14 de março de 2020 por Lucas Ribeiro.

Após lançar o seu primeiro álbum solo, Letrux Em Noite de Climão (2017), a cantora e compositora carioca, rodou por quase três anos, o país inteiro com a sua turnê. Na última sexta-feira (13), Letícia Novaes lançou o seu segundo álbum de estúdio, “Letrux Aos Pantros”. Vem conferir o que achamos:

A composição desse disco se iniciou em meio a uma crise de pânico no avião. Na entrevista concedida a Trip TV, Letrux fala que uma turbulência a deixou com tanto medo, que a única saída para se distrair foi escrever. Ela iniciou a compor “Eu Estou Aos Prantos”, uma das canções que deu início ao processo de produção de seu novo disco.

Esse estado de pânico, que surgiu de um momento tão particular da cantora e deu origem ao nascimento do disco, se prolifera durante as 13 canções do álbum. Tanto em situações de desapego, superar um antigo relacionamento, como também viver em um momento de alarde, não só do mundo, como o do atual cenário político brasileiro. Mas não se engane porque esse não é um álbum “baixo astral” ou negativo. Muito pelo ao contrário, Letrux narra a complexidade e a intensidade dos sentimentos humanos. Ela mostra que o ato de chorar, associado muitas vezes a algo negativo, na verdade pode acompanhar todos os nossos sentimentos: a felicidade, angústia, tristeza e prazer.

Todos esses momentos são explorados, por meio das narrativas que retratam as vivências de Letrux. O modo envolvente que a cantora te insere na história é algo mágico e que sempre é um dos pontos fortes de seu repertório. O estilo narrativo da compositora é cotidiano, ao optar por palavras usuais e com múltiplos sentidos, ao mesmo tempo em que consegue transformá-las em poesias e metáforas. Tudo isso é muito bem executado, e mostra que cada vez mais, a cantora carioca faz uma escolha meticulosa do uso das palavras em suas canções.

Foto: Ana Alexandrino

Em questão de sonoridade, “Letrux Aos Prantos” é um disco que ainda conversa com o seu antecessor, que tem muitas influências do synthpop oitentista e pop alternativo Porém, nesse novo projeto, são incorporadas influências de outros gêneros musicais, com o equilíbrio perfeito de elementos eletrônicos e instrumentos orgânicos. O disco constrói uma atmosfera um pouco mais influenciada pelo rock, transita em momentos dançantes oitentistas (Fora da Foda), o blues (Sente o Drama), a psicodelia (Esse Filme Que Passou Foi Bom), e até certa influência de samba (Cuidado, Paixão). No geral, o álbum têm coerência sonora, sem perder o ritmo, com canções energéticas, até em seus momentos mais íntimos e reflexivos.

FAIXAS DESTAQUES

Fora da Foda

A primeira parceria do disco é com Lovefoxxx, vocalista da popular banda Cansei De Ser Sexy. Dominada pelos sintetizadores que remetem os anos 80 e algumas bases mais modernas, essa é uma faixa divertida e sexy, o que faz total sentido a participação de Lovefoxxx. A química entre as duas é facilmente identificável, em meio ao refrão suave, dançante e delicioso.

Dorme com Essa

Aqui é um momento mais atmosférico, com o instrumental etéreo e calmo. A letra aborda a tentativa de superar um relacionamento do passado, mostrando que muitas vezes nesses momentos, a lucidez pode nos abandonar. Ela narra muito bem a angústia e sofrimento de um eventual encontro com essa pessoa do passado. É uma música um pouco mais desacelerada mas com uma letra intensa!

Contanto Até Que

Já nessa faixa, a influência é mais voltada para o rock, com forte presença de bateria e guitarra. Tudo isso combina com a letra explosiva, que aborda um relacionamento que era pouco saudável, principalmente para a sua própria confiança. Com o decorrer da faixa e a intensidade dos instrumentos, é possível sentir um clima de vingança e libertação que a narrativa quer transmitir. Outro ponto interessante, é a viradinha que a música toma nos minutos finais, deixando tudo mais energético.

Foto: Ana Alexandrino

Se em “Letrux Em Noite de Climão”, Letícia Novaes retratava um pouco da cena carioca, momentos de flerte, fantasias, conquistas e autoconhecimento, em “Letrux Aos Prantos”, a cantora amplia sua visão. Nele, ela articula e retrata a situação em que o Brasil vive, momentos de desencontros, saudade, separação, e ainda sim, alegria, amor e sexo. O projeto consegue muito bem equilibrar esses momentos. É um disco bem amarrado, onde tudo funciona e conversa entre si. Letrux mostra mais uma vez, como construir um álbum coeso e imersivo, que nos faz mergulhar em mais um retrato fiel de seu próprio mundo.

NOTA: 5/5

Comentários

Mais lidas
Alguns direitos reservados / 2013 - 2017.
Desenvolvido por Lucas Mantoani.