O primeiro show do The Maine na Capital Federal foi um marco não só para os fãs, mas para a banda em si. A apresentação em Brasília teve um clima bastante familiar – não o entediante de um almoço de domingo com conversas retóricas, mas sim aquela sensação que nos faz sentir em casa. No dia 21 de julho, Brasília foi o lar do The Maine.

A banda mostrou-se muito alegre e receptiva na cidade, atendendo os fãs que os recepcionaram de maneira calorosa. John O’Callaghan (vocal), Kennedy Brock (vocal e guitarra), Jared Monaco (guitarra), Garrett Nickelsen (baixo) e Pat Kirch (bateria) ainda conseguiram explorar a cidade e sentir de perto todo o palco do cenário político brasileiro.

O cantor Michael Richardson foi o opening-act da noite e embalou o público com canções acústicas e autorais. O músico, que é fã declarado da banda, falou por diversas vezes o quanto estava honrado por fazer parte da turnê.

O show da Lovely Little Lonely Tour contou com os principais sucessos do último trabalho da banda como “Bad Behavior”, “Black Butterflies and Déjà Vu”, “How Do You Feel?” e também com os clássicos, entre eles  “(Un)Lost”, “My Heroine” e “Run”. A setlist seguia o padrão dos shows de São Paulo, Limeira, Porto Alegre e Curitiba, até que, em determinado momento, John O’Callaghan (vocal) sussurrou para Kennedy Brock (guitarra) a palavra “Taxi”. Uma palavra de uma fonética tão sucinta foi o diferencial da noite. Pela primeira vez, desde o lançamento do disco, a banda executava ao vivo a canção, tão requisitada por diversos fãs.

A plateia brasiliense foi um dos destaques da noite. Até mesmo o músico de apoio da banda Andrew De Stefano, o “Drew” (teclado, guitarra e vocais), fez questão de destacar isso em seu twitter, afirmando: “Brasília destruiu São Paulo e foi o melhor show da turnê. Havia 1/4 das pessoas e eles cantaram mais alto”.

Durante várias canções os fãs choraram, alguns abraçados em pequenos grupos. Muitos deles esperaram pelo show na cidade por cerca de cinco anos. O clima era de total emoção e entrega – e a banda sentiu isso e respondeu da melhor maneira possível. Por diversas vezes, John falou o quanto eles estavam felizes por tocar ali naquela noite e que certamente irão voltar. Em vários momentos, ele enunciou “Apenas estejam aqui! Fiquem aqui! Guardem os celulares e concentrem-se neste momento! ”. E Brasília o fez! Em “Girls Do What They Want”, o vocalista, que nesta hora já tinha se desfeito da camisa/jaqueta que vestia, foi literalmente para os braços de Brasília; e, como de costume, dois fãs subiram ao palco para cantar o refrão da canção.

Foto: Artur Dias

A noite foi encerrada com “Another Night On Mars”, música que transmite da maneira mais genuína a conexão entre a música e os amigos.

Brasília certamente foi uma das maiores surpresas da LLL. O show foi um mix de sensações com muita entrega, suor e amizade. Foi, até então, a tradução mais pontual de um dos versos da banda, que diz “8123 means everything to me” (8123 é uma referência ao número de um estacionamento em que a banda e os amigos costumavam se encontrar).

SETLIST:

  1. Lovely
  2. Black Butterflies & Déjà Vu
  3. Am I Pretty?
  4. Like We Did (Windows Down)
  5. (Un)Lost
  6. My Heroine
  7. We All Roll Along
  8. Ice Cave
  9. English Girls
  10. How Do You Feel?
  11. Run
  12. Lost in Nostalgia
  13. Right Girl
  14. Taxi
  15. Girls Do What They Want
  16. Diet Soda Society
  17. Do You Remember? (The Other Half of 23)
  18. Bad Behavior
  19. Another Night on Mars

 

Comentários

Mais lidas
Alguns direitos reservados / 2013 - 2017.
Desenvolvido por Lucas Mantoani.