Pabllo Vittar chamou a atenção da imprensa internacional com sua mini-tour e com o show que fez em Londres, na famosa casa noturna Heaven.

View this post on Instagram

NPNTOUR 🖤 #NÃOPARANÃO

A post shared by Pabllo Vittar 🔊 (@pabllovittar) on

Com isso, a BBC Mundo fez uma matéria especial da drag queen, onde conta alguns fatos do seu passado e o que pretende passar por meio de suas músicas.

Além dos depoimentos, o vídeo mostra os bastidores do show de Pabllo em Londres.

No vídeo, Pabllo diz que a primeira vez que se vestiu como drag queen foi em uma festa de Halloween, com 18 anos de idade. “Depois desse dia nunca mais parei de me montar”.

“Logo depois desse dia que me montei, os meus empresários me conheceram e me colocaram pra cantar em uma festa”. “Aí eu conheci o Gorky, meu produtor, gravei “Open Bar”, o DJ Diplo me adotou e hoje eu estou aqui”, conta Pabllo.

A força de Pabllo Vittar

Outro ponto falado durante a entrevista foi de que modo ser drag impulsiona sua carreira. Por sua vez, a cantora diz que o fato de ser drag queen dá impulso para que ela faça coisas que a “Pabllo normal” não seria capaz de fazer. “Pabllo Vittar me dá força para subir ao palco. E o que eu não tenho coragem de fazer, a Pabllo Vittar faz com muito mais audácia. Ela é perigosa”.

Sobre seu passado, a cantora diz que sua mãe a levou para o coral da igreja que frequentavam, e afirma que ela foi uma das pessoas que a “empurraram” para cantar. E a partir daí, começou a pensar em levar esse “hobbie” mais a sério.

“Eu já trabalhei de tudo: telemarketing, fast-food, cabeleireiro… tudo o que você possa imaginar”, comenta.

Pabllo, então, começou a cantar em baladinhas em que suas amigas eram promotoras. Não ganhava dinheiro com essas apresentações, mas estava fazendo o que realmente gostava.

“Sempre fui muito feminina, nunca tive uma figura masculina em casa”, revela. Na cidade pequena em que vivia, Pabllo saía nas ruas e as pessoas riam dela, mas encontrava apoio em sua mãe quando chegava em casa. “Ela sempre foi muito aberta comigo e sempre me apoiou”.

Por fim, a cantora aconselha os pais que tem filhos da comunidade LGBTQ, para que os abracem e os apoiem. “Eles serão seus filhos pelo resto da vida”.

Comentários

Mais lidas
Alguns direitos reservados / 2013 - 2017.
Desenvolvido por Lucas Mantoani.