Um dos expoentes do soft rock, popularizado como indie rock pela pegada de synthpop em seu som, a banda francesa Phoenix vem se tornando destaque na mídia pelos recentes lançamentos de singles, como “J-Boy” e “Ti Amo”, criando expectativas para seu sexto álbum de estúdio, “Ti Amo”. O álbum vem para ser o sucessor dos dois últimos trabalhos dos franceses, Wolfgang Amadeus Phoenix (2009) e Bankrupt! (2013), sucessos comerciais que os estabeleceram como uma das grandes bandas da atualidade e conquistaram uma legião de fãs.

Phoenix lançou o primeiro single de seu novo disco em 27 de abril. “J-Boy” também é a primeira faixa do álbum que sai dia 9 de junho, e sua letra é uma introdução ao que podemos esperar do novo disco, criando toda a atmosfera na qual “Ti Amo” é ambientado – e parece que, pela primeira vez num álbum da banda, iremos encontrar uma história que acontece ao decorrer das músicas.

“J-Boy” soa como uma música que poderia ter sido hit nos anos 80, mas ao mesmo tempo tem um toque atual e moderno que mostra a evolução de Phoenix de seus últimos lançamentos para este. Segundo Thomas Mars, o vocalista, na entrevista para The New York Times – que foi a responsável por anunciar o novo álbum para o mundo -, “Ti Amo”, apesar de ser o álbum mais romântico da banda até hoje, veio de um lugar obscuro, já que boa parte dele foi composto durante o período dos atentados terroristas a Paris, onde os músicos residem.

 “J-Boy” nos apresenta a um suposto romance situado na Europa e funcionou como introdução para o mais novo single da banda, que foi lançado no dia 18 de maio. A expectativa era grande para “Ti Amo”, a música que deu origem ao nome do álbum, e de acordo com o seu título, a faixa seria uma balada romântica que daria continuidade à história que descobrimos com “J-Boy”. Porém, assim que a banda postou seu lyric vídeo no Youtube, os fãs e admiradores da banda notaram que existia um equívoco na letra da música que não é nada romântico – e eis a polêmica que foi abordada no título.

“So open up your legs”*, seguido de um refrão em coro onde a frase “don’t tell me no”**, é repetida várias vezes – e é supostamente apologia ao estupro.

Por que supostamente? Pois existem alguns pontos a ser levados em consideração depois que notamos essa sequência de frases que foi, sem dúvidas, extremamente mal escolhidas – e, de qualquer maneira, é um absurdo que a banda tenha deixado passar. Quando lemos a letra da música “Eu te amo, abra as pernas” e “não diga “não””, pode soar de extremo mau gosto; mas, quando ouvimos a música, podemos perceber algumas técnicas utilizadas pela banda desde seus primeiros álbuns: a sobreposição de camadas para que a música tenha o tom de synthpop e as vozes sintetizadas.

O trecho “don’t tell me no” soa mais como uma continuação de “I love you, Ti amo, J’etaime, Te Quiero”, como se fosse um pedido para que a musa do álbum desse mais uma chance ao narrador, do que como uma ordem. Logo após vem o “open up your legs”, que parece estar em uma subcamada diferente, mais profunda da música, como um eco e não fazer parte da narração central da canção.

Depois de muito burburinho sobre o trecho, a banda se pronunciou no twitter dizendo que “Ti Amo” é uma música romântica sobre a tragédia do amor e do desejo não recíprocos – 100% amor e 0% violência. O fato é que eles não assumiram o erro e defenderam que a música é romântica e não remete ao abuso e à violência. Infelizmente, houve um equívoco por parte da banda em dizer isso, pois a colocação das frases desfavoreceu a temática amorosa e, quando lida, parece apologia ao estupro e soa extremamente ofensiva. Quando lemos a justificativa, nos leva a pensar que o trecho foi apenas mal colocado, e que não foi exatamente intencional.

Phoenix possui um histórico de músicas com frases um tanto incômodas e que podem ser vistas como possíveis assédios como em “Napoleon Says” (2006) e “Chloroform” (2013), mas em ambas as canções os sinais são sutis e contextualizadas. Existe a possibilidade de que Mars não tenha percebido o equívoco devido à maneira como compõe suas músicas: em francês, e depois traduzindo pro inglês e retirando palavras que não rimam; inclusive, é por isso que você provavelmente não entende quase nenhuma outra música da banda. Em francês, a frase podia ter um efeito totalmente diferente, e, quando foi traduzida pro inglês, língua secundária de Thomas, a conotação machista passou despercebida.

 “Ti Amo” possui uma estética oitentista e a banda conta com um instrumental bem desenvolvido e vocais sintetizados que, segundo Thomas, foi a escolha dos franceses, pois ele estava enjoado de sua própria voz. Apesar da polêmica que circulou o novo hit, o álbum promete grandes músicas para a carreira do Phoenix e talvez nos traga uma explicação para a frase. O conceito do álbum que ainda permanece desconhecido pode ser a grande chave para entender o que realmente se passou na história de amor não correspondido que ouviremos a partir do dia 9 de junho.

*Abra suas pernas

** Não me diga não

NOTA: É importante dizer que, como grande fã de Phoenix, fiquei extremamente decepcionada quando li a letra, mas ouvindo a música – que está no meu repeat desde que saiu – consegui interpretar as camadas musicais que a banda usa desde sempre. Acredito que, apesar da colocação mal feita, o equívoco não tenha sido proposital e que pode ter passado despercebido devido à cultura do estupro com a qual estamos acostumadas. Todos nós somos passíveis de erros.

O que você acha? Dê sua opinião para a gente!

Comentários

Mais lidas
Alguns direitos reservados / 2013 - 2017.
Desenvolvido por Lucas Mantoani.