetes, quando acusou o Drake de ter roubado suas músicas. Ele disse que a música “KMT” era muito semelhante a “Look At Me”, seu breakout single, e ainda disse que o Drake o “desrespeitou”. O Drake negou as acusações e disse que não sabia quem era XXXTentacion antes de seus fãs apontarem as acusações e a situação explodir na mídia.  Ele também se envolveu em brigas com fãs em shows, e sempre alegou que esses incidentes foram em defesa pessoal.

Ao mesmo tempo, “Look at Me” estreou em #95 na Billboard Hot 100 No. 95. A música chegou a subir para #24 em abril. O vídeo do single gerou bastante controvérsia. Uma cena mostra o rapper colocando um laço em volta do pescoço de uma criança branca enquanto uma criança negra assistia. Ele disse que a cena é uma forma de apoio ao movimento All Lives Matter , resposta dos brancos ao #BlackLivesMatter. A # critica o racismo nos EUA, à luz de uma série de crimes cometidos por policiais brancos contra jovens negros. Em resposta à repercussão negativa, ele disse que estava desistindo da carreira musical. Porém, continuou na gravadora e depois acabou lançando mais músicas.

2018 – O ano final

Em março de 2018 ele lançou um segundo álbum, “?”, que estreou em primeiro lugar na parada de álbuns da Billboard, vendendo o equivalente a 131.000 unidades em sua primeira semana. “?” é o primeiro álbum de um rapper do SoundCloud a atingir o topo da Billboard. O disco ficou também entre os top três no album chart no UK. O lead single da nova era, “Sad,” chegou a # 7 na Billboard Hot 100, se tornando o primeira música do rapper a alcançar o top 10. “Changes” foi lançado como single pouco depois e também estourou.

Devido a má conduta do cantor, o Spotify tirou as músicas dele das playlists prontas do aplicativo. A decisão agradou os usuários do Spotify. Mas, no dia 2 de junho, essa política foi suspensa devido a reação de dentro da indústria musical. Kendrick Lamar saiu em defesa do rapper e disse que tiraria as próprias músicas do serviço de streaming caso eles não reintegrassem as músicas do XXXTentacion.

XXXTentacion morreu após ser atingido por tiros em Miami na última segunda-feira (18). O cantor saia de uma loja de motos quando foi baleado. Um vídeo obtido pelo TMZ após o tiroteio mostrou o rapper já desacordado em seu veículo. Um dos suspeitos pela morte do rapper foi preso na quarta-feira (20).

#xxxtentacion mom receives a text message from the detective that they caught the shooter

A post shared by Streetwatcherz (@streetwatcherzx) on

 

 

Comentários

Mais lidas
Alguns direitos reservados / 2013 - 2017.
Desenvolvido por Lucas Mantoani.