26 de dezembro de 2019 por Fernando Marques.

por Fernando Marques e Gabriel Haguiô

Como você já sabe, quinta feira é dia do nosso especial sobre a lineup do Lollapalooza Brasil 2020. Aqui, analisaremos linha a linha a lineup do festival que ocorre em Abril, no autódromo de Interlagos.

Semana passada analisamos a linha 19 da line, e você pode conferir clicando aqui! Nessa semana falaremos sobre a linha 18, temos artistas como 509-E, Barja, Beowulf, entre outros!

BEOWÜLF

Beowülf carrega uma curta, mas privilegiada carreira dentro do cenário nacional da música eletrônica. O projeto do DJ e produtor João Luccas Caracas, em atividade profissional desde 2016, chegou a alcançar festivais como o Ultra Brasil ainda em seus anos iniciais, além de ter conquistado a atenção de diferentes gravadoras e de outros nomes prestigiados dentro do gênero, como David Guetta, Martin Garrix e Diplo, em seus sets pelo globo.

Assim, o carioca se consolidou aos poucos como um dos mais promissores talentos revelados pela indústria nos últimos anos, além de produzir célebres parcerias com Cat Dealers, KVSH e Goldfish, por exemplo. Apresentando-se em todos os seus shows disfarçado com uma bandana, o DJ revelou sua identidade no ano passado, destacando uma nova fase em sua carreira que marca sua passagem por espaços de maior visibilidade como o Rock In Rio e, agora, o Lollapalooza.

Para o festival, é esperado que Beowülf traga de volta os elementos naturais que caracterizam suas apresentações, como baterias ao vivo, e a introdução de faixas inéditas, como sempre rola em seus shows. Com sucessos como “Suavemente” e “Me Gusta”, certamente não faltará energia no Palco Perry durante sua passagem por Interlagos.

BARJA

Com mais de onze anos de carreira, a mineira Thais Barja é uma das atrações brasileiras de música eletrônica no Lollapalooza Brasil. A cantora, compositora, produtora e DJ, conta com multitalentos que ela trará ao palco Perry na Sexta-Feira, dia 03 de Abril.

Barja é conhecida por ser um dos grandes nomes da House Music brasileira. Além de tudo o que podemos esperar naturalmente de um show de música eletrônica no Lolla, Thais ainda canta suas músicas ao vivo, dando um toque especial à apresentação. 

Dentre seus maiores sucessos, podemos destacar as duas produções com Gabe, “Sick Sick” e “Your Style” – Sick Sick inclusive que foi remixada por grandes nomes nacionais e internacionais como Vintage Culture, Dashdot, Volkoder, entre outros. 

FATNOTRONIC

Após se apresentarem no tímido palco eletrônico do Lollapalooza em 2015, Fatnotronic retorna ao festival com um renome ainda maior. Desta vez, Phillipi A. e Rodrigo Gorky, que passaram a assinar trabalhos sob a alcunha de Phillipi & Rodrigo, têm um público ainda maior em suas mãos, que devem levar ao Palco Perry os traços de boogie e house que marcam suas apresentações pelo mundo.

Depois de figurar em eventos internacionais como o francês Calvi On The Rocks e o holandês Wildeburg Festival, além de festas promovidas por grandes marcas como a Adidas, a Calvin Klein e a Yves Saint Laurent, os brasileiros prometem agitar Interlagos no dia 5 de abril e devem surpreender os fãs mais entusiastas da música eletrônica nacional.

MALIFOO

Malifoo, nome artístico do DJ e produtor Eduardo Berenguer, chega ao Lollapalooza como uma das revelações da música eletrônica nacional. Em atividade desde 2017, o paulista promete ser uma das grandes surpresas do Palco Perry para a próxima edição do evento, onde deve fazer sua maior show em solo brasileiro.

Entretanto, Malifoo já é acostumado aos grandes palcos. Apesar de seus 19 anos, o DJ já se apresentou em festivais como o Tomorrowland Brasil, o mexicano Medusa Festival e o croata Ultra Europe, no qual foi o único artista brasileiro da line-up. A julgar pela sua experiência, é esperado que o público tenha motivos suficientes para acompanhar sua performance em abril.

EDGAR

Com uma curta, porém excepcional carreira, Edgar é um dos destaques da décima oitava linha do festival. O artista multifacetado se denomina como um ser “semiótico, semi-nu e cru” – como deixa claro em sua biografia nas plataformas de Streaming.

A experiência que o show de Edgar proporciona vai além da música, do ao vivo. É o que gostamos de chamar de conjunto da obra. Desde os figurinos, até os arranjos das músicas, tudo é idealizado, e na maioria das vezes, até produzido por ele. O reconhecimento veio através de indicações e premiações. Um dos destaques é para sua apresentação no Festival MaMA 2018 em Paris. O único brasileiro a se apresentar no festival.

Consequentemente, chamou a atenção do Lolla que o escalou para o dia 03 de Abril. Seu primeiro e único disco, até o momento, foi lançado em 2018, intitulado Ultrassom. Foi o responsável por popularizar o artista. Além do disco, Edgar fez participações nos discos de Elza Soares e BaianaSystem. 

509-E

Essa dupla, que é uma das grandes responsáveis pela popularização e expansão do Rap Nacional, tem uma história única e impressionante. Afro-X e Dexter se conheceram na infância, nas ruas de um bairro violento do ABC Paulista, o Jd. Calux. Depois de anos cada um seguindo seu caminho, a dupla voltou a se reencontrar no Carandiru, maior complexo penitenciário da América Latina.

509-E é a sigla que identificava a cela da dupla. O primeiro disco da dupla foi lançado em 2000 e teve mais de 500 mil cópias vendidas. “Provérbios 13” teve o apoio de grandes nomes como Mano Brown, DJ Zé Gonçalves, DJ Luciano, MV Bill, entre outros. 

Já em 2002, lançaram seu segundo e último disco, até o momento, intitulado MMII DC – 2002 Depois de Cristo – que foi o responsável por moldar toda uma geração do Rap Nacional. Depois de uns anos, a dupla se separou e cada um seguiu sua carreira solo. O retorno da dupla e o show no palco do Lollapalooza Brasil promete estremecer o autódromo e relembrar as raízes do Rap Nacional.

Comentários

Mais lidas
Alguns direitos reservados / 2013 - 2017.
Desenvolvido por Lucas Mantoani.