9 de junho de 2017 por karen Costa.

 

 

 

 

 

 

Eu nunca vou entender exatamente porque artistas se atrasam. Salvo alguns shows, as atrações principais da noite sobem ao palco muitos minutos depois, enquanto seus fãs aguardam ansiosos, em pé e um pouco sem paciência.

Diferente de Ed Sheeran, que cobri dias atrás, o Boyce Avenue brindou os fãs apenas 36 (!) minutos após do que havia sido combinado. Realizada em Belo Horizonte (MG), a performance aconteceu no dia 08 de junho.

Mas só neste início da apresentação os três irmãos deixaram a desejar. Até mesmo na hora que o vocalista Alejandro Manzano perdeu o time de uma canção e deixou de cantar um trecho, seu carisma compensou, e rendeu risos da plateia.

Durante toda a performance, eles entregaram um bom som, ótimos vocais e um set recheado de boas autorais e covers fantásticos.

Com esta apresentação, primeira do Boyce em BH e meu primeiro ao vivo deles, aprendi cinco coisas sobre a banda e suas músicas:

1. Eles são mais do que covers

Tudo bem, os fãs do grupo já sabiam disso – e cantaram em coro durante cada single apresentado.

Mas o melhor é que as faixas autorais da banda são ótimas! Aqueles que não conheciam as canções, assim como eu, foram facilmente embalados pelo ritmo e pelas letras bem feitas.

Foram destaques “Imperfect Me” e “Pick Yourself Back Up Again”.

2. Aqueles covers do YouTube são ainda melhores ao vivo

Adele (“Hello”), Ed Sherran (“Thinking Out Loud”) e Katy Perry (“Teenage Dream”) foram só alguns dos covers intercalados no set do Boyce. E as versões do trio, com um número incrível de visualizações no YouTube, são muito bem executados frente a um grande público. O Boyce Avenue pode não ter o mesmo patamar de ganhos de nomes enormes da música, mas se garante no palco tão bem quanto estes.

3. “Despacito” é ótima em um acústico

Que “Despacito” é um hit não há dúvidas. Mas o que aconteceria com a faixa se ela ganhasse um novo ritmo, mais lento talvez? Sucesso igual!

A versão foi publicada no YouTube há algumas semanas, e sua repercussão é tão grande quanto ao vivo.

Durante as primeiras músicas do set, o público pediu pela canção, e logo os irmãos atenderam, sendo acompanhados por um coro ensurdecedor e divertido.

4. Eles também sabem fazer rock

Dois outros covers que chamaram a atenção foram “Everlong”, do Foo Fighters, e “Use Somebody”, do Kings Of Leon. Grandes sucessos das respectivas bandas, elas foram modificadas com maestria e da mesma forma acompanhadas em coro. Ficava difícil saber se a plateia conhecia-as por suas originais, ou pelas alternativas mais lentas do Boyce.

5. As ótimas “Find Me” e “On My Way”

Por algum motivo, quando penso no Boyce Avenue me lembro dessas duas músicas. Talvez porque eu tenha pirateado um CD com as faixas quando era adolescente (desculpa gente, não existia Spotify ainda), as canções não saem da minha cabeça. Vê-las ao vivo teve uma bela dose de fantástico e o restante de nostalgia. Com belas letras e melodias cativantes, as faixas são ainda mais doces quando tocadas na sua frente.

 

Do Boyce Avenue, ficaram ainda agradecimentos pela oportunidade de tocar em Belo Horizonte, e pelo comparecimento em peso dos fãs. Ficou também a promessa de retorno à cidade mineira. O público com certeza voltaria para aproveitar um pouco mais dos irmãos da Flórida.

O show de Alejandro, Daniel e Fabian Manzano em BH foi o primeiro da turnê Be Somebody World Tour no Brasil. Agora, o trio segue para São Paulo (com show no dia 09/06), e para o Rio de Janeiro (10/06).

Confira a setlist, fotos e vídeos da apresentação em Belo Horizonte:

Uma publicação compartilhada por Felipe Cesar (@fcesargm) em

Uma publicação compartilhada por Fellipe Faria (@fillfaria) em

Uma publicação compartilhada por Daniel Canelli (@dancanelli) em

Comentários

Mais lidas
Alguns direitos reservados / 2013 - 2017.
Desenvolvido por Lucas Mantoani.