Hayley Williams reflete sobre términos e luto em novo disco minimalista

Em um curto anúncio prévio, Hayley Williams, vocalista da banda Paramore, lançou nessa sexta-feira (5) o […]

Por em 6 de fevereiro de 2021

Em um curto anúncio prévio, Hayley Williams, vocalista da banda Paramore, lançou nessa sexta-feira (5) o segundo disco de estúdio de sua carreira solo, “FLOWERS for VASES / descansos”. O disco conta com 14 faixas inéditas e é sucessor de “Petals for Armor”, lançado em 2020.  

Composto e gravado inteiramente por Hayley, em sua casa no Teneasse, durante o lockdown do ano passado, o novo projeto transita principalmente pelo rock alternativo, folk e com leves elementos de pop. Por isso, a escolha de uma produção mais crua e minimalista, deixam em evidência os temas de suas composições, tornando as canções ainda mais pessoais e sentimentalistas. Diferente de seu disco anterior, em que grande parte do repertório tinham produções mais carregadas, detalhistas e cheias de camadas vocais. Mas não se engane, o novo projeto ainda conta com algum desses elementos, mas em uma intensidade menor e mais contida.

Foto: Lindsey Byrnes

Ainda sim, a escolha de produção feita pela artista só amplifica as suas composições sobre luto, melancolia e separações, temas previamente abordados em seu primeiro disco, mas que aqui se aprofundam ainda mais nas suas histórias e traumas.

Foto: Lindsey Byrnes

Melhores momentos do disco de Hayley Williams em carreira solo

Mesmo que a maior parte das faixas tenham produções acústicas, com voz e violão ou piano, o diferencial é quando são acrescentados diferentes elementos e harmonias em cada uma dessas canções. De tal forma que o sentimento para o ouvinte se torna mais real e profundo. Segue então alguns destaques de FLOWERS for VASES / descansos”:  

“My Limb”

Essa é uma das faixas em que a produção se destaca, com o maior crescimento e grandeza no disco. Aqui ela fala sobre um relacionamento tóxico que não estava mais funcionando e a forma que ela lida agora com esses fantasmas, sozinha.

A produção começa com voz e violão, e aos poucos ganha mais ritmo com a adição das baterias, guitarra e sintetizadores. É uma faixa com uma atmosfera sombria, e que se fosse fazer um paralelo, essa seria uma faixa complementar a Sudden Desiere, do disco anterior.

“Trigger”

No momento mais folk do álbum, Hayley reflete sobre um antigo relacionamento, e como mesmo ela percebendo todos os sinais vermelhos, ela achava que essas situações tinham um propósito. O fato de só querer ser amada por alguém acabou a deixando cega durante essa relação. O ritmo um pouco mais acelerado do violão, que aos poucos é acompanhado por uma pequena percussão, reforça a atmosfera e produção folk na canção.

“Inordinary”

Em uma das músicas mais sensíveis da carreira, nós conhecemos uma pouco mais do passado de Hayley, quase em uma ordem cronológica. Nessa narrativa, ela nos leva desde a sua infância, até entrar em uma banda, se mudar com sua mãe para uma nova cidade e encontra o seu primeiro namorado.

É interessante como o instrumental acompanha muito bem o rumo dessa narrativa, até crescer nas partes finais da música, com as guitarras e algumas distorções vocais. Com certeza é uma música que vai marcar a sua carreira.

Leia mais: Como Hayley Williams foi do Paramore a um álbum 100% solo?

Conclusão

Divulgação

Enquanto “Petals for Armor” é agressivo e raivoso, “FLOWERS for VASES / descansos” é mais profundo e calmo. Como a própria cantora comentou, ela não enxerga o novo álbum como uma sequência de seu primeiro disco solo, e sim algo como um prelúdio. Esse projeto só comprova como a artista brilha cada vez mais em suas composições e mostra lados que ainda não conhecíamos. Agora estamos cada vez mais ansiosos de acompanhar os próximos passos de Hayley Williams.

Para quem gosta de: Phoebe Bridgers, Clairo, Arlo Parks.

NOTA: 8.5/10


Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!