billie eilish num fundo laranja, uma das representantes do dark pop

Dark pop: É pop? É rock? Conheça o estilo e sua mistura de sons

Conheça mais sobre o “novo” gênero musical dark pop e seus principais representantes

Por em 26 de fevereiro de 2021

Recentemente, tem se tornado quase impossível classificar artistas em apenas um gênero musical, nos levando a criar estilos cada vez mais específicos. De uns anos pra cá, uma nova vertente do pop vem sendo descoberta. Apesar do termo ter se tornado mais popular de uns anos pra cá, o dark pop tem sido tocado nas rádios há algum tempo.

Videoclipe de bury a friend de Billie Eilish, uma das maiores representantes do dark pop.

O gênero, considerado o lado sombrio do pop, pode ser descrito como uma mistura de música pop animada com letras mais sombrias e góticas. As canções do costumam ter a estrutura do pop, mas possuem uma vibe pesada e triste, com letras fantasiando sobre morte e anormalidades. Além de se diferenciarem nas composições, as faixas também contam com elementos eletrônicos, do rap, punk e outros estilos musicais.

Pra você entender melhor o que é o dark pop, separamos alguns dos artistas mais influentes desse gênero na cena mundial. Confira:

Billie Eilish, a artista mais popular do dark pop atual

Por mais que você ache que não conhece o dark pop, garanto que pelo menos da Billie Eilish você já ouviu falar. A cantora é, provavelmente, o exemplo mais popular do gênero musical atualmente.

Billie é conhecida pelos versos macabros em meio a batidas pop em suas músicas, além de ter vários clipes com elementos considerados bizarros. Dentre diversas letras sombrios da cantora, um dos destaques é idontwannabeyouanymore, música do início da carreira.

Videoclipe de idontwannabeyouanymore.

Em idontwannabeyouanymore, Billie se abre sobre as suas inseguranças e a relação consigo mesma. Em entrevista ao site Genius, a cantora disse que a música é sobre se olhar no espelho e pensar “eu não quero ser você”.

A canção é um diálogo de Billie com ela mesma, onde ela se questiona “eu fui feita de um molde quebrado?”.

Em entrevista, a artista disse: “Eu realmente, realmente, realmente me odeio. Você sabe, você pode se sentir inacreditavelmente perdida e horrível, como se você fosse nada, como se você fosse invisível, por motivo algum. O que é quase pior do que ter um motivo. Esse é o jeito que meu cérebro funciona e me pergunta ‘Billie, o que há de errado?’ e eu respondo ‘Eu não faço ideia. Eu sou o que há de errado’. É como se ele me perguntasse ‘Quem te machucou?’ e eu fico tipo.. eu mesma”.

billie eilish num fundo laranja, uma das representantes do dark pop
Foto: Reprodução.

Além de idontwannabeyouanymore, Billie tem outras canções com temas mais sombrios como everything i wanted, que fala sobre pensamentos suicidas, e xanny, sobre o uso irresponsável de drogas recreativas.

Videoclipe de xanny.

Melanie Martinez

Melanie Martinez é conhecida por criar um universo bizarro, quase de filme de terror, em meio a um mundo cor de rosa. O seu lado sombrio vem da persona criada por ela mesma: uma criança cantando temas adultos.

Cry Baby, primeiro álbum de Melanie, foi descrito por ela como “um livro de histórias sobre uma criança para adultos” que relata situações pelas quais a cantora já passou. “Eu sempre tive uma forte conexão com minha infância. Minha personalidade também reflete isso”, completou.

Áudio oficial de Tag, You’re It.

No disco de estreia, uma das músicas que se destaca é Tag, You’re It. O título é o nome de uma brincadeira equivalente ao pique-pega, no Brasil.

Segundo a cantora, a faixa narra o sequestro do eu-lírico da canção. Nos versos, Melanie canta “Correndo pelo estacionamento, ele me perseguia e não parava” e “Alguém consegue me ouvir quando eu estou escondida no subsolo? Alguém consegue me ouvir quando eu estou falando sozinha?”.

Foto: Reprodução/Divulgação.

Milk and Cookies, canção que continua a narrativa do sequestro, mostra a vítima envenenando o sequestrador com leite e biscoitos, facilitando sua fuga.

Videoclipe de Tag, You’re It e Milk and Cookies.

BANKS

A cantora BANKS é conhecida por adotar o mundo dark em seus visuais e clipes, além de unir o R&B e sons eletrônicos nas suas músicas.

Um dos maiores exemplos é a música Poltergeist. A faixa contém diversas batidas de sintetizadores e, no refrão, os vocais são gravados na intenção de recriar a voz de um fantasma.

BANKS como divulgação do álbum "III"
Foto: Reprodução/Divulgação.

A canção contém versos como “Tenho recebido mensagens das minhas águas profundas”, se referindo ao inconsciente dela, e “Oh meu Deus, eu acho que eu vi um fantasma. Ele me segue em todos os lugares que eu vou”.

Em apresentação ao vivo, é fácil notar a atmosfera sombria que a cantora procura criar.

BANKS apresentando Poltergeist.

MUNA

MUNA é um trio feminino que ganhou maior notoriedade após abrir os shows da primeira turnê solo de Harry Styles, em 2017.

Em músicas como Number One Fan, a vocalista Katie Gavin canta versos do tipo “Eu ouvi as más notícias, ninguém gosta de mim e eu vou morrer no meu quarto” da forma mais animada possível, num ritmo meio eletrônico meio pop.

Videoclipe de Numer One Fan.

Já a música Nihilist, parte da trilha sonora do filme Promising Young Woman, fala sobre o ceticismo e a falta de importância da vida. No refrão, Katie canta “Na verdade nada importa, é, porque se importasse, eu não aguentaria”.

Em outro momento da faixa, a artista chega a falar que “Quando eu estou no meu baixo mais baixo, é aí que eu me sinto mais confortável”.

Áudio oficial de Nihilist.

Sky Ferreira, pioneira do dark pop

A artista Sky Ferreira (que tem ascendência brasileira!) é uma das artistas pioneiras no mundo do dark pop.

Em uma das músicas mais populares da carreira, I Blame Myself, Sky fala sobre a forma que o público a vê e a culpa que ela tem em relação à sua reputação.

Videoclipe de I Blame Myself.

Num ritmo upbeat, a cantora pergunta: “Como você poderia saber como é enfrentar cães do inferno? Você acha que me conhece tão bem. Como você poderia saber como é estar fora de si mesma?”. No refrão, ela afirma: “Eu culpo a mim mesma pela minha reputação”.

Em outros versos da faixa, Sky desabafa: “Eu sou apenas um rosto sem uma escolha, espero que você nunca deseje adivinhar o que eu penso acima desses ombros. 10 anos de idade sem uma voz, eu sinto como se nada realmente tivesse mudado, agora eu estou apenas um pouco mais velha”.

Foto: Reprodução.

E aí, você já conhecia o dark pop? Qual seu artista preferido do gênero? Conta pra gente nas nossas redes sociais!


Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!