7 de abril de 2019 por Redação Tracklist.

CAOS. Essa foi a palavra que resumiu a primeira parte do DIA 2 de Lollapalooza 2019. Quem foi ao evento no sábado (06/04), infelizmente teve que aguentar muita chuva, interrupções e cancelamentos de shows.

As tempestades que atingiram o Autódromo de Interlagos deixaram a organização do festival em alerta. Os fãs foram orientados a se afastar dos palcos, e os portões foram fechados por longas horas. Ninguém mais entrava.

Rashid, Lany e Dubdogz tiveram shows interrompidos, quando a chuva começou, e não voltaram mais. Já Silva e Chemical Surf foram cancelados. 

Mas não foi só de decepções que o dia foi feito. Felizmente, a chuva diminuiu, os portões foram reabertos e as atrações foram mantidas. Alguns artistas só tiveram que readequar a sua setlist e fazer um tempo menor de show. O festival ficou quase 2 horas parado, e as mudanças eram necessárias. Assim, todos puderam se apresentar.

A seguir, o Tracklist conta o que achou dos shows do segundo dia de Lollapalooza 2019!

Você também pode acompanhar as nossas coberturas (EM TEMPO REAL) no Twitter e Instagram.

E que tal saber tudo sobre os shows que rolaram no primeiro dia de Lollapalooza 2019?

Continue acompanhando o site — estamos preparando vários conteúdos especiais sobre o festival.

LOLLAPALOOZA 2019 – DIA 2

PALCO BUDWEISER

RASHID

Foto: Fábio Tito/G1

Nuvens foram se acumulando no céu e o tempo fechou durante os shows do rapper brasileiro Rashid e da banda norte-americana LANY.

Rashid começou seu set no Palco Budweiser às 14h10, com a canção “Estereótipo”, e vinha para promover seu álbum mais recente, “Crise” (2018). O contraste do show chamou a atenção: o rapper, que se destaca como um dos principais expoentes do rap nacional, trajava um figurino totalmente branco, bem como seus backing vocals e músicos, enquanto o telão atrás deles mostrava imagens em sua maior parte bem coloridas.

Mas, por volta das 14h25, a produtora do Lolla, T4F, recebeu uma previsão meteorológica de que, na próxima hora, a região receberia fortes rajadas de vento e que haveria possibilidade de raios. Por isso, o evento foi interrompido por quase duas horas, e tanto os shows de LANY, quanto de Rashid, acabaram sendo cancelados.

Os shows de Jain e Snow Patrol também foram comprometidos, pois no momento em que o festival retornou, ambos tiveram apenas 30 minutos para se apresentar.

SNOW PATROL

Foto: Thiago Almeida/MRossi

Os donos do sucesso “Open Your Eyes” foram os responsáveis a retomar a programação do Lollapalooza após a chuva. Infelizmente, tocaram apenas seis músicas, em 30 minutos de show — anteriormente programado para 60 minutos. O objetivo da mudança era não prejudicar o restante das atrações do festival.

Mesmo assim, a banda se apresentou para o público que retornou ao Autódromo, que compareceu em boa quantidade no Palco Budweiser e foi embalado pelo romantismo de suas canções.

O sorridente vocalista Gary Lightbody agradeceu o carinho da plateia e fez brincadeiras sobre a chuva. Pelo menos, eles conseguiram apresentar “Open Your Eyes” e “Chasing Cars”, dois de seus maiores hits, amplamente entoados pelos presentes.

LENNY KRAVITZ

Foto: Mila Maluhy/MRossi

Um dos maiores nomes do rock entre as décadas de 1990 e 2000, o cantor deu perfeitamente conta de se apresentar para um público, em sua maioria, mais jovem.

É difícil ficar parado em seu show: mesmo com as canções mais lentas ou desconhecidas pela maioria, não tinha quem não arriscasse passos de dança, balançasse o corpo e, principalmente, admirasse a desenvoltura do artista, que carrega plena confiança e demonstra que sabe o que está fazendo. E, como já era de se esperar, realmente sabe.

A apresentação começou com o sucesso “Fly Away”, entoado por 9 entre 10 pessoas a cada metro quadrado, digamos assim.

Outro hit facilmente reconhecido pelo público foi “American Woman”, assim como “It Ain’t Over ‘Til It’s Over” — faixa mais lenta, que você certamente já ouviu na rádio, mas que ganhou enorme engajamento de jovens e adultos.

Vale destacar no show de Kravitz sua impecável e carismática banda de apoio; guitarras e, logicamente, voz afinadíssimas; e até uma menção a Jorja Smith, que se apresentava no mesmo horário no palco Adidas — fato lamentado pelo músico. “Quero enviar todo o meu amor à Jorja Smith”, disse o artista. Não é pra qualquer um!

KINGS OF LEON

Foto: Camila Cara/MRossi

O headliner da segunda noite de Lollapalooza voltou ao Brasil após cinco anos — aliás, esta é a sétima passagem do grupo por aqui. O rock alternativo da família Followill — três irmãos, entre eles, o vocalista Caleb, e um primo — atraiu fãs e curiosos — muitos destes últimos sentados no gramado nas laterais do palco. Já quem estava na pista se entregou com mais facilidade.

No palco, os telões traziam jogos de imagens do palco e referentes à turnê, e um bom contraste e performance de luzes. Já no repertório haviam 22 músicas, sendo que 7 faziam parte do ótimo (e mais famoso) álbum “Only By The Night”, de 2008.

Algumas canções não receberam muito o respaldo do público, mas foram intercaladas com outras faixas muito bem sucedidas, como “Closer”, “Notion”, e, obviamente, “Sex On Fire” e “Use Somebody” — as duas últimas entoadas aos gritos.

Aliás, um dos momentos mais emocionantes deste segundo dia caótico de Lollapalooza foi a volta da chuva — em menor quantidade — na romântica e poderosa “Use Somebody”.

Ao fim, não teve quem não pulasse e dançasse com “Waste For a Moment”, que fechou uma apresentação bem redonda e, embora morna em alguns momentos, que cumpriu a expectativa. Foi uma ótima performance de vocal e banda, que foi bem recebida pelo público.

Ainda assim, não houve muita interação por parte da banda com o público. Mas nada que prejudicasse o show de fato. Entre as que rolaram, Caleb agradeceu o carinho do público, disse que é “muito gratificante acordar todos os dias e fazer algo que você ama”, e prometeu voltar “muito em breve”. Em um show solo, quem sabe?

PALCO ONIX

LINIKER E OS CARAMELOWS

Foto: MRossi

Liniker e os Caramelows subiram ao Palco Onix às 13h15. Como havíamos previsto (e acertamos!), este foi um show nacional imperdível.

A cantora e seu coletivo já tinham participado da edição 2018 do evento, mas não conseguiram concluir o show devido a problemas técnicos no equipamento. Na ocasião, Liniker se emocionou no palco ao ver fãs cantando sua música, mesmo sem nenhum equipamento funcionando.

Hoje, a cantora também ficou com os olhos marejados, mas desta vez por um motivo diferente: ela finalmente concluiu seu primeiro show no Lollapalooza Brasil.

Com uma mistura de hits do seu disco mais recente, “Goela Abaixo”, lançado este ano, e singles antigos queridos pelo público, como “Zero”, Liniker e os Caramelows agitaram o público no Palco Onix e esquentaram ainda mais o dia.

Foi possível ver muitos fãs de carteirinha cantando junto com o coletivo, mas, mesmo aqueles que pareciam não conhecer muito sobre o trabalho de Liniker e os Caramelows, se divertiam e curtiam o que parecia ser o começo de mais um dia incrível no festival.

BRING ME THE HORIZON

Foto: Camila Cara/MRossi

Depois de se apresentar na Audio Club na última quarta-feira (3), o Bring Me The Horizon teve mais uma chance de mostrar a sua conexão com o público brasileiro.

A apresentação no Lollapalooza aconteceu após o festival ser interrompido por duas horas, por conta da chuva forte e riscos de raios. A banda reuniu uma multidão no Palco Onix para acompanhar o repertório, que ia desde as músicas mais antigas, até as mais novas do álbum “amo”, lançado neste ano.

Músicas como “Mantra”, The House Of Wolves” e “Shadow Moses” , com melodia mais pesada e vocais gritados de Oliver Sykes, fizeram a plateia pular muito e formar várias rodas punk. O Bring Me The Horizon também apresentou as faixas mais pop e melódicas “Follow You” e “Medicine”.

O show foi marcado pela grande interação do vocalista, que a todo momento falava em português palavras de agradecimento, palavrões e alguns pedidos ao público. “Meu deus, vocês são loucos”, repetia várias vezes.

Ele também fez questão de se aproximar do público, chegando até a beber o Gin de um fã e a cantar abraçado com outra, que segurava uma placa com o pedido. Também não faltou o momento clichê de pegar uma bandeira do Brasil.

Dessa forma, o show teve a energia e a emoção que os admiradores do grupo precisavam para sairem satisfeitos de lá.

POST MALONE

Foto: Mariana Moreira/Tracklist

Um dos shows mais aguardados deste segundo dia de Lollapalooza, o rapper cativou o público. Especialmente os fãs que estavam na frente — em sua maioria, crianças e adolescentes —, que sabiam cada palavra de suas músicas, como os hits “Rockstar” e “Congratulations”.

Com direito a look inspirado no Brasil, que continha, entre várias outras referências, a bandeira do país e uma arara azul, o rapper norte-americano abriu seu show com “Zack and Codeine” e cantou vários de seus principais títulos, incluindo “Better Now”.

Embora se apresente sozinho no palco, a ausência de mais pessoas durante a performance do cantor não deixou nada a desejar. Foi uma verdadeira maratona de cardio — academia pra quê, quando se dá para assistir ao Post Malone performando? Ele coloca todo mundo pra pular, dançar e cantar.

“Eu sei que está chovendo e tem lama, mas estamos aqui para fazer uma festa”, disse Post, e os fãs realmente a fizeram.

Durante todo o seu show, Post elogiou muito o Brasil e ficou emocionado quando a plateia começou um coro dizendo “Post eu te amo”. O cantor, durante várias vezes, prometeu voltar ao Brasil muito em breve, e completou dizendo “Vocês são uma das plateias mais lindas que já vi”.

Se a interação com os brasileiros já estava em seu ponto alto durante o show, o rapper não achou que seria suficiente. Por isso, dentre diversos palavrões e violão quebrado, ele preparou uma surpresa: a participação do funkeiro carioca Kevin O Chris, que cantou dois de seus hits.

As músicas foram: “Vamos Pra Gaiola” e “Ela É O Tipo”, que trouxeram o baile da gaiola para o Lollapalooza. A jogada deu super certo, e Post ainda arriscou uns passinhos de funk!

PALCO ADIDAS

JORJA SMITH

Foto: Denis Ono/MRossi

Pela primeira vez no Brasil, a cantora britânica já demonstrou o carinho pelos brasileiros assim que entrou no palco, com uma camiseta amarela da seleção de futebol. Logo no início, depois de cantar “Lost & Found”, ela já avisou que ama seus fãs brasileiros e que, definitivamente, já quer voltar ao País.

Com uma belíssima e potente voz, Jorja levou a mistura do seu R&B e pop suave para um bom público no Palco Adidas.

A setlist teve, em sua maioria, músicas do último álbum da cantora, “Lost & Found”, lançado em 2018. Com ajuda da banda, ela conseguiu colocar alguns arranjos de bossa nova em músicas como “Teenage Fantasy” e no cover de “No Scrubs”, do TLC. A cantora também apresentou outro cover, “Lost”, do Frank Ocean.

A apresentação, que contou com muita simpatia, momentos de rebolado e muita aclamação da plateia, foi encerrada com as músicas”Blue Nights” e “On My Mind”.

LANY

Foto: @bellamologni

Do outro lado do Autódromo de Interlagos, no Palco Adidas, LANY agitava uma galera e começava sua performance com os hits “Thick and Thin” e “Good Girls”. A banda, que fez neste ano sua primeira passagem pelo Brasil, contou com um público lotado, onde a maioria cantava com propriedade cada frase das músicas.

Logo após o término de “Good Girls”, contudo, o show foi interrompido.

Gostou do segundo dia de Lollapalooza 2019? Não se esqueça de
acompanhar as nossas coberturas (EM TEMPO REAL) no Twitter e Instagram.

Comentários

Mais lidas
Alguns direitos reservados / 2013 - 2017.
Desenvolvido por Lucas Mantoani.