#SoundTrack: “Família Mitchell e a Revolta das Máquinas”

A Família Mitchell e a Revolta das Máquinas é a nova animação da Netflix em parceria com a Dreamworks

Por em 10 de junho de 2021

A Família Mitchell e a Revolta das Máquinas é a nova animação da Netflix em parceria com a Dreamworks, com os mesmos roteiristas do desenho “Gravity Falls”. Apesar de bobinho, é necessário para esfriar a cabeça, dar risadas, pegar referências e aproveitar todos os estilos musicais presente na trilha sonora.

Leia também: #SoundTrack: “Hit Parade” traz a nostalgia da indústria do entretenimento brasileiro

Os Mitchell são uma família média norte-americana. Dois filhos, um cachorro, vida estável e uma constante dependência por tecnologias entre todos eles, até mesmo, comicamente, o pet.

A aventura começa quando a Katie, filha mais velha e um pouco incompreendida pela família é aceita por uma universidade da Califórnia para cursar Cinema. Louca por fazer filmes com seu cachorro e gostos pouco comuns para a cidade em que vive e as pessoas que a cercam, Katie fica completamente animada, pois acha que será lá que encontrará sua “tribo”.

Acerca disso, seus pais sabendo que irão morar longe da filha resolvem resgatar memórias e fazerem novas para tentar reconecta-los. Tudo isso envolve vídeos caseiros de filmadora, músicas dos anos 2000 e uma viagem atravessando o país de carro. Ah, e claro: uma revolta tecnológica a partir de robôs.

Tecnologia e música

A trilha sonora do filme tem tudo a ver com ele. A música quase que tema do filme, que é sempre a que aparece em memórias boas de Katie com seu pai é “Live Your Life”, da Rihanna com o T.I. É uma música de 2008, época em que a personagem ainda era criança.

Por abordar essa questão da nossa dependência com redes sociais e tecnologias, até mesmo antes de nos darmos conta disso, muitas telas imitando o YouTube, TikTok e outras redes aparecem no filme. Junto à isso, não poderiam faltar as músicas virais e mais jovens para acompanhar: tem k-pop, Grimes e até mesmo música de filme clássico da cultura pop.

A música referenciada em questão é “Battle Without Honor Or Humanity”, tocada em uma cena específica de Kill Bill. Que meio que é “refeita” em A Família Mitchell e a Revolta das Máquinas.

A trilha sonora viaja desde músicas mais recentes para mais antigas, como “(Nothing But) Flowers”, do Talking Heads. Pra além da trilha, um momento específico do filme que envolve música que achei muito legal: enquanto lutam contra robôs, um deles chama atenção do pai, que diz que parece com “uma capa de vinil do Journey”. Nisso, o filho mais novo pergunta “o que é um vinil?

Conclusões

O filme é basicamente uma animação bastante inclusiva (o final é bem legal, mas não quero dar spoiler), em que uma família esquisita e com todas suas diferenças se unem para lutar contra a tecnologia e sem querer acabam criando ótimas memórias, e uma relação mais próxima. Tudo isso com muita música legal e várias referências. Vale a pena tirar um tempo para assistir!


Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!