Nesse último sábado (18), rolou o primeiro show dos quatro que Bruno Mars faz no Brasil pela turnê do álbum “24K Magic”. A Praça da Apoteose, no Rio, estava lotada – afinal, os ingressos esgotaram rápido, o que obrigou a produção a divulgar um show extra na cidade.

E o norte-americano provou que sabe fazer e entregar um espetáculo digno ao público, com uma banda (e equipe de dançarinos ao mesmo tempo) bem preparada, fogos de artifício e um charme e carisma envolventes – além, lógico, das ótimas músicas que o consagraram.

Foto: Divulgação/Midiorama

Mas o que de fato rolou na primeira apresentação no Brasil de Bruno Mars desde 2012? Vamos lá:

Muita dança

O cantor fez jus aos passos de dança que protagonizam seus clipes. Visivelmente suado, Mars manteve o fôlego e, junto com sua banda, entregou uma apresentação bem construída em todos os sentidos, que rendeu muitos gritos da plateia. O destaque foi para a animada “Perm”, na qual os meninos arriscaram um passo com um pé só, apoiados em uma barra.

Surpresinhas

Um bom show entrega além do que se é esperado pelo grande público – e claro que isso aconteceu na apresentação de Mars!

Em dado momento de “Calling All My Lovelies”, a canção original reproduz o som de uma caixa postal – e o fato foi representado no palco, com o cantor segurando um telefone. Até aí, apesar de ser uma surpresa pro grande público, os fãs que acompanham a carreira de Mars já esperavam esse momento. Só que ninguém contava com o fato de que ele falou português, com um sonoro “Te quero, gatinha”! Nem preciso dizer que a plateia foi ao delírio, né?

Chuva de hits

Apesar do show apresentar algumas das canções do ótimo álbum “24K Magic”, os seus hits consagrados – parte deles dos discos “Doo-Wops & Hooligans”, de 2010, e “Unorthodox Jukebox”, de 2012 – se tornaram os grandes queridinhos do público. Das mais recentes, o público cantou “24K Magic”, “That’s What I Like” e “Versace On The Floor” com afinco (inclusive, na última, o cantor perguntou, com bom humor, “se ele podia cantar agora”, já que o público entoava a música sozinho); mas a parte final do show contou com uma sucessão de hits, como “When I Was Your Man” (uma das partes mais bonitas do show, com o público cantando a capela e levantando as lanternas dos celulares), “Grenade” e “Just The Way You Are”. O bis ficou por conta das animadíssimas “Locked out of heaven” e o cover de Mark Ranson, “Uptown Funk”, interpretada pelo próprio Mars.

Efeitos especiais

Um palco é um palco, né, mores? A estrutura da apresentação estava impecável, com um show de iluminação, de efeitos especiais (como fogo em “Grenade”), e com muitos fogos de artifício no céu para complementar o evento.

Foto: Divulgação/Midiorama

Se eu ouvi alguém reclamando, foi pela duração do show – que teve cerca de 1h30. E se tem algo que a gente sempre quer mais é um bom show de volta ao Brasil – e ainda bem que tem mais Bruno Mars nessa próxima semana por aqui, incluindo o show extra no Rio hoje (19). Ainda tem ingressos à venda, caso você não queira perder esse espetáculo. E vá por mim: não perca, porque essa apresentação foi uma forte candidata a uma das melhores do ano.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Comentários

Mais lidas
Alguns direitos reservados / 2013 - 2017.
Desenvolvido por Lucas Mantoani.