Entrevista: Zoe Wees fala sobre seu debut single, pandemia, projetos futuros e mais

Por: Ana Clara Pinheiro Imagina poder lançar seu primeiro single e ele atingir mais de 150 […]

Por em 18 de dezembro de 2020

Por: Ana Clara Pinheiro

Imagina poder lançar seu primeiro single e ele atingir mais de 150 milhões de reproduções ao redor do mundo? Com apenas 18 anos, a alemã Zoe Wees viu isso tudo acontecer.

Uma das apostas da UMG, a cantora teve sucesso global com seu single de estreia “Control”, uma balada emocionante que fala sobre as convulsões provocadas pela epilepsia que a artista enfrenta desde pequena.

O Track teve o prazer de conversar com a cantora e descobrir um pouco mais sobre sua trajetória na música. Saímos da entrevista com duas certezas: a Zoe Wees é uma fofa e você precisa prestar atenção no trabalho dela. Vem conferir!

Ninguém pode contar sua história melhor que você. Pros nossos seguidores brasileiros que ainda não te conhecem, como seu interesse pela música começou?

Eu sempre amei cantar, fazer música e escrever canções. Eu achava que era só um hobby, mas na escola eu percebi que talvez fosse mais que isso. Eu quero trabalhar com isso, escrever músicas todos os dias, dar entrevistas, fazer promoção, conhecer tanta gente incrível…aqui estou, finalmente! [Risos]

Você tem um jeito especial em passar emoções quando canta e, por isso, eu queria saber mais sobre seu processo criativo. Você começa com as emoções que quer passar, com uma melodia que está presa na sua cabeça ou algo assim?

Quando eu faço música, as coisas mais importante pra mim são as letras e a emoção. Você tem que sentir, você tem que estar num lugar com pessoas que sentem as mesmas emoções que você pra que a gente possa se ajudar. Minhas letras são tão importantes pra mim. Como você pode ouvir em “Control”, eu não estou falando sobre algo aleatório, falo sobre momentos difíceis que passei. Pra mim é muito importante que as pessoas escutem minhas letras, tudo começa com as emoções.
 

A primeira vez que ouvi “Control” eu pensei em como sua voz e composição são poderosas. Me lembrou artistas que se expressam da mesma forma, como o Lewis Capaldi, por exemplo. Você tem algum artista que acaba usando como referência no seu trabalho?

Eu amo Lewis Capaldi, eu amo muito a Jessie J. Eu acho muito legal ter inspiração nos maiores e melhores artistas do mundo porque você tem mais ideias assim. Eles estão falando sobre momentos difíceis na vida deles, então eu acho que Jessie J e Lewis Capaldi arrasaram demais e estou muito feliz por eles.

O significado de “Control” fica ainda mais importante considerando experiências como a sua, que às vezes acabam até sendo estigmatizadas. Como é pra você falar sobre sua epilepsia tão abertamente? 

É bem difícil falar sobre isso. Eu nunca tinha falado sobre antes de escrever “Control” e agora eu tenho todas essas entrevistas, então eu falo todos os dias. Pra mim é doloroso, me machuca muito, mas quando escrevi “Control” eu sabia que poderia ajudar muita gente por aí e eu posso fazer as pessoas ficarem mais felizes do que são agora. Eu decidi falar sobre porque sei como é, eu passei por isso, eu sei como se sente. Eu quis compartilhar com os outros para que eles se sentissem menos sozinhos.

Por um lado mais alegre, “Control” também é um agradecimento para sua professora que te ajudou durante a sua infância e adolescência. Você pode falar um pouco mais sobre como foi ter uma pessoa como ela te ajudando? Você é um ótimo caso de como um bom professor pode mudar a vida das pessoas. 

Minha professora sempre me ajudou. Quando eu estava triste, eu podia ligar pra ela sempre que quisesse. Se eu precisasse, ela estava lá para mim em todos os momentos. Todos deveriam valorizar seus professores um pouco mais, pra ser sincera. Eles estão apenas fazendo seu trabalho, eles querem te ensinar e te ajudar a melhorar. Agradeça a todos ao seu redor e também agradeça seus professores.

É incrível ver seus números, principalmente com um single de estreia. Sério, meus parabéns! Como você se sente em ter esse tipo de reconhecimento?

É muito legal, eu amo. Eu recebi tanto feedback de pessoas ao redor do mundo. Do Brasil até os Estados Unidos, Alemanha, Londres, todo mundo. Eu estou muito feliz que minha música se espalhou e eu consigo atingir tantas pessoas. 

Você esteve em alguns projetos incríveis, como “Wait For You” do Tom Walker e abrir pro Sam Smith no Abbey Road Studios. Você tem uma colaboração em mente que sempre quis?

Eu amaria colaborar com Lewis Capaldi ou Sam Smith. Não tem nada planejado ainda, mas eu amaria fazer uma parceria com eles.

Existem muitos artistas hoje que são bem novos, como Billie Eilish, Chloe x Halle, Roddy Ricch e muito mais. Como é para você ser uma artista jovem na indústria musical?

Eu acho que idade não importa de verdade. Se você é forte o suficiente pra falar das lutas que enfrentou, isso te deixa ainda mais forte. Eu só tenho 18 anos, sabe? Eu não conheço meninas da minha idade que podem falar sobre coisas assim. Eu acho incrível artistas mais jovens e tudo o que eles já conquistaram.

Agora falando sobre coisas que todos nós estamos passando, como a pandemia está sendo pra você? Ela te mudou como artista ou pessoa?

Claro que a pandemia e a quarentena não foram muito boas. Ela me ajudou a escrever músicas melhores porque eu sinto que quando estou triste eu consigo escrever melhor, mas também fudeu meu cérebro [risos]. Tenho esperanças pra 2021.

Brasileiros têm um dom incrível de achar novos artistas, o Brasil foi um dos primeiros países a criar uma página de fã para você, por exemplo. O contrário também acontece? Você conhece alguma música brasileira?

Eu não conheço muito música brasileira, mas eu tenho que dar uma olhada com certeza. Eu mal posso esperar pra visitar, tantas pessoas incríveis que já conheci são do Brasil. E a página de fã…eu ainda estou chocada com isso, é uma doidera. Eu estou doida pra visitar, de verdade!

O que podemos esperar da Zoe Wees?

Eu estou trabalhando no meu EP que sai ano que vem e no meu single que vai ser lançado daqui algumas semanas. Estou trabalhando nisso por enquanto, é emocionante!

E por último, você pode enviar uma mensagem pros seus fãs?

Eu sou muito ruim nisso, desculpa [risos]. Vou tentar, vamos lá! Oi pra todos os fãs brasileiros. Eu tenho uma música chamada “Control” e significaria o mundo pra mim se vocês pudessem dar uma olhada. Eu mal posso esperar pra visitar vocês porque eu escuto muito sobre os brasileiros. Vocês são tão adoráveis e mal posso esperar pra ver todos vocês! Ficou bom?

Ficou ótimo, Zoe, você arrasou. [Risos] Muito obrigada pela conversa!

Obrigada pelo seu tempo. Fique saudável e cuide-se!


Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!