28 de dezembro de 2017 por Leonardo Martins.

Desde o começo da bomba de sucesso que Pabllo Vittar jogou no Brasil no início de 2017, surgiram diversos haters com comentários criticando de forma ofensiva – e muitas vezes preconceituosas – a cantora. Já não é novidade pra ninguém que drag queen incomoda, entretanto uma drag queen super famosa e com vários hits nas rádios incomoda muito mais. Estamos aqui para tentar entender a causa disso tudo.

Para começar, historicamente o Brasil nunca teve uma cantora drag queen com um sucesso tão rápido a chegar no ponto de colaborar com artistas internacionais e subir no palco do Rock in Rio com menos de um ano do seu aparecimento na mídia. Para o nosso país, as drag queens sempre foram motivos de zoação, já que em muito dos programas de TV eram/ainda são usadas como personagens de humor, muita das vezes de um humor pesadíssimo. Como exemplo temos a Valéria, conhecidíssima no Zorra Total, uma drag queen negra e favelada, que se humilhava dentro de um metrô lotado.

FOTO: G1/GLOBO

A representatividade é algo muito importante e quando feita de maneira correta ajuda uma galera gigantesca que precisa daquilo para se sentir livre, leve e solta para fazer o que quiser na vida. Pabllo Vittar fez isso muito bem ao subir no palco principal de um dos maiores festivais do mundo, ao colaborar com o Major Lazer, ao se tornar a drag com maior visibilidade no Brasil e ser pauta da Billboard, maior mídia sobre música do planeta.

No Spotify, Vittar foi a primeira artista brasileira a emplacar três músicas no TOP5 das 50 músicas mais tocadas no Brasil. Outro feito é que ela se tornou a primeira drag queen a ter 1 milhão de streamings em todas as faixas de um único álbum na plataforma. Já no YouTube, ela alcançou 1 milhão de visualizações em menos de 24 horas com o clipe de K.O – que aliás, foi deletado depois de um ataque de hacks na página de Pabllo.

FOTO: C&A

Alguns dos argumentos usados para criticar a Pabllo é que ela canta mal e desafina. Cantar mal e desafinar é algo muito comum para muitos músicos famosos no Brasil – muito deles já possuem uma carreira estabelecida, porém o privilégio da heterossexualidade não trazem comentários ofensivos para suas redes sociais. O fato de ser uma drag queen com diversos hits lançados e bem-sucedida é o que incomoda os haters, porém o respeito deve prevalecer sempre. Não gostou da música? Aperta o botãozinho de next e seja feliz ouvindo o que te deixa bem.

Comentários

Mais lidas
Alguns direitos reservados / 2013 - 2017.
Desenvolvido por Lucas Mantoani.